Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub

pub
aparaapara | s. f.
3ª pess. sing. pres. ind. de apararaparar
2ª pess. sing. imp. de apararaparar
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

a·pa·ra a·pa·ra
substantivo feminino

1. Fita (de madeira).

2. Raspa; limalha.

3. Pedaço de sola para altear a forma ou estabelecer o salto do calçado.


a·pa·rar a·pa·rar - ConjugarConjugar
verbo transitivo

1. Receber (o que outrem atira ou o que cai).

2. Alisar.

3. Receber nas mãos (a criança ao nascer).

4. Cortar o que torna áspero ou irregular.

5. Cortar regularmente o conjunto das folhas de um livro.

6. Aguçar (pena ou lápis).

7. Pôr cuidado em (o modo de dizer, escrever ou fazer).

8. Tolerar, aguentar.

pub

Auxiliares de tradução

Traduzir "apara" para: Espanhol | Francês | Inglês

Parecidas

Palavras vizinhas

Esta palavra em blogues

Ver mais
Blogues do SAPO

Esta palavra no Twitter

Dúvidas linguísticas


Procurei a definição para a palavra invariavelmente, contudo, não a localizei no dicionário. Apenas encontrei invariável. O que muda com o acréscimo de -mente?
De facto, o advérbio invariavelmente não faz parte da nomenclatura do Dicionário Priberam da Língua Portuguesa. A nomenclatura de um dicionário é sempre limitada, e a prova disso é que até o recente Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa (edição brasileira da Editora Objetiva, 2001; edição portuguesa do Círculo de Leitores, 2002), considerado o dicionário de língua portuguesa com a maior nomenclatura, também não o regista. A maioria dos dicionários considera que a definição dos advérbios em -mente, com raras excepções, se depreende facilmente dos adjectivos de que derivam. Desta forma, considera-se que invariavelmente poderia ser entendido como “de maneira invariável”, com as acepções do adjectivo invariável.

Esta é, no entanto, uma questão que escapa à maioria dos utilizadores, e às vezes é difícil depreender os sentidos do advérbio a partir da definição do adjectivo. Neste aspecto, o Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea, da Academia das Ciências/Verbo (2001), parece ser bastante completo, informando o utilizador do dicionário dos vários sentidos em que pode ser utilizado o advérbio. Neste caso específico, o advérbio invariavelmente não é apenas um advérbio de modo, significando “de maneira invariável” (ex.: A cena foi repetida três vezes invariavelmente), mas é também um advérbio de tempo, significando “todas as vezes, sem excepção” (ex.: Chegam invariavelmente atrasados às aulas).




Gostaria de saber se é correto usar vírgula antes de conjunção e?
O uso da vírgula, como o da pontuação em geral, é complexo, pois está intimamente ligado à decomposição sintáctica, lógica e discursiva das frases. Tradicionalmente, os sinais de pontuação (como o ponto, a vírgula, o ponto e vírgula e os dois pontos) têm sido entendidos como uma transposição para a escrita das pausas e do ritmo melódico da oralidade. Veja-se, a este respeito, o cap. 21, pp. 639-664, da Nova Gramática do Português Contemporâneo, de Celso CUNHA e Lindley CINTRA (14ª ed., Lisboa, Edições Sá da Costa, 1998). Este ponto de vista, apesar de muito divulgado e ensinado em contexto escolar, conduz a equívocos e dúvidas que dificilmente podem ser esclarecidos com esta forma de análise. Como exemplo do que acabou de ser dito, podemos referir que, se a vírgula servisse para indicar uma pausa, como é usualmente referido, seria possível uma vírgula separar grupos inseparáveis, como o sujeito do grupo verbal ou o verbo de um seu complemento obrigatório (ex.: *o rapaz, não comeu, nada; o asterisco indica agramaticalidade), pois na oralidade poderá ser feita uma pausa. Assim, e cada vez mais, a pontuação vem sendo entendida como um conjunto de sinais para tornar mais clara a sintaxe e a lógica do discurso, relacionando-se directamente com as construções sintácticas utilizadas e com a estrutura do discurso. Da mesma forma, no ensino, parece haver crescente consciência de que a pontuação não pode nunca ser ensinada isoladamente, mas deve acompanhar o estudo das diversas estruturas sintácticas.

Neste contexto, e servindo o ponto final, na sua essência, para delimitar uma unidade do discurso (período) iniciada por maiúscula, a vírgula surge como o delimitador de algumas estruturas sintácticas dentro do período.

Especificamente sobre a questão colocada, quando a vírgula indica uma coordenação não deverá anteceder a conjunção e, mas poderá surgir antes se apresentar a função de isolar ou separar determinado constituinte sintáctico.

Depois desta reflexão, analisem-se, a título de exemplo, as frases abaixo:
a) Ele respeita os sinais de trânsito, especialmente os limites de velocidade, e observa todas as regras.
b) As proibições, as obrigatoriedades e os limites de velocidade foram respeitados.

Em a), verifica-se utilização de vírgula a seguir à conjunção e porque entre as duas orações (Ele respeita os sinais de trânsito / observa todas as regras), coordenadas por esta conjunção, há um complemento adverbial, pertencente à primeira oração (especialmente os limites de velocidade), que tem de ser separado por vírgulas. O uso desta vírgula é independente do uso da conjunção e, pois, apesar de a vírgula ser usada muitas vezes para indicar uma coordenação, não está limitada a essa utilização. Se não existisse na frase o complemento adverbial especialmente os limites de velocidade, não haveria motivo para utilizar a vírgula antes da conjunção e (ex.: Ele respeita os sinais de trânsito e observa todas as regras.). Podemos concluir que em a) a vírgula tem a função de isolar o complemento adverbial que especifica o sintagma nominal os sinais de trânsito.

Em b), não poderá ser usada a vírgula antes da conjunção e, pois nesta frase a única função da vírgula é indicar uma coordenação (a frase é equivalente a As proibições e as obrigatoriedades e os limites de velocidade foram respeitados.). Como a coordenação já está indicada pela conjunção e, a vírgula não deve ser usada (alternativamente poderia haver uma frase em que a coordenação fosse feita exclusivamente com vírgulas: Proibições, obrigatoriedades, limites de velocidade foram respeitados.).

Servindo a pontuação e, mais especificamente, a vírgula, para delimitação de unidades sintácticas e orientação do leitor na leitura do texto, a relação entre as vírgulas e as pausas apenas é pertinente quando se trata da leitura oral de um texto, e não no sentido inverso, isto é, não na correspondência da marcação de vírgulas num texto a partir de pausas da oralidade, como sugerem muitos prontuários, gramáticas, dicionários e docentes. A este respeito, assinale-se pela positiva a definição de vírgula dada pelo Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea (Lisboa, Academia das Ciências de Lisboa/Verbo, 2001): "Sinal ortográfico de pontuação (,) que serve para separar ou isolar membros de uma frase e que corresponde, na leitura oral, a uma pausa de curta duração."

pub

Palavra do dia

cei·til cei·til
(árabe sebti, relativo a Ceuta)
substantivo masculino

1. [Numismática]   [Numismática]  Moeda do tempo de D. João I que valia 1/6 de real.

2. Soma de dinheiro, geralmente pouco (ex.: gastou o último ceitil). = TOSTÃO

3. Coisa insignificante. = BAGATELA, INSIGNIFICÂNCIA, NINHARIA

pub

Mais pesquisadas do dia

Siga-nos



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, https://dicionario.priberam.org/apara [consultado em 21-08-2019]