Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub

pub
rentréerentrée | s. f.
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

rentrée
(palavra francesa)
substantivo feminino

1. Reabertura dos teatros no começo do ano dramático.

2. Nova aparição, após uma ausência, de um artista titular de um papel.

3. Reinício de actividades ou de funções de uma instituição, geralmente após férias (ex.: rentrée política, rentrée escolar).

Plural: rentrées.Plural: rentrées.
pub

Parecidas

Palavras vizinhas

Esta palavra em blogues

Ver mais
Blogues do SAPO

Esta palavra no Twitter

Dúvidas linguísticas


Na frase por defeito é esta a directoria, gostava de saber se o termo por defeito pode ou não ser utilizado. Fui corrigido por alguém que diz que o termo correcto é por omissão.
Para além do Dicionário Priberam da Língua Portuguesa, o Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea da Academia das Ciências/Verbo é o único dicionário consultado que regista a locução adverbial por defeito, mas mesmo este dicionário, que habitualmente averba mais locuções do que os outros dicionários de língua, regista apenas uma acepção de por defeito que se opõe a por excesso (ex.: estimou a despesa por defeito), não contemplando a acepção que corresponde ao uso indicado na frase que menciona (por defeito é esta a directoria).
Este último uso é muito frequente para indicar determinada característica ou acção que está de acordo com uma configuração predefinida, por ausência de acção ou de intervenção de um utilizador ou agente.

Apesar de não haver registo na maioria dos dicionários consultados e de haver quem afirme que se trata de um decalque do inglês in default ou by default, não parece haver motivo sólido para condenar esta utilização da locução por defeito, mesmo porque é usada uma locução equivalente noutras línguas românicas como o francês (par défaut), o espanhol (por defecto) ou o catalão (per defecte).

A locução por omissão pode ser uma alternativa, mas, da mesma forma que um dos argumentos para não utilizar por defeito é não ter a palavra defeito uma acepção que indique uma ‘opção seleccionada automaticamente salvo se for indicada outra’, como acontece no inglês, também a palavra omissão não a tem, podendo apenas o seu sentido ser depreendido da acepção que indica ‘o acto de omitir algo’ ou ‘aquilo que é omitido’.

Uma alternativa clara a estas duas locuções poderia ser por predefinição, locução usada em algumas aplicações informáticas.




Devemos colocar um hífen a seguir a "não" em palavras como "não-governamental"? "Não governamental" é igual a "não-governamental"? O novo Acordo Ortográfico de 1990 muda alguma coisa?
A utilização e o comportamento de não- como elemento prefixal seguido de hífen em casos semelhantes aos apresentados é possível e até muito usual e tem sido justificada por vários estudos sobre este assunto.

Este uso prefixal tem sido registado na tradição lexicográfica portuguesa e brasileira em dicionários e vocabulários em entradas com o elemento não- seguido de adjectivos, substantivos e verbos, mas como virtualmente qualquer palavra de uma destas classes poderia ser modificada pelo advérbio não, o registo de todas as formas possíveis seria impraticável e de muito pouca utilidade para o consulente.

O Acordo Ortográfico de 1990 não se pronuncia em nenhum momento sobre este elemento.

Em 2009, o Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa (VOLP) da Academia Brasileira de Letras (ABL), sem qualquer explicação ou argumentação, decidiu excluir totalmente o uso do hífen neste caso, pelo que as ferramentas da Priberam para o português do Brasil reconhecerão apenas estas formas sem hífen. Sublinhe-se que esta é uma opção que decorre da publicação do VOLP e não da aplicação do Acordo Ortográfico.

Também sem qualquer explicação ou argumentação, os "Critérios de aplicação das normas ortográficas ao Vocabulário Ortográfico do Português"  [versão sem data ou número, consultada em 01-02-2011] do Vocabulário Ortográfico do Português (VOP), desenvolvido pelo Instituto de Linguística Teórica e Computacional (ILTEC), e adoptado pela Resolução do Conselho de Ministros n.º 8/2011 do governo português, aprovada em 9 de Dezembro de 2010 e publicada no Diário da República n.º 17, I Série, pág. 488, em tudo à semelhança do VOLP da ABL, afirmam excluir o uso do hífen nestes casos. A aplicar-se este critério, deve sublinhar-se que esta é uma opção que decorre da publicação do VOP e não da aplicação do Acordo Ortográfico. No entanto, a consulta das entradas do VOP [em 01-02-2011] permite encontrar formas como não-apoiado, não-eu, não-filho, o que implica o efectivo reconhecimento da produtividade deste elemento. Por este motivo, os correctores e o dicionário da Priberam para o português europeu reconhecerão formas com o elemento não- seguido de hífen (ex.: não-agressão, não-governamental). A este respeito, ver também os Critérios da Priberam relativamente ao Acordo Ortográfico de 1990.

pub

Palavra do dia

ní·ve·o ní·ve·o
(latim niveus, -a, -um)
adjectivo
adjetivo

1. [Linguagem poética]   [Linguagem poética]  Da neve ou a ela relativo (ex.: brancura nívea).

2. [Linguagem poética]   [Linguagem poética]  De cor semelhante à da neve (ex.: cabelos níveos; pele nívea; tez nívea). = BRANCO

pub

Mais pesquisadas do dia

Siga-nos



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2020, https://dicionario.priberam.org/rentr%C3%A9e [consultado em 22-02-2020]