Dicionário Priberam Online de Português Contemporâneo
Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub
pub

Pesquisa por "radiáreis" nas definições

actinogénico | adj.
    Que produz radiação eléctrica (tubo do aparelho radiográfico)....

fotoemissor | adj.
    Designativo de um corpo que emite electrões quando submetido à acção de radiações luminosas....

radiar | v. intr. | v. tr.
    Emitir raios de luz ou calor....

ultravioleta | adj. 2 g.
    Diz-se das radiações escuras, mais refrangíveis que o violeta....

fotossensível | adj. 2 g.
    Que é sensível à luz ou a radiações luminosas....

actino- | elem. de comp.
    Exprime a noção de raio ou radiação (ex.: actinometria)....

multirradiado | adj.
    Que apresenta grande número de raios (ex.: umbela multirradiada)....

extra-atmosférico | adj.
    Que está fora ou para além da atmosfera (ex.: espaço extra-atmosférico; radiação extra-atmosférica)....

antinuclear | adj. 2 g.
    Que se opõe ao uso de armas nucleares ou da energia nuclear (ex.: manifestantes antinucleares; protesto antinuclear)....

anti-radiação | adj. 2 g. 2 núm.
    Que protege da radiação (ex.: abrigo anti-radiação; fatos e máscaras anti-radiação)....

anti-radiações | adj. 2 g. 2 núm.
    Que protege das radiações (ex.: escudo anti-radiações; fato anti-radiações)....

radio- | elem. de comp.
    Exprime a noção de rádio, radiação ou acção radioactiva (ex.: radiocarbono; radiogénico; radioterapia)....

mutagénese | n. f.
    Processo pelo qual a informação genética de um organismo é alterada, quer naturalmente quer através de químicos ou radiação....

calorescência | n. f.
    Transformação, em radiações caloríficas de radiações luminosas absorvidas por uma superfície....

gama | n. m. | n. m. 2 núm. | n. f.
    Terceira letra do alfabeto grego (γ, Γ) correspondente ao G do alfabeto latino....

lâmpada | n. f.
    Vaso em que se acende luz alimentada a óleo....

laser | n. m.
    Fonte de luz monocromática, coerente e muito intensa, com aplicações no campo da medicina, da indústria, das telecomunicações, da biologia, entre outras....

quantum | n. m.
    Quantidade ou soma que não se designa....

Dúvidas linguísticas


É com espanto que vejo que na conjugação do verbo haver aparecer a forma houveram. Sempre aprendi que a 3.ª pessoa do plural do pretérito perfeito não existe. Podem-me explicar se é moda nova?!
A flexão do verbo haver varia consoante o seu emprego. Assim, quando este é empregue como verbo principal, com os sentidos de “existir” (em 1.a), de "ter decorrido" (em 2.a) e de “acontecer” (em 3.a), ele é impessoal, i.e., utiliza-se apenas na 3.ª pessoa do singular. Daí a má formação das frases 1.b), 2.b) e 3.b), assinaladas com asterisco (*):

1. a) Houve muitos deputados investigados.
b) * Houveram muitos deputados investigados.

2. a) Havia duas horas que estava à espera.
b) * Haviam duas horas que estava à espera.

3. a) Na semana passada houve muitos acidentes.
b) * Na semana passada houveram muitos acidentes.

Quando é empregue como verbo principal com outros sentidos que não os de "existir", "ter decorrido" ou "acontecer", é flexionado em todas as pessoas:

4. a) Os organizadores do colóquio houveram por bem encomendar uma sondagem. [achar, considerar]
b) E que bem se houveram os portugueses no confronto! [avir-se]

O verbo haver emprega-se ainda como auxiliar em tempos compostos, sendo também flexionado em todas as pessoas:

5. As encomendas haviam sido entregues.

Como se pode ver pelas frases 4-5, a 3.ª pessoa do plural do pretérito perfeito do verbo haver existe, pelo que o conjugador deve incluí-la, não podendo é ser utilizada nos casos em que o verbo é impessoal.




Como dizer correctamente: ...a área que mais lhe fascina ou ... a área que mais a fascina?
O verbo fascinar é tradicionalmente registado nos dicionários como transitivo directo, isto é, como um verbo que selecciona um complemento nominal obrigatório que não é introduzido por uma preposição (ex.: esta área fascinou o aluno), não sendo consideradas aceitáveis construções com um complemento indirecto, isto é, um complemento nominal obrigatório introduzido por uma preposição (ex.: *esta área fascinou ao aluno; o asterisco indica agramaticalidade). Quando há pronominalização dos complementos de terceira pessoa, o complemento directo corresponde aos pronomes pessoais o, a os, as e o complemento indirecto aos pronomes pessoais lhe, lhes. Assim, relativamente aos exemplos acima referidos, a pronominalização do complemento directo da frase esta área fascinou o aluno deve ser feita com o pronome o (esta área fascinou-o), pois trata-se de um complemento directo, e não com o pronome lhe (*esta área fascinou-lhe).

Em relação às frases apontadas na dúvida colocada, o caso é o mesmo. Deverá ser usada a construção a área que mais a fascina (equivalente a a área que mais fascina alguém) e não a construção *a área que mais lhe fascina (equivalente a *a área que mais fascina a alguém).

Palavra do dia

ro·ti·ná·ri·o ro·ti·ná·ri·o


(rotina + -ário)
adjectivo
adjetivo

Que segue a rotina ou é relativo a rotina (ex.: procedimento rotinário; tarefas rotinárias). = ROTINEIRO

pub

Mais pesquisadas do dia



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2021, https://dicionario.priberam.org/Pesquisar/radi%C3%A1reis [consultado em 21-10-2021]