Dicionário Priberam Online de Português Contemporâneo
Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub
pub

mariola

mariolamariola | n. m. | adj. 2 g.
3ª pess. sing. pres. ind. de mariolarmariolar
2ª pess. sing. imp. de mariolarmariolar
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

ma·ri·o·la |ó|ma·ri·o·la |ó|


(origem duvidosa)
nome masculino

1. Moço de fretes.

2. Patife, biltre.

3. Conjunto de três ou mais pedras sobrepostas, geralmente de forma piramidal ou cónica que, em certas serras ínvias, indicam de trecho em trecho o caminho a seguir.Ver imagem = MOLEDO, MOLEDRO

4. [Ornitologia]   [Ornitologia]  Variedade de pombo.

5. [Brasil]   [Brasil]  Doce em forma de tablete (ex.: mariola de banana; mariola de caju; mariola de goiaba).

adjectivo de dois géneros
adjetivo de dois géneros

6. Próprio de patife.


ma·ri·o·lar ma·ri·o·lar

- ConjugarConjugar

verbo intransitivo

1. Fazer serviço de mariola.

2. Ter vida de malandro, vadio.

pub

Parecidas

Anagramas

Esta palavra em blogues

Ver mais

Um mariola tentou fugir ao ser descoberta a invalidade do

Em O felino

», «Lobo Mau», «Risota», «O Mariola »… Até o «Sempre Fixe», ligado à estrutura do «Diário de Lisboa» (que no...

Em humorgrafe

* “ Mariola-la/mariola-la/mariola lula” * Estou com a boca santa;;

Em Carta da It

Mariola I a V”, de 17 a 24

Em Alberto Helder

Enxugam finos à guisa mariola

Em daniel abrunheiro
Blogues do SAPO

Dúvidas linguísticas


Gostaria de saber a vossa definição da palavra antropofágico e gostaria também que me dessem um exemplo de como a palavra escatológico pode ser usada com vários sentidos.
O adjectivo antropofágico designa o que é relativo a antropofagia ou a antropófago (cujas definições poderá encontrar no Dicionário da Língua Portuguesa On-line, seguindo as hiperligações) e pode, na maioria dos contextos, ser sinónimo de canibalesco.

O adjectivo escatológico diz respeito a escatologia, mas, atendendo a que esta palavra corresponde a dois homónimos (isto é, palavras que se escrevem e lêem de maneira igual, mas que têm significados e etimologias diferentes), pode ter significados diferentes consoante os contextos. Por exemplo, humor escatológico poderá dizer respeito ao humor feito com recurso a alusões aos excrementos e necessidades fisiológicas; por outro lado, filosofia escatológica poderá dizer respeito à filosofia que trata do que pode acontecer no fim do mundo ou no fim dos tempos.




A questão da regência verbal sempre foi problemática na língua portuguesa e, se calhar, em todas as outras. Mas, uma das regências mais controversas é a do verbo apelar. Uns insistem que a preposição exigida por este verbo é a, enquanto outros consideram que é para. Qual será então a forma correcta? Por exemplo, devemos dizer o padre apelou os crentes para se manterem fiéis à doutrina ou o padre apelou aos crentes a manterem-se fiéis à doutrina?
O verbo apelar pode ser intransitivo, isto é, admite uma construção sem complemento nominal obrigatório (ex.: O advogado apelou), ou transitivo indirecto, isto é, admite uma construção com um complemento nominal regido de preposição, que pode ser a, de ou para, consoante os contextos ou as acepções. A construção de apelar com a preposição de é usual no sentido que diz respeito a recurso de decisões ou sentenças (ex. O advogado apelou da sentença). As construções que parecem ser objecto de dúvida são aquelas em que se utiliza as preposições a ou para. Neste caso, ambas estão atestadas nos principais dicionários de língua e de regência verbais, sendo possíveis e correctas as construções O padre apelou aos crentes ou O padre apelou para os crentes. Esta construção pode ainda complicar-se como o exemplo apresentado sugere: O padre apelou aos crentes para se manterem fiéis.

Os dicionários e as gramáticas geralmente não se pronunciam sobre estas construções mais complexas, por haver dificuldade em descrevê-las ou designá-las. Neste caso, o complemento assinalado constitui um outro complemento indirecto que se articula com o primeiro. Do ponto de vista sintáctico, não parece existir motivo para a preposição não poder ser a mesma nos dois casos (ex.: O padre apelou aos crentes a se manterem fiéis.), mas para evitar ambiguidades ou dificuldades de percepção, a preposição deverá ser diferente. Se se entender que a construção é demasiado complexa, é possível simplificá-la apenas com um complemento indirecto, mantendo toda a informação semântica (ex.: O padre apelou a que os crentes se mantivessem fiéis ou O padre apelou para os crentes se manterem fiéis).

A construção que não respeita a regência do verbo é aquela em que existe um complemento directo, isto é, um complemento nominal não regido de preposição. Assim sendo, o exemplo *O padre apelou os crentes para se manterem fiéis à doutrina pode ser considerado agramatical, pois o verbo deve ter um complemento indirecto, logo o complemento destacado deverá ser introduzido por uma preposição: O padre apelou aos crentes para se manterem fiéis à doutrina.

pub

Palavra do dia

e·ril e·ril


(latim aereus, -a, -um, de cobre ou bronze + -il)
adjectivo de dois géneros
adjetivo de dois géneros

1. Que é feito ou coberto de cobre, bronze ou latão.

2. Da cor do bronze. = BRÔNZEO


SinónimoSinônimo Geral: ÉREO

Confrontar: heril.
pub

Mais pesquisadas do dia



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2021, https://dicionario.priberam.org/mariola [consultado em 27-10-2021]