Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub
pub

somo

-somo-somo | elem. de comp.
1ª pess. sing. pres. ind. de somarsomar
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

-somo |ô|-somo |ô|


(grego sôma, -atos, corpo)
elemento de composição

Exprime a noção e corpo ou corpúsculo (ex.: cromossomo, tripanossomo).


so·mar so·mar

- ConjugarConjugar

(soma + -ar)
verbo transitivo

1. Fazer a soma de. = ADICIONARDIMINUIR, RETIRAR, SUBTRAIR

2. Juntar, reunir.

3. Ser equivalente a. = EQUIVALER, TOTALIZAR

verbo transitivo e intransitivo

4. [Aritmética]   [Aritmética]  Fazer a operação da soma.SUBTRAIR

verbo pronominal

5. Não ser mais do que; resumir-se a.

pub

Auxiliares de tradução

Traduzir "somo" para: Espanhol | Francês | Inglês

Parecidas

Esta palavra em blogues

Ver mais

Temos boa vontade e disposição, somo flexíveis quando necessário, tolerantes quando fundamental..

Em A Sopa no Exílio

...gargantas do som que me emudece auto completam o resto de uma antítese, Agora somo dois e dois passos, E à minha frente abre-se o que a raiva de...

Em Inatingivel

a escrita humorística somo folhetim popular, entre a ironia e a anedota, apimentada com a picada social..

Em humorgrafe

Somo criaturas mortais;;

Em Blog da Sagrada Família

...incomensurável, a roupa impressionista que me impede a morte por lapidação, tanta coisa que somo , sem que subtrair seja uma hipótese,..

Em Inatingivel
Blogues do SAPO

Dúvidas linguísticas


É indiferente a utilização indistinta dos verbos levantar e alevantar, rebentar e arrebentar?
As palavras que referiu são sinónimas duas a duas (alevantar = levantar, arrebentar = rebentar), sendo as formas iniciadas por a- variantes formadas pela adjunção do prefixo protético a-, sem qualquer alteração de sentido. A estas palavras podem juntar-se outros pares, como ajuntar/juntar, amostrar/mostrar, arrecuar/recuar, assoprar/soprar, ateimar/teimar, etc.

As formas com o elemento protético a- são geralmente consideradas mais informais ou características do discurso oral, devendo por isso ser evitadas em contextos que requerem alguma formalidade ou em que se quer evitar formas menos consensuais.

Apesar deste facto, não podemos fazer uma generalização destes casos para o uso do prefixo, uma vez que o prefixo a- pode ter outros valores, como os de aproximação, mudança (ex.: abaixo < a- + baixo, acertar < a- + certo + -ar) ou de privação, negação (ex.: atemporal < a- + temporal, assexuado < a- + sexuado), em que já não se trata de variação, mas de derivação.




A questão da regência verbal sempre foi problemática na língua portuguesa e, se calhar, em todas as outras. Mas, uma das regências mais controversas é a do verbo apelar. Uns insistem que a preposição exigida por este verbo é a, enquanto outros consideram que é para. Qual será então a forma correcta? Por exemplo, devemos dizer o padre apelou os crentes para se manterem fiéis à doutrina ou o padre apelou aos crentes a manterem-se fiéis à doutrina?
O verbo apelar pode ser intransitivo, isto é, admite uma construção sem complemento nominal obrigatório (ex.: O advogado apelou), ou transitivo indirecto, isto é, admite uma construção com um complemento nominal regido de preposição, que pode ser a, de ou para, consoante os contextos ou as acepções. A construção de apelar com a preposição de é usual no sentido que diz respeito a recurso de decisões ou sentenças (ex. O advogado apelou da sentença). As construções que parecem ser objecto de dúvida são aquelas em que se utiliza as preposições a ou para. Neste caso, ambas estão atestadas nos principais dicionários de língua e de regência verbais, sendo possíveis e correctas as construções O padre apelou aos crentes ou O padre apelou para os crentes. Esta construção pode ainda complicar-se como o exemplo apresentado sugere: O padre apelou aos crentes para se manterem fiéis.

Os dicionários e as gramáticas geralmente não se pronunciam sobre estas construções mais complexas, por haver dificuldade em descrevê-las ou designá-las. Neste caso, o complemento assinalado constitui um outro complemento indirecto que se articula com o primeiro. Do ponto de vista sintáctico, não parece existir motivo para a preposição não poder ser a mesma nos dois casos (ex.: O padre apelou aos crentes a se manterem fiéis.), mas para evitar ambiguidades ou dificuldades de percepção, a preposição deverá ser diferente. Se se entender que a construção é demasiado complexa, é possível simplificá-la apenas com um complemento indirecto, mantendo toda a informação semântica (ex.: O padre apelou a que os crentes se mantivessem fiéis ou O padre apelou para os crentes se manterem fiéis).

A construção que não respeita a regência do verbo é aquela em que existe um complemento directo, isto é, um complemento nominal não regido de preposição. Assim sendo, o exemplo *O padre apelou os crentes para se manterem fiéis à doutrina pode ser considerado agramatical, pois o verbo deve ter um complemento indirecto, logo o complemento destacado deverá ser introduzido por uma preposição: O padre apelou aos crentes para se manterem fiéis à doutrina.

pub

Palavra do dia

ter·sol ter·sol


(terso + -ol)
nome masculino

[Liturgia católica]   [Liturgia católica]  Toalha de altar usada para o sacerdote enxugar as mãos. = MANUTÉRGIO

Plural: tersóis.Plural: tersóis.
Confrontar: terçol.
pub

Mais pesquisadas do dia



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2021, https://dicionario.priberam.org/somo [consultado em 21-09-2021]