Dicionário Priberam Online de Português Contemporâneo
Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub
pub

estude

1ª pess. sing. pres. conj. de estudarestudar
3ª pess. sing. imp. de estudarestudar
3ª pess. sing. pres. conj. de estudarestudar
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

es·tu·dar es·tu·dar

- ConjugarConjugar

(estudo + -ar)
verbo transitivo e intransitivo

1. Fazer o possível para aprender, conhecer ou compreender.

2. Frequentar as aulas de um curso ou de uma escola; ser estudante (ex.: estudar medicina; deixou de estudar há cinco anos).

verbo transitivo

3. Analisar atentamente para compreender ou conhecer (ex.: estuda as obras de Eça de Queirós).

4. Pensar demoradamente sobre (ex.: teve de estudar uma solução alternativa). = MEDITAR, REFLECTIR

5. Decorar; memorizar (ex.: estudar as falas de uma peça de teatro).

6. Ensaiar previamente para ter uma noção do efeito.

verbo transitivo e pronominal

7. Observar ou observar-se atentamente (ex.: o coreógrafo estudava os bailarinos enquanto dançavam; o actor estudava-se ao espelho).

pub

Auxiliares de tradução

Traduzir "estude" para: Espanhol | Francês | Inglês

Parecidas

Esta palavra em blogues

Ver mais

São dois calhamaços algo desconjuntados, mas ainda assim valiosos para quem estude a realidade de Portugal e Colónias de há 70 anos..

Em Estação Cronográfica

Estude sobre seu possível

Em Caderno B

...para futuros trabalhos referentes ao tratamento médico de praticantes sujeitos a controlos antidopagem, se estude a preparação de outros

Em O INDEFECTÍVEL

Precisando de uma aula particular para tirar dúvidas? Está estudando para concurso e tem dificuldade em alguma matéria? Seu filho precisa de reforço escolar para dar um gás no aprendizado? Basta um clique para tudo isso estar ao seu alcance! Desde 30 de julho, Santiago passou a contar com uma plataforma online inovadora…

Em www.rafaelnemitz.com

...rápida inserção no mercado de trabalho, além de garantirem flexibilidade para que o aluno estude onde e quando quiser..

Em www.rafaelnemitz.com
Blogues do SAPO

Dúvidas linguísticas


Gostaria de saber se as palavras escritas em letras maiúsculas são acentuadas. Ex.: ÁRVORE.
Na ortografia portuguesa, as palavras têm a mesma acentuação independentemente de serem grafadas com letras maiúsculas ou minúsculas. Assim, se pretender escrever árvore, ébano, ímpeto, óbito, único com inicial maiúscula ou totalmente em maiúsculas, deverá escrever Árvore ou ÁRVORE, Ébano ou ÉBANO, Ímpeto ou ÍMPETO, Óbito ou ÓBITO ou Único ou ÚNICO.

O texto do Acordo Ortográfico, que regula a ortografia do português europeu e que tem regras específicas para o uso de maiúsculas nas bases XXXIX a XLVII, não refere explicitamente este assunto, mas o próprio texto legal contém sempre acentos em maiúsculas, nomeadamente em palavras como "MINISTÉRIO", "Ámon", "Áustria-Hungria", "Nun'Álvares", "Índias" ou no nome do Presidente da República em 1945, "ANTÓNIO ÓSCAR DE FRAGOSO CARMONA".

Outras ortografias de línguas românicas próximas do português, como o espanhol ou o francês, têm o mesmo comportamento. A Real Academia Española (Ortografía de la Lengua Española, Madrid: Editorial Espasa Calpe, 1999, p. 53) refere explicitamente que as maiúsculas levam acento e que a Academia nunca estabeleceu uma norma em sentido contrário. Quanto ao francês, a tradição escolar costuma ensinar que as maiúsculas podem não ser acentuadas, não sendo essa, no entanto, a posição da Académie Française, que recomenda o uso sistemático das maiúsculas acentuadas; também a União Europeia, no Código de Redacção Interinstitucional relativo ao francês postula que as maiúsculas são, em princípio, sempre acentuadas (http://publications.europa.eu/code/fr/fr-240203.htm).




A palavra "bué" foi ou não aceite na Língua Portuguesa?
Não há nenhuma instituição ou entidade que possa aceitar ou não uma palavra na língua ou determinar o que é aceite. A partir do momento em que uma palavra é utilizada, sobretudo por um número elevado de falantes e com larga difusão geográfica, passa a ser um facto linguístico e cabe ao utilizador da língua decidir acerca da sua utilização ou não, consoante o seu conhecimento linguístico, a situação em que se encontra e o uso próprio que ele faz da língua. Mesmo os chamados erros ou o desrespeito por determinadas regras não deixam de ser factos linguísticos e de fazer parte da língua; se o falante tiver conhecimento de que se trata de um erro, pode é optar por o utilizar ou não.

Em relação à palavra bué, não é de um erro que se trata, mas de um advérbio e pronome que faz parte de um registo mais informal da língua, muitas vezes denominado calão, mas cujas fronteiras são difíceis de definir. Como outras palavras deste nível de língua, é considerado normal ou seu uso em contextos informais, sendo desaconselhado ou desadequado em situações mais formais.

A eventual dicionarização de palavras de nível informal (o registo de bué no Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea da Academia das Ciências de Lisboa em 2001 foi, de alguma forma, polémico) não torna uma palavra aceite ou não, pois faz parte do conhecimento linguístico dos falantes saber em que situação usar determinado nível de língua. O uso de níveis de língua diferentes está relacionado com o conhecimento das situações de comunicação e dos códigos de conduta social, que passa também pela utilização da língua (um exemplo claro deste conhecimento é o uso dos chamados palavrões, ou tabuísmos, cuja utilização em determinadas situações é considerada altamente reprovável).


pub

Palavra do dia

chi·me·co |é|chi·me·co |é|


(inglês shoemaker, sapateiro)
nome masculino

[Portugal: Madeira, Informal]   [Portugal: Madeira, Informal]  Pessoa de baixa estatura. = BAIXOTE

Confrontar: chumeco.
pub

Mais pesquisadas do dia



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2021, https://dicionario.priberam.org/estude [consultado em 29-11-2021]