Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub

pub

módulo

módulomódulo | adj.
módulomódulo | n. m.
Será que queria dizer modulo?
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

mó·du·lo mó·du·lo 2


(redução de modulado)
adjectivo
adjetivo

Harmonioso, melodioso.

Confrontar: nódulo.

mó·du·lo mó·du·lo 1


(latim modulus, -i, medida pequena, ritmo, cadência)
nome masculino

1. [Arquitectura]   [Arquitetura]   [Arquitetura]  Semidiâmetro de uma coluna (tomado como medida reguladora das proporções arquitectónicas).

2. Diâmetro de uma medalha.

3. [Por extensão]   [Por extensão]  Medida.

4. Unidade que serve de medida.

5. Número que numa operação não tem influência no resultado.

6. Variação da intensidade ou do tom na emissão de sons. = MODULAÇÃO

7. Bilhete obliterável de transportes públicos.

8. [Mobiliário]   [Mobiliário]  Unidade de mobiliário ou marcenaria que se combina com outras, formando um conjunto homogéneo e funcional.

pub

Auxiliares de tradução

Traduzir "módulo" para: Espanhol | Francês | Inglês

Parecidas

Palavras vizinhas

Anagramas

Esta palavra no dicionário

Ver mais

Esta palavra em blogues

Ver mais
Blogues do SAPO

Esta palavra no Twitter

Dúvidas linguísticas


Gostaria de saber se alguma das seguintes frases está incorrecta: 1. O carro podê-lo-ia ter atropelado; 2. O carro poderia tê-lo atropelado.
Por favor, consulte uma dúvida muito semelhante em mesóclise e verbos auxiliares. Especificamente sobre este exemplo, deve dizer-se que o pronome pessoal átono (ou clítico) o é normalmente colocado em posição enclítica (isto é, depois do verbo) relativamente ao verbo principal (ex.: poderia atropelá-lo), do qual depende semanticamente. No caso da frase em análise, trata-se de um tempo composto, construído com o verbo auxiliar ter e o particípio passado do verbo atropelar, pelo que o pronome é colocado em posição enclítica relativamente ao verbo auxiliar (ex.: poderia tê-lo atropelado).
Esta é a posição mais consensual e menos polémica, mas há verbos, como poder, cujo comportamento se aproxima do de um verbo auxiliar e esse comportamento torna aceitável a posição enclítica relativamente a este verbo. Se se tratar do modo condicional ou do futuro do indicativo, o pronome terá de ser mesoclítico, isto é, deverá ocorrer no meio da forma verbal (ex.: podê-lo-ia atropelar, podê-lo-á atropelar). Se houver outro verbo auxiliar na locução verbal, como na frase em apreço, a mesóclise no verbo poder é também possível, embora de aceitação menos generalizada (ex.: podê-lo-ia ter atropelado).

Adicionalmente, e porque os clíticos correspondem a uma questão complexa, poderá pesquisar, na caixa de pesquisa das dúvidas linguísticas, o tópico clíticos ou o tópico pronomes.




Está certo ou errado fazer a translineação de nomes próprios (ex. Carlos < Car - los)?
Os nomes próprios portugueses translineiam-se segundo as mesmas regras de translineação para os nomes comuns, que no geral se faz de acordo com a soletração e não segundo critérios histórico-morfológicos. Assim, a translineação de Carlos será Car-los e a divisão de Francisco deverá ser Fran-cis-co.
pub

Palavra do dia

zur·va·da zur·va·da


(origem obscura)
nome feminino

[Portugal: Trás-os-Montes]   [Portugal: Trás-os-Montes]  Forte aguaceiro. = BÁTEGA, CHUVADA, ZERBADA, ZURBADA, ZURVANADA

pub

Mais pesquisadas do dia



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2021, https://dicionario.priberam.org/m%C3%B3dulo [consultado em 26-02-2021]