Dicionário Priberam Online de Português Contemporâneo
Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub
pub

rodasse

1ª pess. sing. pret. imperf. conj. de rodarrodar
3ª pess. sing. pret. imperf. conj. de rodarrodar
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

ro·dar ro·dar 1

- ConjugarConjugar

(latim rodo, -are)
verbo transitivo

1. Fazer andar à roda.

2. Rodear.

3. Percorrer.

4. Juntar com o rodo.

5. Aplicar o suplício da roda a.

6. [Brasil]   [Brasil]  Navegar na direcção da corrente.

7. [Brasil]   [Brasil]   [Informática]   [Informática]  Processar comandos de um programa ou operações de um algoritmo (ex.: rodar rotinas; rodar uma aplicação). [Equivalente no português de Portugal: correr.] = EXECUTAR

verbo intransitivo

8. Andar em roda de um eixo ou centro.

9. Mover-se sobre rodas.

10. Andar de carro.

11. Cair, rolando.

12. [Brasil]   [Brasil]  Chapar-se (o cavalo com o cavaleiro, indo a galope).

13. [Brasil, Informal]   [Brasil, Informal]  Sair à força; sair estonteado.

nome masculino

14. Ruído de um carro ou de outro objecto que vai rodando; andamento.


ro·dar ro·dar 2

- ConjugarConjugar

(latim rodo, -are)
verbo transitivo e intransitivo

Juntar ou trabalhar com o rodo (ex.: rodar os cereais; na salina, o marnoto estava a rodar).

pub

Auxiliares de tradução

Traduzir "rodasse" para: Espanhol | Francês | Inglês

Parecidas

Anagramas

Esta palavra em blogues

Ver mais

A gravação aludida fez com que a nossa retina rodasse de modo inverso, focalizando as ruas e os bairros de

Em catadordepapeis.blogspot.com

Perante a sobrecarga de jogos, já se esperava que o Jesus rodasse a equipa e, dos habituais titulares, só alinharam o Otamendi, Lucas Veríssimo e Grimaldo..

Em N

Após 40 dias de rigoroso retiro sanitário, o casal em casa completou a montagem de novo Fusca. Acabada, restou uma pintura bem psicodélica. Você verá. Comprei-o na abertura do confinamento, e o vendedor mandou-me entregar desmontado em 3000 (isso mesmo, três mil) peças. Fusca em tela de 1,21x0,78 A magnitude do trabalho…

Em catadordepapeis.blogspot.com

...Apesar de o acordo com os citizens ter falhado, que previa que o médio rodasse dois anos em Alvalade, o nome de Almada (que ainda não renovou com o

Em Fora-de-jogo

...sentimento coeso no mais firme qve se visse ao se eelvar o olhar ainda rodasse qval na lavra do mais amplo mar qve sendo ao ser ao lvzir o...

Em Tears of Heaven
Blogues do SAPO

Dúvidas linguísticas


Gostava de saber se está correcta a repetição da preposição pelo na formulação a seguir: No quadro do seu périplo pelo Ruanda, pelo Burundi, pela RD Congo e pela Tanzânia, o fulano vai encontrar-se com o sicrano.
Não há nenhuma incorrecção na repetição da contracção pelo/pela na frase que refere. Pelo contrário, alguns gramáticos recomendam inclusivamente que, numa enumeração de substantivos, se for utilizado o artigo definido antes do primeiro, devem ser utilizados artigos definidos antes dos restantes substantivos (cf. CUNHA e CINTRA, Nova Gramática do Português Contemporâneo, Lisboa: João Sá da Costa, 14ª ed., 1998, p.235). Isto aplica-se nesta frase, pois pelo/pela são contracções da preposição por com os artigos definidos o/a.



Para a pergunta: Viu-nos na praia de Tróia? há 2 respostas possíveis: Vi-os ou Vi-vos. Qual a diferença e porquê?
As duas respostas apontadas para a pergunta correspondem a dois tratamentos diferentes. Em vi-os trata-se do pronome pessoal o (a, os ,as) usado para indicar a pessoa a quem o emissor se dirige, quando há tratamento por você ou tratamento por o senhor, a senhora (vi-os será então equivalente a ‘vi os senhores’ ou ‘vi vocês’). Em vi-vos trata-se do pronome pessoal vos usado para indicar a pessoa a quem o emissor se dirige, quando há tratamento por vocês ou tratamento por vós (vi-vos será então equivalente a ‘vi vocês’ ou ‘vi vós’).

No português europeu, as formas de tratamento por você (ou afins, como nos exemplos o senhor não pode passar; o João pode fechar a janela, por favor?; o professor desculpe, mas está enganado) criam muitas incongruências e são por vezes pouco claras para os falantes. Por um lado, estas formas de tratamento, como os pronomes tu ou vós, indicam a pessoa a quem o falante está a dirigir a sua mensagem, pelo que se trata semanticamente de uma segunda pessoa. Por outro lado, gramaticalmente, estas formas de tratamento obrigam ao uso da terceira pessoa (qualquer concordância com a segunda pessoa do singular ou do plural é agramatical, como se pode verificar nos exemplos antecedidos de asterisco: *o senhor não podeis passar; *o João podes fechar a janela, por favor?; *o professor desculpe, mas estás enganado). Por corresponderem gramaticalmente a uma terceira pessoa (equivalente nas concordâncias com os verbos, por exemplo, a ele ou eles), estas formas de tratamento devem, segundo alguns gramáticos, usar os pronomes clíticos de terceira pessoa (o, a os, as para complemento directo: ex.: eu vi-os; lhe ou lhes para complemento indirecto: ex.: eu entreguei-lhes) em vez do pronome vos (complemento directo: ex.: eu vi-vos e indirecto: ex.: eu entreguei-vos).

pub

Palavra do dia

me·lo·fi·li·a me·lo·fi·li·a


(melo- + -filia)
nome feminino

Gosto pela música. = MELOMANIA, MUSICOFILIA

pub

Mais pesquisadas do dia



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2021, https://dicionario.priberam.org/rodasse [consultado em 01-10-2022]