PT
BR
Pesquisar
Definições



acorde��o

Palavra não encontrada.

Sugerir a inclusão no dicionário da palavra pesquisada.



Dúvidas linguísticas


Morfologicamente, como classificamos a expressão "cerca de"?
A expressão cerca de é composta pelo (pouco usado) advérbio cerca seguido da preposição de, sequência (advérbio + preposição) que, segundo a Nova Gramática do Português Contemporâneo, de Celso Cunha e Lindley Cintra (Lisboa: Ed. João Sá da Costa, 1998, 14.ª ed., p. 541) faz dela uma locução prepositiva, isto é, uma locução que tem a função de uma preposição. Esta locução é assim classificada no Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea da Academia das Ciências de Lisboa, um dos raros dicionários que classificam as locuções; no entanto, em alguns contextos, esta locução tem um comportamento que a aproxima mais de um advérbio do que de uma preposição (ex.: esperei cerca de 30 minutos = esperei aproximadamente 30 minutos), pelo que nestes casos, deveria ser considerada uma locução adverbial.



Gostaria de saber se se diz pronto ou prontos numa frase como pronto(s), fica assim combinado. Já agora, o porquê, a explicação.
Apesar de ser muito usual em contextos informais, a forma prontos deverá ser evitada.

A palavra pronto pode corresponder a várias classes gramaticais com diferentes usos semânticos e sintácticos. Pronto pode ser, por exemplo, um adjectivo definido como "que está preparado ou em condições", sendo flexionável em género e número (ex.: a casa está pronta para as visitas; os quartos já estão prontos).

Frequentemente, pronto é usado como interjeição para indicar a conclusão de algo (ex.: pronto, ela finalmente terminou a carta), compreensão ou consolo (ex.: pronto, já está tudo bem) ou desagrado (ex.: pronto, estou farto). Neste caso, visto que as interjeições são uma classe de palavras invariáveis, é aconselhável usar apenas a forma pronto, independentemente do género ou número do sujeito.

A indicação acima tem em conta os registos lexicográficos da palavra e segue os conselhos mais comuns de consultores da língua. É possível, contudo, admitir que se possa formar outra interjeição de origem expressiva a partir da forma masculina plural do adjectivo (prontos), à semelhança de outras interjeições, formadas a partir de flexões plurais (ex.: caraças, céus, cruzes). A interjeição prontos é muito usual em registos coloquiais quotidianos, mas, como tal forma não é normalmente aceite em obras de referência, será desaconselhado utilizá-la.