PT
BR
Pesquisar
Definições



torno

A forma tornopode ser [primeira pessoa singular do presente do indicativo de tornartornar] ou [nome masculino].

Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!
tornotorno
|ô| |ô|
( tor·no

tor·no

)


nome masculino

1. Aparelho para lavrar madeira, metais ou marfim.

2. Chave de torneira.

3. Aparelho em que se sujeitam as peças que se querem limar ou polir.

4. Pua, prego de pau, cavilha.

5. Canudo com batoque ou rolha para fazer as vezes de torneira.

6. Espécie de armário giratório usado para passar objectos do exterior para o interior e vice-versa, em conventos, asilos ou hospícios. = RODA


em torno

No espaço circundante (ex.: o médico também prestava assistência nas aldeias em torno). [Confrontar: entorno.] = À VOLTA, EM REDOR

em torno de

No espaço que rodeia algo ou alguém (ex.: a vegetação cresceu em torno do palacete). = À VOLTA DE, AO REDOR DE

Tendo por objecto ou assunto (ex.: discussão em torno da reforma fiscal). = À VOLTA DE

Cerca de, por volta de, aproximadamente (ex.: o seguro paga em torno de 80% da despesa total).

torno de água

Bica de onde sai espadana forte.

vistoPlural: tornos |ô|.
etimologiaOrigem etimológica:latim tornus, -i.
iconPlural: tornos |ó|.
Confrontar: turno.
tornartornar
( tor·nar

tor·nar

)
Conjugação:regular.
Particípio:regular.


verbo intransitivo

1. Voltar; regressar; volver.

2. Repetir.


verbo transitivo

3. Fazer, mudar para; volver.

4. Restituir.

5. Dar torna ou volta.

6. Responder.

7. Imputar.

8. Traduzir, verter.

9. Dar torna ou compensação em dinheiro aos outros herdeiros menos favorecidos para ficarem todos com igual quinhão.

10. Dar volta aos arcos das vasilhas com a tornadura.


tornar a si

Recuperar os sentidos.

tornar em si

O mesmo que tornar a si.

tornar mão

Resistir.

etimologiaOrigem etimológica:latim torno, -are.

Auxiliares de tradução

Traduzir "torno" para: Espanhol Francês Inglês

Anagramas



Dúvidas linguísticas



Na frase "...o nariz afilado do Sabino. (...) Fareja, fareja, hesita..." (Miguel Torga - conto "Fronteira") em que Sabino é um homem e não um animal, deve considerar-se que figura de estilo? Não é personificação, será animismo? No mesmo conto encontrei a expressão "em seco e peco". O que quer dizer?
Relativamente à primeira dúvida, se retomarmos o contexto dos extractos que refere do conto “Fronteira” (Miguel Torga, Novos Contos da Montanha, 7ª ed., Coimbra: ed. de autor, s. d., pp. 25-36), verificamos que é o próprio Sabino que fareja. Estamos assim perante uma animalização, isto é, perante a atribuição de um verbo usualmente associado a um sujeito animal (farejar) a uma pessoa (Sabino). Este recurso é muito utilizado por Miguel Torga neste conto para transmitir o instinto de sobrevivência, quase animal, comum às gentes de Fronteira, maioritariamente contrabandistas, como se pode ver por outras instâncias de animalização: “vão deslizando da toca” (op. cit., p. 25), “E aquelas casas na extrema pureza de uma toca humana” (op. cit., p. 29), “a sua ladradela de mastim zeloso” (op. cit., p. 30), “instinto de castro-laboreiro” (op. cit., p. 31), “o seu ouvido de cão da noite” (op. cit., p. 33).

Quanto à segunda dúvida, mais uma vez é preciso retomar o contexto: “Já com Isabel fechada na pobreza da tarimba, esperou ainda o milagre de a sua obstinação acabar em tecidos, em seco e peco contrabando posto a nu” (op. cit. p.35). Trata-se de uma coocorrência privilegiada, resultante de um jogo estilístico fonético (a par do que acontece com velho e relho), que corresponde a uma dupla adjectivação pré-nominal, em que o adjectivo seco e o adjectivo peco qualificam o substantivo contrabando, como se verifica pela seguinte inversão: em contrabando seco e peco posto a nu. O que se pretende dizer é que o contrabando, composto de tecidos, seria murcho e enfezado.