Dicionário Priberam Online de Português Contemporâneo
Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub
pub

para-

parapara | prep.
pára-para-pára-para- | pref.
para-para- | pref.
páraparapárapara | n. 2 g.
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

pa·ra pa·ra


(latim per, por, através de + latim ad, para, em direcção de)
preposição

1. Exprime direcção ou lugar de destino (ex.: arrancou para o Sul; a casa está virada para norte).

2. Exprime lugar de destino com intuito de demora (ex.: foram para Londres e só regressaram passados 30 anos).

3. Indica destinatário ou beneficiário (ex.: trouxe bolinhos para vocês).

4. Indica limite temporal aproximado (ex.: a abertura está prevista para sábado; o vestido está pronto para a semana).

5. Usa-se para indicar a hora exacta que se completará quando passarem os minutos referidos, menos de 30 (ex.: faltam cinco para a uma).

6. Usa-se para exprimir finalidade ou propósito (ex.: lutou para conseguir o que queria; deixaram documentação para que possamos analisar o caso; espremedor para citrinos).

7. Indica intenção (ex.: ando para comprar esse livro).

8. Indica especificidade, aptidão ou adequação de alguma coisa (ex.: comprimido para as dores; casaco para o frio).

9. Indica restrição (ex.: o filme é para maiores de 18 anos).

10. Indica ponto de vista (ex.: para os atletas, o treinador é um modelo).

11. Indica relação, proporção ou comparação (ex.: 1 está para 10 assim como 20 está para 200).


para que
Indica o fim, o objectivo ou a consequência de determinada acção (ex.: preciso de mais tempo, para que isto seja bem feito). = A FIM DE QUE

Confrontar: pára, forma do verbo parar.

pára- |pà|para- |pà|pára- |pà|para- |pà|


(forma do verbo parar)
prefixo

Elemento designativo de aquilo ou aquele que protege ou ampara (ex.: pára-quedas, pára-raios).


• Grafia alterada pelo Acordo Ortográfico de 1990: para-.
• Grafia anterior ao Acordo Ortográfico de 1990: pára-.


• Grafia alterada pelo Acordo Ortográfico de 1990: para-.
• Grafia anterior ao Acordo Ortográfico de 1990: pára-


para- para-


(latim paro, -are, preparar, esforçar-se para obter ou conseguir)
prefixo

Entra na composição de um grande número de palavras com várias significações: ao lado, além, acima de, a par de, à volta de, para, contra, quase (ex.: paranormal, paraolímpico, paratexto).



pá·ra |pá|pa·ra |pá|pá·ra |pá|pa·ra |pá|


(redução de pára-quedista)
nome de dois géneros

[Portugal, Informal]   [Portugal, Informal]   [Militar]   [Militar]  Soldado especialmente exercitado para descer em pára-quedas na retaguarda inimiga, ou para praticar destruições em pontos estratégicos (ex.: os páras participaram no ataque). = PÁRA-QUEDISTA


• Grafia alterada pelo Acordo Ortográfico de 1990: para.
• Grafia anterior ao Acordo Ortográfico de 1990: pára.


• Grafia alterada pelo Acordo Ortográfico de 1990: para.
• Grafia anterior ao Acordo Ortográfico de 1990: pára

pub

Auxiliares de tradução

Traduzir "para-" para: Espanhol | Francês | Inglês

Parecidas

Esta palavra em blogues

Ver mais

Download Images Library Photos and Pictures. Dibujos De Gacha Life Kawaii Personajes Kawaii Dibujando Con Vani How Coloring Pages Gacha Life Can Increase Your Profit Coloring Disney Coloring Pages Chibi Coloring Pages Cat Coloring Page Dibujos De Gacha Life Para Colorear Imagenes De Juego Imprime

Em Luiz Martins

, Judah Ben-Hur de Ben-Hur , o lendário cavaleiro espanhol El Cid no filme homónimo e Robert Neville em A Última Esperança da Terra . Nascido no estado de Illinois , viu os seus pais divorciarem-se quando tinha dez anos; com o segundo casamento de sua mãe com Chester Heston, a família se mudou para um

Em Geopedrados

O movimento Figueira a Primeira , liderado por Pedro Santana Lopes, apelou à “responsabilidade democrática” das outras forças políticas eleitas para o município figueirense. Em comunicado, os vencedores das eleições autárquicas do passado dia 26 de setembro para a Câmara Municipal, referem que a

Em Outra Margem

Basta um golo de diferença para ganhar e Rúben Amorim leva essa premissa ao extremo. O treinador do Sporting, em 53 jogos na Liga Bwin pelos leões desde que assumiu o comando da equipa contra o Aves em 2020 (24.ª jornada de 2019/20), acumula um total de 38 vitórias, das quais exatamente metade, 19

