Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub

pub
consultoriaconsultoria | s. f.
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

con·sul·to·ri·a con·sul·to·ri·a
(consultor + -ia)
nome feminino

1. Acto ou efeito de dar consulta ou conselho.

2. Actividade ou cargo de consultor ou de quem dá pareceres e trata de assuntos técnicos da sua especialidade.

3. Local onde trabalha o consultor.


SinónimoSinônimo Geral: CONSULTADORIA

pub

Parecidas

Palavras vizinhas

Esta palavra em blogues

Ver mais
Blogues do SAPO

Esta palavra no Twitter

Dúvidas linguísticas


"realocação" de recursos. Pode-se utilizar a palavra entre aspas, mesmo não sendo reconhecida pela maioria dos dicionários?
O substantivo realocação está bem formado, sendo uma nominalização de realocar. Tanto o substantivo realocação quanto o verbo realocar, formado a partir da aposição do prefixo re- ao verbo alocar, são neologismos de uso generalizado, sobretudo na área da economia e da informática, como revelam pesquisas em corpora e em motores de busca da Internet (ex: realocar investimentos; o banco não financiará a realocação de fábricas.).



Uma professora minha disse que nunca se podia colocar uma vírgula entre o sujeito e o verbo. É verdade?
Sobre o uso da vírgula em geral, por favor consulte a dúvida vírgula antes da conjunção e. Especificamente sobre a questão colocada, de facto, a indicação de que não se pode colocar uma vírgula entre o sujeito e o verbo é verdadeira. O uso da vírgula, como o da pontuação em geral, é complexo, pois está intimamente ligado à decomposição sintáctica, lógica e discursiva das frases. Do ponto de vista lógico e sintáctico, não há qualquer motivo para separar o sujeito do seu predicado (ex.: *o rapaz [SUJEITO], comeu [PREDICADO]; *as pessoas que estiveram na exposição [SUJEITO], gostaram muito [PREDICADO]; o asterisco indica agramaticalidade). Da mesma forma, o verbo não deverá ser separado dos complementos obrigatórios que selecciona (ex.: *a casa é [Verbo], bonita [PREDICATIVO DO SUJEITO]; *o rapaz comeu [Verbo], bolachas e biscoitos [COMPLEMENTO DIRECTO]; *as pessoas gostaram [Verbo], da exposição [COMPLEMENTO INDIRECTO]; *as crianças ficaram [Verbo], no parque [COMPLEMENTO ADVERBIAL OBRIGATÓRIO]). Pela mesma lógica, o mesmo se aplica aos complementos seleccionados por substantivos (ex. * foi a casa, dos avós), por adjectivos (ex.: *estava impaciente, por sair) ou por advérbios (*lava as mãos antes, das refeições), que não deverão ser separados por vírgula da palavra que os selecciona.

Há, no entanto, alguns contextos em que pode haver entre o sujeito e o verbo uma estrutura sintáctica separada por vírgulas, mas apenas no caso de essa estrutura poder ser isolada por uma vírgula no início e no fim. Estes são normalmente os casos de adjuntos nominais (ex.: o rapaz, menino muito magro, comeu muito), adjuntos adverbiais (ex.: o rapaz, como habitualmente, comeu muito), orações subordinadas adverbiais (ex.: as pessoas que estiveram na exposição, apesar das más condições, gostaram muito), orações subordinadas relativas explicativas (ex.: o rapaz, que até não tinha fome, comeu muito).

pub

Palavra do dia

von·da von·da
(redução de avonda, de avondar, do latim abundo, -are, transbordar, correr em abundância, ser ou ter em abundância)
advérbio

1. [Antigo]   [Antigo]  Muito.

interjeição

2. [Informal, Pouco usado]   [Informal, Pouco usado]  Expressão usada para interromper ou mandar parar uma acção ou para fazer calar. = AVONDA, BASTA, BONDA, CHEGA

pub

Mais pesquisadas do dia

Siga-nos



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2020, https://dicionario.priberam.org/consultoria [consultado em 28-09-2020]