Dicionário Priberam Online de Português Contemporâneo
Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub
pub

Pesquisa por "léria" nas definições

chonas | n. f. pl.
    Lábia, cantigas, lérias....

landainas | n. f. pl.
    Lérias, paleio, histórias da carochinha....

lero-lero | n. m.
    Emissão ou troca de palavras ou de frases de maneira informal ou sem grande importância; conversa fiada....

léria | n. f. | n. f. pl. | n. 2 g.
    Conversa para enganar....

lereia | n. f.
    Conversa inútil....

lona | n. f.
    Tecido grosso e forte para sacos, tendas, toldos, velas, etc....

treta | n. f. | n. f. pl.
    Ardil (empregado na luta) para vencer o contrário....

Dúvidas linguísticas


Gostaria de saber se a palavra meta informação leva hífen ou não, dado que meta termina em vogal e informação começa igualmente por vogal.
A palavra metainformação deverá ser escrita sem hífen e sem espaço entre os elementos que a compõem. O novo Acordo Ortográfico não altera a grafia desta palavra.

Com o Acordo de 1990, há, no entanto, uma alteração ortográfica que afecta este elemento meta-.
Segundo a interpretação do Acordo de 1945 de Rebelo Gonçalves, que é uma referência incontornável para a lexicografia portuguesa, este elemento prefixal não deve ser seguido de hífen em nenhuma circunstância (ex.: metacromatismo, metassíncrise).
Segundo o Acordo Ortográfico de 1990, na Base XVI, o prefixo meta- deverá ser seguido de hífen apenas se a palavra seguinte começar pela mesma vogal em que termina, isto é, por a (ex.: meta-análise), ou por h (ex.: meta-história).




Diz-se "vendem-se casas" ou "vende-se casas"?
Do ponto de vista exclusivamente linguístico, nenhuma das duas expressões pode ser considerada incorrecta.

Na frase Vendem-se casas, o sujeito é casas e o verbo, seguido de um pronome se apassivante, concorda com o sujeito. Esta frase é equivalente a casas são vendidas.

Na frase Vende-se casas, o sujeito indeterminado está representado pelo pronome pessoal se, com o qual o verbo concorda. Esta frase é equivalente a alguém vende casas.

Esta segunda estrutura está correcta e é equivalente a outras estruturas muito frequentes na língua com um sujeito indeterminado (ex.: não se come mal naquele restaurante; trabalhou-se pouco esta semana), apesar de ser desaconselhada por alguns gramáticos, sem contudo haver argumentos sólidos para tal condenação. Veja-se, por exemplo, a Nova Gramática do Português Contemporâneo, de Celso CUNHA e Lindley CINTRA [Edições Sá da Costa, 1984, 14ª ed., pp. 308-309], onde se pode ler “Em frases do tipo: Vendem-se casas. Compram-se móveis. considera-se casas e móveis os sujeitos das formas verbais vendem e compram, razão por que na linguagem cuidada se evita deixar o verbo no singular”.

Palavra do dia

pro·pri·a·gem pro·pri·a·gem


(redução de apropriagem)
nome feminino

1. [Chapelaria]   [Chapelaria]  Trabalho de acabamento do chapéu, depois da preparação do feltro ou da tintura. = APROPRIAGEM

2. [Chapelaria]   [Chapelaria]  Oficina onde se preparam chapéus.

pub

Mais pesquisadas do dia



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2021, https://dicionario.priberam.org/Pesquisar/l%C3%A9ria [consultado em 27-01-2022]