Em Fora-de-jogo

quântica . (...) Como consequência do nascimento da física quântica , foi laureado em 1918 com o Nobel de Física . De 1930 a 1937, Planck foi presidente da Kaiser-Wilhelm-Gesellschaft zur Förderung der Wissenschaften (KWG, Sociedade para o Avanço das Ciências do Imperador Guilherme). Avesso aos ideais

Em Geopedrados
Blogues do SAPO

Dúvidas linguísticas


Como dizer correctamente: ...a área que mais lhe fascina ou ... a área que mais a fascina?
O verbo fascinar é tradicionalmente registado nos dicionários como transitivo directo, isto é, como um verbo que selecciona um complemento nominal obrigatório que não é introduzido por uma preposição (ex.: esta área fascinou o aluno), não sendo consideradas aceitáveis construções com um complemento indirecto, isto é, um complemento nominal obrigatório introduzido por uma preposição (ex.: *esta área fascinou ao aluno; o asterisco indica agramaticalidade). Quando há pronominalização dos complementos de terceira pessoa, o complemento directo corresponde aos pronomes pessoais o, a os, as e o complemento indirecto aos pronomes pessoais lhe, lhes. Assim, relativamente aos exemplos acima referidos, a pronominalização do complemento directo da frase esta área fascinou o aluno deve ser feita com o pronome o (esta área fascinou-o), pois trata-se de um complemento directo, e não com o pronome lhe (*esta área fascinou-lhe).

Em relação às frases apontadas na dúvida colocada, o caso é o mesmo. Deverá ser usada a construção a área que mais a fascina (equivalente a a área que mais fascina alguém) e não a construção *a área que mais lhe fascina (equivalente a *a área que mais fascina a alguém).




Se me permitem, vou transcrever-vos duas frases que me surgiram e alterei, por senti-las erradas. Agradeço antecipadamente a vossa ajuda. Frase 1: A estabilidade e a sincronização facultam-nos o grau de previsibilidade que precisamos para funcionarmos como indivíduos em grupos sociais e especialmente na economia. Para além de ter corrigido o que precisamos - parece-me que deve ser de que precisamos, lá vem a grande questão. Transformei o funcionarmos em funcionar. De que precisamos para funcionar. Puro instinto, e espero que acertado. Há uma regra geral? Frase 2: E das velhinhas enregeladas, nas escadarias dos edifícios públicos, a tentar vender uma esferográfica ou uma pega de cozinha – os seus únicos pertences. Aqui foi o contrário. Achei que o correcto seria a tentarem vender.
As dúvidas colocadas relativamente às frases 1 e 2 dizem essencialmente respeito ao uso do infinitivo pessoal (ou flexionado) e do infinitivo impessoal (ou não flexionado).

A alteração na frase 1 de “para funcionarmos” para “para funcionar” na oração final não é obrigatória, mas é possível por questões de eufonia e por se tratar do mesmo sujeito da oração relativa (que [nós] precisamos) de que depende; sobre este assunto, por favor consulte a resposta infinitivo em orações adverbiais finais (de notar que se o sujeito estivesse explícito na oração final, esta alteração não seria possível: *o grau de previsibilidade que precisamos para nós funcionar).

A alteração na frase 2 de “velhinhas [...] a tentar vender” para “velhinhas [...] a tentarem vender” também não é obrigatória, e terá igualmente causas eufónicas, uma vez que, neste contexto de infinitivo antecedido da preposição a e sem verbo auxiliar, pode ocorrer tanto o infinitivo pessoal como o infinitivo impessoal. Este tipo de estrutura pode ser substituído por um gerúndio (ex.: “velhinhas [...] tentando vender”), pelo que se designa por infinitivo gerundivo (cf. Maria Helena Mira MATEUS et al., Gramática da Língua Portuguesa, Lisboa: Editorial Caminho, 5.ª ed., 2003, pp. 643-645) e também por infinitivo de narração ou infinitivo histórico (cf. Celso CUNHA e Lindley CINTRA, Nova Gramática do Português Contemporâneo, Lisboa: Sá da Costa, p. 483 e Evanildo BECHARA, Moderna Gramática Portuguesa, Rio de Janeiro: Lucerna, 37.ª ed., 2002, p. 284 e p. 528).

Relativamente à alteração de “que precisamos” para “de que precisamos”, por favor consulte as respostas convencido de que e regência de precisar.

pub

Palavra do dia

o·ven·çal o·ven·çal


(ovença + -al)
nome masculino

1. [Antigo]   [Antigo]  Pessoa encarregada de uma despensa. = DESPENSEIRO, ECÓNOMO

2. [Antigo]   [Antigo]  Cobrador de rendas.

pub

Mais pesquisadas do dia



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2021, https://dicionario.priberam.org/para- [consultado em 19-10-2021]