Dicionário Priberam Online de Português Contemporâneo
Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub
pub

vida

vidavida | n. f.
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

vi·da vi·da


nome feminino

1. O período de tempo que decorre desde o nascimento até à morte dos seres. = EXISTÊNCIA

2. Determinada fase desse período.

3. Modo de viver.

4. Comportamento.

5. Ocupação, profissão, carreira.

6. Princípio de existência, de força, de entusiasmo, de actividade (diz-se das pessoas e das coisas).

7. Fundamento, essência; causa, origem.

8. Biografia.


ir à vida
[Portugal, Informal]   [Portugal, Informal]  Ficar destruído ou estragado (ex.: os óculos foram à vida).

[Portugal, Informal]   [Portugal, Informal]  Deixar de existir (ex.: o dinheiro já foi à vida). = DESAPARECER

má vida
Vida de ócio ou de vadiagem.

[Depreciativo]   [Depreciativo]  Prostituição.

passar a vida
Usa-se seguido da preposição a e infinitivo, de gerúndio ou de preposição e sintagma nominal, para indicar continuidade da acção (ex.: passam a vida a reclamar; passam a vida jogando golfe; passas a vida na farra; passa a vida de baixa).

puxa vida
[Brasil, Informal]   [Brasil, Informal]  Expressão designativa de espanto, irritação ou impaciência. = POÇA, POXA, PUXA

vida airada
[Informal]   [Informal]  Vida desregrada de estroina ou vagabundo. = VAGABUNDAGEM, VIDAIRADA

vida civil
Os direitos civis.

vida de relação
[Biologia]   [Biologia]  Funções que põem o ser vivo em comunicação com o mundo exterior.

vida eterna
Vida futura, a outra vida, a existência espiritual depois da morte.

A bem-aventurança, a glória eterna.

vida flauteada
Vida simplificada, sem preocupações nem trabalhos.

pub

Auxiliares de tradução

Traduzir "vida" para: Espanhol | Francês | Inglês

Parecidas

Anagramas

Esta palavra em blogues

Ver mais

Por isso, a sua vida foi tão humana, que parecia até diferente da nossa, pois nós, apesar de humanos,...

Em regador

Parabéns a todos que contribuíram para os 12 meses de vida desta Revista ÓBVIA ..

Em Outra Margem

E, juntamente com seu esposo (agora convertido) numa vida com muitas práticas de piedade, foram a diversas peregrinações, até que aos 32 anos...

Em Blog da Sagrada Família

Agora ninguém dá sinais de vida ..

Em O INDEFECTÍVEL

Foto: Divulgação Nesta sexta-feira (22), data em que Marília Mendonça completa 27 anos de vida , o jornalista de Campinas (SP) Bruno Ribeiro, lançou uma obra biográfica que narra...

Em Caderno B
Blogues do SAPO

Dúvidas linguísticas


Por vezes somos abordados desta forma: Deseja um café? Sim senhora, trago-lhe já. Sendo eu um indivíduo do sexo masculino, qual é a resposta correcta para esta questão e quais os erros que estão em causa?
As palavras senhor ou senhora são usadas como formas de tratamento de cortesia em relação a alguém a quem nos dirigimos. Assim, devem concordar em género e número com o destinatário da mensagem (ex.: As senhoras desejam chá? [sendo o destinatário feminino plural]; O senhor dá-me licença? [sendo o destinatário masculino singular]).

Na frase em questão na sua dúvida, trata-se de uma resposta dada coloquialmente (ex.: sim, senhora, trago-lhe já; não, senhores, não podem fazer isso), mas que mantém a forma de tratamento e deve obedecer à concordância lógica com o destinatário, pelo que a frase deverá ser, com um destinatário do sexo masculino, Sim, senhor, trago-lhe já.




É correto iniciar uma frase de um parágrafo com a palavra portanto?
A palavra portanto é uma conjunção que se usa para ligar frases coordenadas, iniciando uma oração que exprime a consequência da outra expressa anteriormente (ex.: Não tinha nada em casa para comer, portanto teria de ir jantar fora.). De entre as conjunções ou locuções conjuncionais coordenativas, logo, por conseguinte e portanto podem variar de posição, “conforme o ritmo, a entoação ou a harmonia da frase”1, pelo que não tem de haver um uso exclusivo daquelas conjunções entre duas orações. Estas conjunções coordenativas, tal como algumas outras, podem iniciar frases, retomando assim o que foi expresso no enunciado anterior (ex.: Ela esperava. Mas as horas passavam e o seu pai nunca mais chegava. / Não estava ninguém na loja. Portanto teria de esperar mais umas horas ou voltar no dia seguinte.).

Há, no entanto, outras conjunções, como a coordenativa copulativa e (ex.: Tinha comido cerejas e pêssegos.) e a coordenativa disjuntiva ou (ex.: Queres ou não saber o que aconteceu?), cujo uso em início de frase, num registo escrito e mais cuidado, é geralmente desaconselhado, por possuírem uma função conectiva muito marcada. Porém, por necessidades expressivas ou por motivos literários, essas conjunções podem ocorrer no começo de frases (ex.: Havia tartes! E bolos! E gelados! E tantas outras sobremesas!).


1 Cunha, Celso, Lindley Cintra, Nova Gramática do Português, 14.ª ed., Lisboa: Edições Sá da Costa, 1998, p. 578

pub

Palavra do dia

i·rí·di·o i·rí·di·o


(latim científico iridium, do latim iris, iridis, do grego íris, íridos, mensageiro dos deuses, arco-íris)
nome masculino

[Química]   [Química]  Elemento químico (símbolo: Ir), de número atómico 77, metal friável que se encontra em certos minérios da platina.

pub

Mais pesquisadas do dia



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2021, https://dicionario.priberam.org/vida [consultado em 10-08-2022]