Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub

pub
retesoreteso | adj.
1ª pess. sing. pres. ind. de retesarretesar
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

re·te·so |ê| re·te·so |ê|
adjectivo
adjetivo

Que está muito teso ou muito tenso. = ESTICADO, HIRTO


re·te·sar re·te·sar - ConjugarConjugar
verbo transitivo

1. Tornar tenso, hirto; esticar; endireitar; tornar rijo, teso.

verbo pronominal

2. Entesar-se; tornar-se tenso; enrijar.

pub

Auxiliares de tradução

Traduzir "reteso" para: Espanhol | Francês | Inglês

Parecidas

Palavras vizinhas

Esta palavra em blogues

Ver mais
Blogues do SAPO

Esta palavra no Twitter

Dúvidas linguísticas


Quando se estuda a nomenclatura das substâncias químicas orgânicas, usam-se os prefixos et-, met-, prop- e but- para definir ou restringir certas características de tais substâncias. De onde vieram esses prefixos? Seriam latinos? Quais seriam os significados originais ou literais deles?
Os elementos de composição prefixais que refere resultam de reduções de palavras, normalmente de origem grega, mas frequentemente com influência latina.

But- é redução de butírico, que por sua vez deriva do grego boúturon, "manteiga", através do latim butyrum, como outras palavras que contêm o elemento butir-. Et- é redução de éter, que tem origem no grego aithêr "céu", pelo latim aether. Met- é redução de metilo, que tem origem no grego méthu, “vinho” e em húle,”madeira”. Em relação a prop-, trata-se de uma redução de propiónico, derivado do grego pró, "diante de", "antes" e de píon "gordo".




O FLIP4 considera errado contraofensiva, propondo contra-ofensiva. Todavia, segundo o Acordo Ortográfico Da Língua Portuguesa de 1990 ainda em vigor, pode ver-se na sua BASE XVI, Art.º 1.º, Alínea b) que a vossa proposta está errada. De facto, diz-se ali (só se emprega o hífen nos seguintes casos) «Nas formações em que o prefixo ou pseudoprefixo termina na mesma vogal com que se inicia o segundo elemento: anti-ibérico, contra-almirante, infra-axilar, supra-auricular [...], semi-interno.»
A ortografia vigente em Portugal à data do lançamento do FLiP 4 (2002) seguia o Acordo Ortográfico de 1945 (1), que estipula, na Base XXIX, que o hífen se emprega em "compostos formados com os prefixos contra, extra (exceptuando-se extraordinário), infra, intra, supra e ultra, quando o segundo elemento tem vida à parte e começa por vogal, h, r ou s: contra-almirante, contra-ataque, contra-estrutura, contra-harmónico, contra-indicação [...]".

(1) Mais tarde, em 1971 e 1973, foram promulgadas leis, em Portugal e no Brasil, que visavam reduzir as divergências de ortografia entre os dois países. Em 1986 foi redigido um novo texto de homogeneização ortográfica que, devido às reacções públicas obtidas, não chegou a entrar em vigor. O Acordo de 1990, apesar de pretender ser um compromisso entre o texto de 1945 e o de 1986, só entrou em vigor em 13 de Maio de 2009.

pub

Palavra do dia

xer·ga |ê| xer·ga |ê|
(latim serica, -orum, tecidos ou vestidos de seda)
substantivo feminino

1. [Antigo]   [Antigo]  Tecido grosseiro de lã. = BUREL, ESTAMENHA

2. [Regionalismo]   [Regionalismo]  Manta grosseira em que se transporta a palha trilhada das eiras.

3. [Regionalismo]   [Regionalismo]  Manta que se estende debaixo das oliveiras quando se vareja a azeitona.

4. [Portugal: Trás-os-Montes]   [Portugal: Trás-os-Montes]  Espécie de colchão de palha. = ENXERGA

5. [Brasil]   [Brasil]  Espécie de almofada que se põe por baixo da albarda das bestas.

pub

Mais pesquisadas do dia

Siga-nos



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, https://dicionario.priberam.org/reteso [consultado em 17-08-2019]