PT
BR
Pesquisar
Definições



obliterado

A forma obliteradopode ser [masculino singular particípio passado de obliterarobliterar] ou [adjectivoadjetivo].

Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!
obliteradoobliterado
( o·bli·te·ra·do

o·bli·te·ra·do

)


adjectivoadjetivo

1. Que se obliterou.

2. [Anatomia] [Anatomia] Obstruído por aderência.

3. [Figurado] [Figurado] Entupido, obtuso.

etimologiaOrigem etimológica:particípio de obliterar.
obliterarobliterar
( o·bli·te·rar

o·bli·te·rar

)
Conjugação:regular.
Particípio:regular.


verbo transitivo e pronominal

1. Fazer desaparecer ou desaparecer uma coisa, pouco a pouco, até que dela não fique nenhum vestígio.

2. [Medicina] [Medicina] Fechar ou fechar-se uma cavidade. = OBSTRUIR, TAPAR

3. Fazer esquecer ou cair no esquecimento.


verbo transitivo

4. Fazer deixar de existir; reduzir a nada. = ANIQUILAR, DESTRUIR, ELIMINAR, ERRADICAR

5. Tornar inválido (selo, bilhete, título de transporte) mediante carimbo, sinal gráfico, rasgo, perfuração ou outra marcação, para que não possa ser reutilizado para o mesmo fim.

etimologiaOrigem etimológica:latim oblittero, -are, apagar, fazer esquecer, abolir.

Auxiliares de tradução

Traduzir "obliterado" para: Espanhol Francês Inglês


Dúvidas linguísticas



Em palavras como emagrecer e engordar as terminações -er e -ar são sufixos ou desinências verbais de infinitivo? Se são o último caso, essas palavras não podem ser consideradas derivações parassintéticas...ou podem?
As terminações verbais -er e -ar são compostas pela junção de -e- (vogal temática da 2.ª conjugação) ou -a- (vogal temática da 1.ª conjugação), respectivamente, à desinência de infinitivo -r. Destas duas terminações, apenas -ar corresponde a um sufixo, pois no português actual usa-se -ar para formar novos verbos a partir de outras palavras, normalmente de adjectivos ou de substantivos, mas não se usa -er. Apesar de os sufixos de verbalização serem sobretudo da primeira conjugação (ex.: -ear em sortear, -ejar em relampaguejar, -izar em modernizar, -icar em adocicar, -entar em aviventar), há alguns sufixos verbais da segunda conjugação, como -ecer. Este sufixo não entra na formação do verbo emagrecer, mas entra na etimologia de outros verbos formados por sufixação (ex.: escurecer, favorecer, fortalecer, obscurecer, robustecer, vermelhecer) ou por prefixação e sufixação simultâneas (ex.: abastecer, abolorecer, amadurecer, empobrecer, engrandecer, esclarecer).

Dos verbos que menciona, apenas engordar pode ser claramente considerado derivação parassintética, uma vez que resulta de prefixação e sufixação simultâneas: en- + gord(o) + -ar. O verbo emagrecer deriva do latim emacrescere e não da aposição de prefixo e sufixo ao adjectivo magro.




Em que situações utilizamos a conjunção e seguida da vírgula (e,)?
É importante sublinhar que o uso da vírgula, como o da pontuação em geral, é complexo, pois está intimamente ligado à decomposição sintáctica, lógica e discursiva das frases (por favor consulte a dúvida vírgula antes da conjunção e). Em termos muito gerais, pode dizer-se ainda que a vírgula se destina a ser usada com duas funções distintas: por um lado marca coordenações ou disjunções, isto é, com função idêntica às conjunções e, ou, nem (ex.: nabos, cenouras, batatas idêntico a nabos e cenouras e batatas ou a nabos ou cenouras ou batatas), por outro lado, marca um leque muito variado de estruturas sintácticas.

Especificamente sobre a questão colocada, a vírgula pode surgir depois da conjunção e se houver necessidade de ser utilizada para isolar estruturas sintácticas entre vírgulas, especialmente adjuntos adverbiais deslocados (ex.: A beterraba é usada na alimentação e, industrialmente, na produção de açúcar.) e orações intercaladas (ex.: A beterraba é usada na alimentação e, continuou o orador, na produção de açúcar.).