PT
BR
Pesquisar
Definições



vilã

Será que queria dizer vila?

A forma vilãpode ser [feminino singular de vilãovilão] ou [adjectivo feminino e nome femininoadjetivo feminino e nome feminino].

Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!
vilãvilã
( vi·lã

vi·lã

)


adjectivo feminino e nome femininoadjetivo feminino e nome feminino

Flexão feminina de vilão.

vilãovilão
( vi·lão

vi·lão

)


adjectivoadjetivo

1. Relativo a vila.

2. [Figurado] [Figurado] Rústico, grosseiro.

3. Abjecto, baixo, sórdido, vil.


adjectivo e nome masculinoadjetivo e nome masculino

4. Que ou quem nasceu ou habita em vila.

5. Que ou quem habita uma zona rural. = CAMPONÊS

6. Que ou quem não pertence à nobreza.

7. Que ou quem tem qualidades morais negativas.

8. Que ou quem é desprezível.


nome masculino

9. Personagem que representa a maldade ou o lado mau numa obra de ficção.

10. Antiga dança popular.

11. [Portugal: Açores] [Portugal: Açores] Mascarado que faz parte das mouriscas.

12. [Portugal: Trás-os-Montes] [Portugal: Trás-os-Montes] Chouriço especial trasmontano.

vistoFeminino: vilã ou viloa. Plural: vilões, vilãos ou vilães.
etimologiaOrigem etimológica:latim *villanus, habitante de uma casa de campo.
iconFeminino: vilã ou viloa. Plural: vilões, vilãos ou vilães.

Auxiliares de tradução

Traduzir "vilã" para: Espanhol Francês Inglês

Anagramas



Dúvidas linguísticas



Como se deve dizer? Filhó (singular) Filhós (plural) ou Filhós (singular) Filhoses (plural)?
A palavra filhós, por analogia com palavras terminadas pelo mesmo som (ex.: retrós, voz), forma o plural filhoses (ex.: escolheu a filhós mais pequena; as filhoses ainda estão quentes). Trata-se de uma variante da palavra filhó que, por sua vez, forma o plural filhós (ex.: a filhó é um doce típico do Natal; comeu duas filhós). Ao processo de uma forma plural passar a ser empregue para designar também o singular, Evanildo Bechara dá o nome de "plural cumulativo" (ver Moderna Gramática Portuguesa, Rio de Janeiro: Editora Lucerna, 2002, pp. 128-129). O mesmo fenómeno acontece com os substantivos ilhó e ilhós, eiró e eirós, lilá e lilás, por exemplo.

Apesar de alguns autores condenarem o uso da forma filhós para designar o singular, a mesma e o respectivo plural filhoses surgem atestados nas principais obras lexicográficas de língua portuguesa, como o Vocabulário da Língua Portuguesa (Coimbra: Coimbra Editora, 1966), de Rebelo Gonçalves, o Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea da Academia das Ciências de Lisboa (Lisboa: Academia das Ciências de Lisboa / Editorial Verbo, 2001) ou o Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa, (Rio de Janeiro: Editora Objetiva, 2001 / Lisboa: Círculo de Leitores, 2002).




Porque é que há uma insistência tão grande em dizer deslargar, destrocar, etc? Há alguma razão que eu desconheça? Na minha modesta opinião estas palavras são insultos à nossa bela língua portuguesa. Estarei certa?
O prefixo des-, para além de exprimir as noções de afastamento (ex.: desabafar, deslocar), negação ou privação (ex.: desacordar, desagradável), cessação (ex.: desimpedir, desacelerar) ou separação (ex.: descascar, desfolhar), é também utilizado na língua portuguesa como partícula de reforço. Assim, poderá encontrar em dicionários de português palavras como desabalar, destrocar ou desinquieto, registadas devido à sua frequência, apesar de serem geralmente aceitáveis apenas em contextos mais informais e na oralidade. O falante deverá sempre adequar a utilização destas palavras ao nível de língua apropriado.

Existem outros prefixos na língua com esta função de reforço. São os chamados prefixos protéticos, porque não acrescentam valores semânticos às palavras às quais se apõem (ex.: amostrar, assoprar).