Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub

pub
cafezinhocafezinho | s. m.
derivação masc. sing. de cafécafé
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

ca·fe·zi·nho |è| ca·fe·zi·nho |è|
(café + -zinho)
nome masculino

1. Café tomado em chávena pequena.

2. [Brasil, Informal]   [Brasil, Informal]  Gratificação ou gorjeta. = CAFÉ

3. [Brasil]   [Brasil]   [Ornitologia]   [Ornitologia]  Ave pernalta (Jacana jacana), de plumagem escura, com o dorso acastanhado ou avermelhado, encontrada na América Central e na América do Sul. = JAÇANÃ, PIAÇOCA


ca·fé ca·fé
(francês café, do italiano caffè, do turco qahvé, do árabe qahuâ, vinho, café)
nome masculino

1. Semente do cafezeiro.Ver imagem

2. [Botânica]   [Botânica]  Arbusto rubiáceo do género Coffea que produz essa semente.Ver imagem = CAFEEIRO, CAFEZEIRO

3. Bebida preparada com o pó dessa semente, depois de torrada e moída (ex.: café com leite; tomar um café).Ver imagem

4. Local onde se pode tomar esssa e outras bebidas, bem como refeições ligeiras (ex.: comemos num café à beira da estrada). = BAR, BOTEQUIM, CAFETARIA

5. [Brasil, Informal]   [Brasil, Informal]  Gratificação, gorjeta.


café pequeno
[Brasil]   [Brasil]  Café tomado em chávena pequena. = CAFEZINHO

[Brasil, Informal]   [Brasil, Informal]  Coisa simples ou sem importância.

café sem ponta
[Portugal: Norte]   [Portugal: Norte]  O mesmo que café sem princípio.

café sem princípio
Café expresso tirado sem aproveitar as primeiras gotas.

pub

Parecidas

Palavras vizinhas

Esta palavra em blogues

Ver mais
Blogues do SAPO

Esta palavra no Twitter

Dúvidas linguísticas


A palavra vigilidade, que tem origem na palavra vígil, tem suscitado alguma controvérsia na área em que estou envolvido. É um termo que é utilizado nalguns trabalhos de psicologia e por algumas instituições nacionais ligadas aos medicamentos (ex: INFARMED). No entanto, não encontrei a palavra nos dicionários que consultei, inclusivamente o da Priberam. Alternativamente a palavra utililizada é vigilância. Assim, gostaria de saber a vossa opinião sobre este assunto.
Também não encontrámos a palavra vigilidade registada em nenhum dos dicionários ou vocabulários consultados. No entanto, este neologismo respeita as regras de boa formação da língua portuguesa, pela adjunção do sufixo -idade ao adjectivo vígil, à semelhança de outros pares análogos (ex.: dúctil/ductilidade, eréctil/erectilidade, versátil/versatilidade). O sufixo -idade é muito produtivo na língua para formar substantivos abstractos, exprimindo frequentemente a qualidade do adjectivo de que derivam.

Neste caso, existem já os substantivos vigília e vigilância para designar a qualidade do que é vígil, o que poderá explicar a ausência de registo lexicográfico de vigilidade. Como se trata, em ambos os casos, de palavras polissémicas, o uso do neologismo parece explicar-se pela necessidade de especialização no campo da medicina, psicologia e ciências afins, mesmo se nesses campos os outros dois termos (mas principalmente vigília, que surge muitas vezes como sinónimo de estado vígil) têm ampla divulgação.




Usa-se crase na frase "Atendimento a grupos"?
Na expressão atendimento a grupos não deverá usar a crase.

A crase é a contracção de duas vogais iguais, na maioria dos casos, contracção da preposição a com o artigo definido a quando este precede um substantivo feminino (ex.: devolveu o livro à colega) e com a locução relativa a qual (ex.: esta é a colega à qual ele devolveu o livro). Há também locuções fixas que contêm crase, onde se pode subentender o substantivo feminino moda ou maneira (ex.: cozido à portuguesa = cozido à [moda/maneira] portuguesa). Não poderá usar a crase numa expressão como atendimento a grupos, pois grupos é um substantivo masculino plural e não poderia ser antecedido do artigo definido feminino a.

Normalmente, não se usa a crase antes de nome masculino, como é o caso (ex.: atendimento a grupos), de artigo indefinido (ex.: atendimento a uma clientela), de forma verbal (ex.: esteve a atender) ou de topónimos que não precisam de artigo (ex.: chegou a Brasília). Há ainda locuções fixas que não contêm crase (ex.: estavam frente a frente).

pub

Palavra do dia

men·su·ra·lis·ta men·su·ra·lis·ta
(mensural + -ista)
nome de dois géneros

[Música]   [Música]  Compositor musical, na Idade Média.

pub

Mais pesquisadas do dia

Siga-nos



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2020, https://dicionario.priberam.org/cafezinho [consultado em 15-01-2021]