Dicionário Priberam Online de Português Contemporâneo
Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub
pub

roupa-de-franceses

roupa-de-francesesroupa-de-francesesroupa de franceses | n. f.
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

rou·pa·-de·-fran·ce·ses rou·pa·-de·-fran·ce·ses rou·pa de fran·ce·ses


nome feminino

Coisa de que todos lançam mão.


• Grafia no Brasil: roupa de franceses.

• Grafia alterada pelo Acordo Ortográfico de 1990: roupa de franceses.
• Grafia anterior ao Acordo Ortográfico de 1990: roupa-de-franceses


• Grafia em Portugal: roupa-de-franceses.
pub

Parecidas

Esta palavra no dicionário

Ver mais

Esta palavra em blogues

Ver mais

a homens e mulheres enquanto elas não forem realmente iguais dentro de casa. Quando passar a ser normal e habitual um homem tirar licença de maternidade, passar a ferro, estender roupa , aspirar e fazer o jantar, também será normal e habitual ver mais mulheres em cargos de chefia e a progredirem na

Em As minhas Receitas

bons quando cumprirem a parte da vida que lhes foi destinada. Mergulho e dou umas braçadas largas em direção às Américas, mas isso não é navegar, pois não? O mar acaba por me devolver sempre à areia, como no poema de Ruy Belo sobre o país que o mar não quer. L’Eté Indien, chamam os franceses quando o

Em a peida é um regalo ... do nariz a gente trata

, cifradas, chanfradas, iniciáticas. Sim, um pouco mais claras talvez Agora que saí da banheira reciclado Pingando água & sabão como um justo. Não tem nem causa mal ser comum Em dia assim pluvial & qualquer-um. Roupa lavada, decente, pronto Me aguardava sobre o tálamo amplo Em que à jacência dou de sono

Em daniel abrunheiro

tripulantes da Vasp por dez anos, a partir de 1963. Até essa época, os uniformes da tripulação da Varig eram originários da França. “As pessoas compravam roupa especial para viajar porque era um evento. As mulheres vestiam os melhores casacos de pele, era uma coisa maravilhosa, todo mundo elegantérrimo

Em NOTÍCIAS SOBRE AVIAÇÃO AVIATION NEWS

, vivesse eu em França e ousasse dizer coisas assim sobre os franceses , não demoraria a que me chegassem a roupa ao pêlo. Como sabes não é este o primeiro tarado que enfrento e infelizmente não será o último. Às ameaças desse género também já me habituei e, sejam anónimas ou assinadas, vão como de costume

Em TEMPO CONTADO
Blogues do SAPO

Dúvidas linguísticas


Peço auxílio para a composição de palavras com prefixos gregos e latinos. Quando são em justaposição e quando são em aglutinação? Minha dúvida neste momento é com a palavra intra + esclerótico.
A existência ou não de hífen depois de prefixos gregos e latinos é difícil de sistematizar em poucas linhas, pois isso difere consoante os prefixos (há até divergências ligeiras entre a norma europeia e a norma brasileira do português, por serem diferentes as obras de maior referência neste aspecto).

No caso de intra- (este caso aplica-se também aos prefixos contra-, extra-, infra-, supra- e ultra-), de acordo com a Base XXIX do Acordo Ortográfico de 1945, deve usar-se hífen antes de palavras iniciadas por vogal (ex.: intra-arterial, intra-ocular), h (ex.: intra-hepático), r (ex.: intra-raquidiano) ou s (ex.: intra-sinovial). Assim sendo, deve escrever-se intra-esclerótico segundo o Acordo Ortográfico de 1945, para o português de Portugal, ou o Formulário Ortográfico de 1943, para o português do Brasil.

Com a aplicação do Acordo Ortográfico de 1990, e segundo a Base XVI, o prefixo intra- (assim como todos os prefixos ou elementos prefixais com o mesmo contexto ortográfico, isto é, terminados na letra a) deve aglutinar-se sempre com o elemento seguinte (ex.: intraocular), excepto se este começar por a (ex.: intra-arterial) ou h (ex.: intra-hepático). No caso de o elemento seguinte começar por r ou s, essas consoantes devem ser dobradas (ex.: intrarraquidiano, intrassinovial). Assim sendo, deve escrever-se intraesclerótico segundo o Acordo Ortográfico de 1990.




A utilização de aspas dentro de aspas é correta, como quando, por exemplo, se realça uma palavra dentro de uma citação, ou se cita algo dentro de outra citação? Exemplo: "Nos casos do art. 41 há referência aos "casos expressos em lei" (palavras realçadas). Um deles está bem perto, que é o do art. 42, § 1.º" (fim de citação). Outras dúvidas relacionadas: O que fazer quando a palavra realçada for a última da citação, fazendo com que as aspas de uma e outra coincidam? Utilizam-se uma ou duas aspas no final da frase? Exemplo: "Nos casos do art. 41 há referência aos "casos expressos em lei". ou "Nos casos do art. 41 há referência aos "casos expressos em lei"". As aspas vêm antes ou depois do ponto final numa citação? Exemplo: "Eu adoro chocolate". ou "Eu adoro chocolate."
Nos exemplos citados, as aspas estão a ser usadas para identificar uma citação e para destacar uma parte do texto. Estes são dois usos possíveis para as aspas, mas o seu emprego simultâneo pode gerar confusão no leitor, que poderá considerar que se trata de uma citação dentro de uma citação. Por este motivo, para tornar mais claro um destaque dentro de uma citação, será aconselhável recorrer a outra maneira de dar destaque gráfico, como o itálico (ex.: "Nos casos do art. 41 há referência aos casos expressos em lei"), o sublinhado (ex.: "Nos casos do art. 41 há referência aos casos expressos em lei"), o negro (ex.: "Nos casos do art. 41 há referência aos casos expressos em lei") ou a combinação de dois ou mais destes destaques gráficos (ex.: "Nos casos do art. 41 há referência aos casos expressos em lei").

Não é, no entanto, incorrecta a utilização de aspas dentro de aspas, devendo haver o cuidado de fechar cada um dos conjuntos de aspas, mesmo que isso origine sinais repetidos (ex.: "Nos casos do art. 41 há referência aos "casos expressos em lei""); nestes casos, poderá optar pelo uso de aspas diferentes (ex.: "Nos casos do art. 41 há referência aos «casos expressos em lei»").


pub

Palavra do dia

fan·til fan·til


(origem obscura)
adjectivo de dois géneros
adjetivo de dois géneros

1. Que tem bom tamanho e é considerado de boa raça (ex.: cavalo fantil).

2. Que tem os traços certos ou ideais para produzir boas crias (ex.: égua fantil).

pub

Mais pesquisadas do dia



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2021, https://dicionario.priberam.org/roupa-de-franceses [consultado em 06-07-2022]