PT
BR
Pesquisar
Definições



travado

A forma travadopode ser [masculino singular particípio passado de travartravar], [adjectivoadjetivo] ou [nome masculino plural].

Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!
travadotravado
( tra·va·do

tra·va·do

)


adjectivoadjetivo

1. Unido, ligado estreitamente.

2. Íntimo.

3. Peado.

4. Atravancado; embaraçado; impedido.

5. Começado; entabulado.

6. Represado.

7. Encarniçado; renhido.

8. Tartamudo.

9. Que anda com travas ou tem o andamento adquirido com travas (cavalo).

10. Que tem o freio cortado (língua).

11. Diz-se do passo de andadura (do cavalo).

12. Diz-se da besta calçada de branco no pé e na mão do mesmo lado.

13. Diz-se dos dentes da serra que não estão todos no mesmo plano.

travados


nome masculino plural

14. Diz-se dos ventos fortes da Guiné.

etimologiaOrigem etimológica:particípio de travar.
travartravar
( tra·var

tra·var

)
Conjugação:regular.
Particípio:regular.


verbo transitivo

1. Encadear ou prender peças de madeira fazendo entrar os espigões nas chanfraduras ou somente apoiando a superfície de uma peça na entalhadura de outra peça.

2. Cruzar, encruzar; entrelaçar.

3. Apertar o travão contra a roda do veículo.

4. Afrouxar ou suspender o movimento dos veículos, travando-lhes as rodas.

5. [Figurado] [Figurado] Impedir o movimento de.

6. Prender a besta com trava.

7. [Figurado] [Figurado] Agarrar, segurar.

8. Entabular.

9. Principiar, começar.

10. Amargurar, azedar.

11. Ocupar, obstruir.

12. Rematar a obra.

13. [Técnica] [Técnica] Dar mais largo talho à serra com a travadeira.


verbo transitivo e intransitivo

14. [Portugal] [Portugal] Inalar e reter nos pulmões (ex.: travar o fumo; fuma sem travar). = TRAGAR


verbo intransitivo

15. Amargar, ter sabor áspero.

16. Valer-se de; lançar mão.

17. Tomar incremento, acender-se, atear-se.


verbo pronominal

18. Unir-se, andar de companhia.

19. Ligar-se, enlaçar-se, tecer-se.

20. Cruzar-se.

etimologiaOrigem etimológica:trave + -ar.

Auxiliares de tradução

Traduzir "travado" para: Espanhol Francês Inglês

Anagramas



Dúvidas linguísticas



Gostaria de saber a vossa definição da palavra antropofágico e gostaria também que me dessem um exemplo de como a palavra escatológico pode ser usada com vários sentidos.
O adjectivo antropofágico designa o que é relativo a antropofagia ou a antropófago (cujas definições poderá encontrar no Dicionário da Língua Portuguesa On-line, seguindo as hiperligações) e pode, na maioria dos contextos, ser sinónimo de canibalesco.

O adjectivo escatológico diz respeito a escatologia, mas, atendendo a que esta palavra corresponde a dois homónimos (isto é, palavras que se escrevem e lêem de maneira igual, mas que têm significados e etimologias diferentes), pode ter significados diferentes consoante os contextos. Por exemplo, humor escatológico poderá dizer respeito ao humor feito com recurso a alusões aos excrementos e necessidades fisiológicas; por outro lado, filosofia escatológica poderá dizer respeito à filosofia que trata do que pode acontecer no fim do mundo ou no fim dos tempos.




A minha dúvida é a respeito da etimologia de determinadas palavras cuja raiz é de origem latina, por ex. bondade, sensibilidade, depressão, etc. No Dicionário Priberam elas aparecem com a terminação nominativa mas noutros dicionários parece-me que estão na terminação ablativa e não nominativa. Gostaria que me esclarecessem.
O Dicionário Priberam da Língua Portuguesa regista, por exemplo, na etimologia de bondade, sensibilidade ou depressão, as formas que são normalmente enunciadas na forma do nominativo, seguida do genitivo: bonitas, bonitatis (ou bonitas, -atis); sensibilitas, sensibilitatis (ou sensibilitas, -atis) e depressio, depressionis (ou depressio, -onis).

Noutros dicionários gerais de língua portuguesa, é muito usual o registo da etimologia latina através da forma do acusativo sem a desinência -m (não se trata, como à primeira vista pode parecer, do ablativo). Isto acontece por ser o acusativo o caso lexicogénico, isto é, o caso latino que deu origem à maioria das palavras do português, e por, na evolução do latim para o português, o -m da desinência acusativa ter invariavelmente desaparecido. Assim, alguns dicionários registam, por exemplo, na etimologia de bondade, sensibilidade ou depressão, as formas bonitate, sensibilitate e depressione, que foram extrapoladas, respectivamente, dos acusativos bonitatem, sensibilitatem e depressionem.

Esta opção de apresentar o acusativo apocopado pode causar alguma perplexidade nos consulentes dos dicionários, que depois não encontram estas formas em dicionários de latim. Alguns dicionários optam por assinalar a queda do -m, colocando um hífen no final do étimo latino (ex.: bonitate-, sensibilitate-, depressione-). Outros, mais raros, como o Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea da Academia das Ciências de Lisboa ou o Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa optaram por enunciar os étimos latinos (ex.: bonitas, -atis; sensibilitas, -atis, depressio, -onis), não os apresentando como a maioria dos dicionários; o Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea da Academia das Ciências de Lisboa não enuncia o étimo latino dos verbos, referenciando apenas a forma do infinitivo (ex.: fazer < facere; sentir < sentire).