Dicionário Priberam Online de Português Contemporâneo
Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub
pub

rapasse

1ª pess. sing. pret. imperf. conj. de raparrapar
3ª pess. sing. pret. imperf. conj. de raparrapar
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

ra·par ra·par

- ConjugarConjugar

(gótico *hrapon, arrancar, arrebatar, puxar pelos cabelos)
verbo transitivo

1. Tirar, com algum instrumento, ferramenta ou mesmo com as unhas, o que é supérfluo ao rés de uma superfície.

2. Cortar com lâmina, navalha ou máquina de barbear (ex.: rapar o cabelo; rapar as axilas).

3. [Informal]   [Informal]  Passar por experiência ou situação negativa (ex.: rapar fome; rapar frio). = PADECER, SOFRER

4. [Informal]   [Informal]  Tirar algo a alguém de modo ardiloso ou fraudulento (ex.: os ladrões raparam toda a documentação que estava no cofre). = EXTORQUIR, ROUBAR

5. [Informal]   [Informal]  Matar.

verbo pronominal

6. Fazer a barba. = BARBEAR-SE


de rapar
[Informal]   [Informal]  Muito intenso.

pub

Auxiliares de tradução

Traduzir "rapasse" para: Espanhol | Francês | Inglês

Parecidas

Anagramas

Esta palavra em blogues

Ver mais

" Após sete anos na formação do Benfica, Rogério Matias teve um início de carreira profissional difícil, com muitas lesões nos joelhos que quase lhe arruinaram a carreira. Agarrado ao sonho de menino, nunca desistiu. Viveu os momentos mais marcantes da carreira em Coimbra, no Campomaiorense e no Vitória de Guimarães, antes…

Em O INDEFECTÍVEL

...melhor deixando crescer o cabelo, ou à vossa filha se não preferiria que esta rapasse o cabelo, eram capazes de pensar que o professor tinha perdido o tino e...

Em pensamentos desblogueados

No entanto, qualquer coisa me dizia que rapasse um pouco mais: ao contrário das minas, a superfície que tateei pareceu-me curva..

Em Luís Graça & Camaradas da Guiné

...nos trouxe a sagaz postura no futuro que a assintomática doença da normalidade não rapasse cerce??

Em O Poema Insone

Também o “financiamento mediante rapasse do BNDES, celebrado pela CAIXA e Arena Itaquera S/A, sendo intervenientes anuentes , a...

Em Blog do Paulinho (arquivo)
Blogues do SAPO

Dúvidas linguísticas


Monitorar ou monitorizar?
Os verbos monitorar e monitorizar são formações correctas a partir do substantivo monitor, a que se junta o sufixo verbal -ar ou -izar, e têm o mesmo significado, pelo que são sinónimos. A opção por um ou por outro cabe ao utilizador; no entanto, os dicionários que seguem a norma europeia da língua portuguesa parecem preferir a forma monitorizar, pois é esta a única forma que aparece registada no Grande Dicionário Língua Portuguesa (Porto Editora, 2004) ou no Grande Vocabulário da Língua Portuguesa, de José Pedro Machado (Âncora Editora, 2001) e a edição portuguesa do Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa (Círculo de Leitores, 2002) remete monitorar para monitorizar. Os dicionários que seguem a norma brasileira da língua portuguesa remetem geralmente monitorizar para monitorar, como é o caso da edição brasileira do Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa (Objetiva, 2001) ou do Novo Dicionário Aurélio da Língua Portuguesa (Positivo, 2004).



1. Mal-formação ou malformação genética? Plural: malformações? 2. Como é mais correto: má perfusão ou mal-perfusão? Ex.: "hipofluorescência por má perfusão sub-retiniana compatível com degeneração miópica" // "hipofluorescência por mal-perfusão sub-retiniana compatível com atrofia central areolar".
Em relação à primeira dúvida, a grafia correcta é malformação (plural: malformações), como pode verificar seguindo a hiperligação para o Dicionário Priberam da Língua Portuguesa.

Quanto à segunda dúvida, o termo que questiona não se encontra registado nos dicionários consultados nem como malperfusão (cuja forma correspondente inglesa malperfusion é de uso generalizado), nem como má-perfusão, pelo que se aconselha a grafia de locução: má perfusão.

Esta dúvida retoma a questão sobre o uso do advérbio mal justaposto a um substantivo: de acordo com as regras da língua portuguesa, um substantivo (ex.: ) é geralmente modificado por um adjectivo (ex.: ), o que está na origem de formas como má-fé (e não malfé), enquanto um verbo (ex.: fadar) é habitualmente modificado por um advérbio (ex.: mal), o que está na origem de formas como malfadar (e não maufadar).

Esta polémica já se fez sentir relativamente ao par malformação/má-formação, tendo o uso consagrado a forma malformação, seja por influência das formas francesa e inglesa malformation, seja pela percepção de mal- como um prefixo. Aliás, segundo o Vocabulário da Língua Portuguesa de Rebelo Gonçalves (Coimbra: Coimbra Editora, 1966, p. 630), o prefixo mal- escreve-se com hífen apenas quando o elemento que se lhe segue começa por vogal (ex.: mal-estar) ou h (ex.: mal-humorado); nos restantes casos, é sempre aglutinado (ex.: malcriado, malquerente, malsão).

Esta reflexão pode aplicar-se a ainda outras palavras como malcriação, malquerença ou malsonância.

pub

Palavra do dia

ux·te ux·te


(origem expressiva ou onomatopaica)
interjeição

Expressão usada para afastar ou mostrar repulsa. = APRE, ARREDA, IRRA

pub

Mais pesquisadas do dia



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2021, https://dicionario.priberam.org/rapasse [consultado em 25-09-2022]