Dicionário Priberam Online de Português Contemporâneo
Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub
pub

Pesquisa por "camburiapeva" nas definições

Dúvidas linguísticas


Será que os senhores poderiam explicar porque no português europeu a locução verbal haver de + infinitivo não traz hífen (havemos de ...)?
No português europeu, por convenção e conforme o disposto na Base XXXI do Acordo Ortográfico de 1945, o verbo haver só deve ser ligado por hífen à preposição de nas suas formas monossilábicas, isto é, nas formas que têm apenas uma sílaba (hei-de, hás-de, há-de, hão-de). As restantes formas (em que se inclui havemos) não deverão ser ligadas por hífen.

Esta situação altera-se apenas com a entrada em vigor do Acordo Ortográfico de 1990, pois a Base XVII prevê a eliminação do hífen nas formas monossilábicas do verbo haver seguidas da preposição de (hei de, hás de, há de, hão de).




Hoje li um título no JN que me deixou curiosa e me fez ler a notícia completa para saber o significado do título que, mais ou menos, dizia o seguinte: O novo IP3 vai ser uma auto-estrada e portagado. Esta palavra portagado deixou-me a pensar em gado(!) mas, no final, percebi que se relacionava com o pagamento de portagens. Por isso, pergunto se existe algum verbo portagar, ou, na minha opinião, no mínimo, portajar.
A forma correcta deverá ser, de facto, portajado e não portagado. Esta forma corresponde ao particípio passado adjectival do verbo portajar, que tem o significado de 'colocar portagem em'. O verbo portajar, que se encontra já averbado no Grande Dicionário Língua Portuguesa (Porto Editora), é um neologismo correctamente formado a partir de portagem, sob a forma portaj-, à semelhança de outras derivações a partir de palavras terminadas em -agem (ex.: coragem > encorajar; linguagem > linguajar; massagem > massajar; viagem > viajar). Pelo contrário, não há, em português, verbos terminados em -agar derivados de palavras terminadas em -agem.

É ainda de referir que existem algumas ocorrências em corpora do verbo portagear, que ainda não se encontra dicionarizado, apesar de estar correctamente formado. Este verbo portagear deriva da aposição do sufixo -ear ao radical portag- da palavra portagem, à semelhança de outros verbos derivados de palavras terminadas em -agem (ex.: chantagem > chantagear; homenagem > homenagear; massagem > massagear).

Palavra do dia

ver·di·ze·la |zé|ver·di·ze·la |zé|


(verde + -i- + -z- + -ela)
nome feminino

1. Vara flexível ou pau com que se arma a boiz ou outra armadilha para pássaros.

2. [Botânica]   [Botânica]  Planta herbácea (Convolvulus arvensis) da família das convolvuláceas, de folhas alternas oblongas e flores solitárias brancas ou rosadas. = CONVÓLVULO, CORRIOLA, VERDEZELHA

3. [Ornitologia]   [Ornitologia]  Ave pernalta (Vanellus vanellus) de arribação, da família dos caradriídeos, de dorso esverdeado, abdómen e peito brancos, manchas brancas faciais e penacho comprido. = ABIBE

nome masculino

4. [Regionalismo]   [Regionalismo]  Rapaz alto e magro ou fraco.

pub

Mais pesquisadas do dia



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2021, https://dicionario.priberam.org/pesquisar/camburiapeva [consultado em 25-05-2022]