Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub

pub

Pesquisa por "franzirdes" nas definições

crispar | v. tr. e pron.
    Fazer ou adquirir rugas ou aspecto enrugado....

franzir | v. tr. | v. pron.
    Dispor em pregas miúdas....

froncil | adj. 2 g.
    Que tem pregas miudinhas....

meter | v. tr. | v. intr. | v. pron.
    Pôr dentro....

ondulado | adj.
    Que apresenta ondulações....

plissar | v. tr.
    Fazer dobras ou plissados em (ex.: plissar uma saia)....

preguear | v. tr. | v. tr., intr. e pron.
    Fazer pregas....

superciliar | adj. 2 g. | v. intr.
    Relativo a supercílio ou a sobrancelha (ex.: hematoma superciliar; tumefacção na região superciliar direita)....

pregar | v. tr. | v. tr., intr. e pron.
    Fazer pregas....

funéu | n. m.
    Cordão que passa por dentro de uma bainha, permitindo que esta se franza ou desfranza....

crespo | adj. | n. m. | n. m. pl.
    Cuja superfície é desigual, cheia de altos e baixos....

babado | adj. | n. m.
    Que se babou; que está sujo de baba....

ruche | n. f.
    Adorno ou guarnição em que há franzidos, pregas ou tufos....

pafo | n. m.
    Pedaço de tecido franzido e frouxo que adornas algumas vestes femininas....

balona | n. f. | n. f. pl.
    Grande gola ou colarinho caído sobre os ombros....

franzido | n. m. | adj.
    Efeito de franzir; coisa franzida....

Dúvidas linguísticas


A palavra vigilidade, que tem origem na palavra vígil, tem suscitado alguma controvérsia na área em que estou envolvido. É um termo que é utilizado nalguns trabalhos de psicologia e por algumas instituições nacionais ligadas aos medicamentos (ex: INFARMED). No entanto, não encontrei a palavra nos dicionários que consultei, inclusivamente o da Priberam. Alternativamente a palavra utililizada é vigilância. Assim, gostaria de saber a vossa opinião sobre este assunto.
Também não encontrámos a palavra vigilidade registada em nenhum dos dicionários ou vocabulários consultados. No entanto, este neologismo respeita as regras de boa formação da língua portuguesa, pela adjunção do sufixo -idade ao adjectivo vígil, à semelhança de outros pares análogos (ex.: dúctil/ductilidade, eréctil/erectilidade, versátil/versatilidade). O sufixo -idade é muito produtivo na língua para formar substantivos abstractos, exprimindo frequentemente a qualidade do adjectivo de que derivam.

Neste caso, existem já os substantivos vigília e vigilância para designar a qualidade do que é vígil, o que poderá explicar a ausência de registo lexicográfico de vigilidade. Como se trata, em ambos os casos, de palavras polissémicas, o uso do neologismo parece explicar-se pela necessidade de especialização no campo da medicina, psicologia e ciências afins, mesmo se nesses campos os outros dois termos (mas principalmente vigília, que surge muitas vezes como sinónimo de estado vígil) têm ampla divulgação.




É correto dizer "sói acontece"? Ou seria "sói acontecer"?
O verbo soer, sinónimo de costumar ou ser frequente, é actualmente de uso raro na língua, conjugando-se principalmente nas terceiras pessoas do presente (sói, soem) e do pretérito imperfeito (soía, soíam) do indicativo.

Pesquisas em corpora e em motores de busca revelam uma frequência mais elevada deste verbo nos séculos XV e XVI, nomeadamente em obras de autores como Fernão Lopes, Garcia de Resende, Bernardim Ribeiro, João de Barros ou Luís de Camões, ocorrendo em construções transitivas, sobretudo com orações infinitivas (ex.: que reis e duques soíam temer), e intransitivas (ex.: e ali folgou o rei mais do que soía; que os navios fossem e voltassem como soíam).

Presentemente, o emprego do verbo soer é essencialmente erudito, recaindo maioritariamente em construções com orações infinitivas como complemento directo (ex.: um filme alternativo, como sói dizer-se; a figura do professor, que soía ser uma referência, tem vindo a esbater-se) ou como sujeito (ex.: soía fazer frio no Inverno, mas agora nem as aves migram).

Palavra do dia

jan·ga·la·mar·te jan·ga·la·mar·te


(origem duvidosa)
nome masculino

[Brasil: Nordeste]   [Brasil: Nordeste]  Brinquedo composto por uma tábua cujas extremidades se elevam e baixam alternativamente a impulso de quem cavalga em cada uma delas. = ARRE-BURRINHO, GANGORRA, JANGALAMASTE

pub

Mais pesquisadas do dia



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2021, https://dicionario.priberam.org/Pesquisar/franzirdes [consultado em 15-06-2021]