PT
BR
Pesquisar
Definições



saco

A forma sacopode ser [primeira pessoa singular do presente do indicativo de sacarsacar] ou [nome masculino].

Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!
sacosaco
( sa·co

sa·co

)


nome masculino

1. Receptáculo flexível, geralmente mais comprido que largo, aberto por cima e cosido ou colado por baixo e dos lados (ex.: colocou as laranjas num saco de papel; saco de asas; saco transparente).

2. Conteúdo desse receptáculo.

3. Bolsa de levar na mão ou a tiracolo.

4. Fole ou tufo feito por uma peça de vestuário.

5. Objecto ou estrutura com forma de saco.

6. [Anatomia] [Anatomia] Bolsa anatómica (ex.: saco escrotal; saco herniário).

7. [Ornitologia] [Ornitologia] Género de pássaros conirrostros.

8. [Botânica] [Botânica] Cavidade, bolsa.

9. [Pesca] [Pesca] Rede de forma cónica que, nos aparelhos de arrastar e nos de cerco, serve para recolher a pescaria.

10. Parte mais interior de uma enseada.

11. [Informal, Depreciativo] [Informal, Depreciativo] Pessoa gorda e desajeitada.

12. [Brasil, Informal] [Brasil, Informal] Coisa aborrecida (ex.: achei o filme um saco; que saco que tá isso aqui). = CHATICE, MAÇADA

13. [Brasil, Informal] [Brasil, Informal] Paciência (ex.: não sei como você ainda tem saco para isso).

14. [Antigo] [Antigo] Saque.

15. [Antigo] [Antigo] Hábito fúnebre ou de penitência.


cagar de saco

[Portugal: Madeira, Informal] [Portugal: Madeira, Informal] Dar-se ares de entendido ou de importante sem o ser de verdade.

cair em saco roto

[Informal] [Informal] Ser ignorado ou desaproveitado (ex.: tudo o que te digo cai em saco roto).

despejar o saco

[Informal] [Informal] Desabafar.

encher o saco

Acumular dinheiro ou lucros.

[Brasil, Informal] [Brasil, Informal] Fazer perder ou perder a paciência (ex.: chega, enchi o saco dessa conversa; pare de encher o saco do menino). = CHATEAR, INCOMODAR, IMPORTUNAR

puxar o saco

[Brasil, Informal] [Brasil, Informal] Elogiar de modo servil. = BAJULAR

saco azul

[Portugal] [Portugal] Conjunto de valores, geralmente de dinheiro público, proveniente de receitas eventuais e reservado para despesas não orçamentadas.

[Portugal] [Portugal] Conjunto de valores que não entra nos registos contabilísticos legais e é usado para fins ilícitos ou para fuga ao fisco. (Equivalente no português do Brasil: caixa dois.)

saco de gatos

[Informal] [Informal] Grande desorganização ou confusão (ex.: a oposição está um saco de gatos).

Conjunto de coisas ou pessoas muito diferentes ou que têm pouco em comum (ex.: este grupo é um saco de gatos).

saco vitelino

[Biologia] [Biologia]  Espécie de bolsa cheia de gema que os ovíparos trazem ao nascer.

torrar o saco

[Brasil, Informal] [Brasil, Informal] Fazer perder ou perder a paciência; encher o saco.

etimologiaOrigem etimológica:latim saccus, -us, saco para filtrar, alforge.
Colectivo:Coletivo:Coletivo:sacaria.
sacarsacar
( sa·car

sa·car

)
Conjugação:regular.
Particípio:regular.


verbo transitivo

1. Tirar à força ou com violência. = ARRANCAR, EXTRAIR, PUXAR

2. Tirar de dentro para fora, geralmente de forma rápida; fazer sair (ex.: sacou a pistola; não conseguiu sacar da arma). = PUXAR

3. Conseguir alguma coisa com esforço ou dificuldade (ex.: sacar informação). = COLHER, OBTER, TIRAR

4. Tirar ou conseguir algo para benefício próprio, geralmente contra a vontade de alguém. = AUFERIR, LUCRAR

5. Fazer levantamento de dinheiro (ex.: sacar um cheque; foi à máquina para sacar dinheiro).

6. [Economia] [Economia] Passar uma letra de câmbio ou emitir um título de crédito sobre uma pessoa ou entidade.

7. [Portugal, Informal] [Portugal, Informal] [Informática] [Informática] Transferir para um computador (ex.: sacar um programa).

8. [Portugal, Informal] [Portugal, Informal] Fazer conquista amorosa ou sexual. = ENGATAR

9. [Brasil, Informal] [Brasil, Informal] Alcançar ou conceber com a inteligência (ex.: não precisa de explicar mais, já saquei tudo; sacou uma solução genial). = COMPREENDER, ENTENDER, PERCEBER

10. [Brasil, Informal] [Brasil, Informal] Aperceber-se pelos sentidos (ex.: sacou logo que estava a ser observado).


verbo intransitivo

11. [Brasil] [Brasil] Emitir opinião ou sugestão; dar palpite. = PALPITAR

12. [Brasil] [Brasil] Dizer o que não é verdade. = MENTIR

13. [Brasil] [Brasil] [Desporto] [Esporte] Colocar a bola em jogo, lançando-a por cima da rede para o campo do adversário em jogos como o ténis ou o voleibol. = SERVIR


verbo pronominal

14. Conseguir evitar determinada situação. = ESCAPAR, ESQUIVAR-SE, LIVRAR-SE, SAFAR-SE

etimologiaOrigem etimológica:talvez do gótico sakan, pleitear.

Auxiliares de tradução

Traduzir "saco" para: Espanhol Francês Inglês


Dúvidas linguísticas



Por que motivo algumas palavras fazem o diminutivo com S e outras com Z?
Entre os sufixos mais produtivos para a formação de diminutivos encontram-se -inho e -zinho. Desta forma, poderá, por exemplo, formar as palavras livrinho (livro + -inho) e livrozinho (livro + -zinho). Só poderá haver um -s- num diminutivo se a palavra primitiva já o contiver, pois não há, em português, um sufixo -sinho. Por exemplo, nas palavras adeusinho ou vasinho há um -s- porque as palavras são formadas de adeus ou vaso + -inho.



Gostaria de saber se escrever ou dizer o termo deve de ser é correcto? Eu penso que não é correcto, uma vez que neste caso deverá dizer-se ou escrever deverá ser... Vejo muitas pessoas a usarem este tipo de linguagem no seu dia-a-dia e penso que isto seja uma espécie de calão, mas já com grande influência no vocabulário dos portugueses em geral.
Na questão que nos coloca, o verbo dever comporta-se como um verbo modal, pois serve para exprimir necessidade ou obrigação, e como verbo semiauxiliar, pois corresponde apenas a alguns dos critérios de auxiliaridade geralmente atribuídos a verbos auxiliares puros como o ser ou o estar (sobre estes critérios, poderá consultar a Gramática da Língua Portuguesa, de Maria Helena Mira Mateus, Ana Maria Brito, Inês Duarte e Isabel Hub Faria, pp. 303-305). Neste contexto, o verbo dever pode ser utilizado com ou sem preposição antes do verbo principal (ex.: ele deve ser rico = ele deve de ser rico). Há ainda autores (como Francisco Fernandes, no Dicionário de Verbos e Regimes, p. 240, ou Evanildo Bechara, na sua Moderna Gramática Portuguesa, p. 232) que consideram existir uma ligeira diferença semântica entre as construções com e sem a preposição, exprimindo as primeiras uma maior precisão (ex.: deve haver muita gente na praia) e as segundas apenas uma probabilidade (ex.: deve de haver muita gente na praia). O uso actual não leva em conta esta distinção, dando preferência à estrutura que prescinde da preposição (dever + infinitivo).