Dicionário Priberam Online de Português Contemporâneo
Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub
pub

papel

papelpapel | adj. 2 g. | n. 2 g. | n. m. | n. m. pl.
papelpapel | n. m. | n. m. pl.
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

pa·pel pa·pel 2


adjectivo de dois géneros
adjetivo de dois géneros

1. [Etnologia]   [Etnologia]  Relativo aos papéis.

nome de dois géneros

2. [Etnologia]   [Etnologia]  Indivíduo pertencente aos papéis.

nome masculino

3. [Linguística]   [Lingüística]   [Linguística]  Idioma falado por esse grupo.


papéis
nome masculino plural

4. [Etnologia]   [Etnologia]  Grupo étnico da Guiné-Bissau.


SinónimoSinônimo Geral: PEPEL

Plural: papéis.Plural: papéis.

pa·pel pa·pel 1


(catalão paper)
nome masculino

1. Folha seca e fina feita com toda a espécie de substâncias vegetais reduzidas a massa, para escrever, imprimir, embrulhar, etc.

2. Dinheiro em notas ou letras de câmbio.

3. [Cinema, Teatro, Televisão]   [Cinema, Teatro, Televisão]  Parte de uma peça dramática que cabe a cada actor.

4. Função que algo ou alguém tem.


papéis
nome masculino plural

5. Jornais.

6. Conjunto de documentos.


andar aos papéis
[Portugal, Informal]   [Portugal, Informal]  Estar confuso ou desorientado; não saber o que fazer.

bater o papel
Alinhar pelas extremidades as pilhas de papel, batendo-as em montículos sobre uma superfície plana ou sujeitando-as à acção de equipamentos mecânicos específicos.

papel cavalinho
Tipo de papel usado para desenho, sobretudo para desenho escolar.

papel celofane
Folha plástica transparente extremamente fina, feita de hidrato de celulose, usada geralmente como envoltório. = CELOFANE, FILME, PELÍCULA

papel crepe
Tipo de papel rugoso, leve e com muita elasticidade. = CREPOM

papel crepom
O mesmo que papel crepe.

papel da China
Papel fino, resistente e sedoso, geralmente usado em edições de luxo e para impressão de gravuras.

papel da Holanda
Papel espesso e avergoado, geralmente usado em edições de luxo. = HOLANDA

papel da Índia
Papel opaco, muito fino e resistente, usado para reduzir o volume na impressão obras com muitas páginas. = PAPEL-BÍBLIA

papel de alumínio
Folha metálica muito fina e maleável, geralmente de alumínio ou de estanho, usada para cobrir ou revestir alimentos. = PAPEL-ALUMÍNIO, PAPEL DE PRATA

papel de cenário
Tipo de papel de grande formato, com uma face lisa e outra texturada.

papel de cozinha
Tira de papel absorvente descartável, geralmente disposta em rolos de folhas picotadas, utilizada para secar ou limpar.

papel de lustro
Tipo de papel com uma face colorida, muito lisa e brilhante.

papel de parede
Tipo de papel especial, geralmente estampado, usado para revestir paredes interiores (ex.: comprou dois rolos de papel de parede).

papel de prata
O mesmo que papel de alumínio.

papel higiénico
Papel fino e absorvente que se usa para fins sanitários e que em contacto com a água se dissolve rapidamente.Ver imagem

papel Oxford
O mesmo que papel da Índia.

papel pintado
O mesmo que papel de parede.

papel químico
[Portugal]   [Portugal]  Folha que tem tinta de um dos lados, usada entre duas folhas de papel para decalcar na de baixo o que é escrito na de cima, geralmente em máquinas de escrever ou à mão. (Equivalente no português do Brasil: papel-carbono.) = QUÍMICO

papel social
[Sociologia]   [Sociologia]  Conjunto de comportamentos, direitos e regras que a sociedade define e espera que um indíviduo respeite em determinado estatuto social.

papel vegetal
Tipo de papel resistente e translúcido, usado para decalques de desenho ou para forrar formas, em culinária.

Plural: papéis.Plural: papéis.
pub

Auxiliares de tradução

Traduzir "papel" para: Espanhol | Francês | Inglês

Parecidas

Anagramas

Esta palavra em blogues

Ver mais

...padre António Vieira , que lhe moldou o espírito religioso na consciência do grande papel que o destino lhe reservava..

Em Geopedrados

...mim mesmo de pé debaixo da varanda com aquela chuva de beijos cobertos de papel de alumínio, incapaz de acreditar que me ias [abandonar

Em letra corrida

...que nos habituamos a cultivar ao vivo onde Gonçalves assumia, sempre modesto e discreto, papel determinante e invisível..

Em CAMPAINHA ELÉCTRICA

), os prémios Amadora BD, e o papel dos Penny Dreadfuls na promoção de literacia..

Em intergalacticrobot

Da casca oca o papel solta-se na brisa A natureza testemunha, uma poesia passou..

Em A PENA E A ESPADA
Blogues do SAPO

Dúvidas linguísticas


Encontrei uma resposta que passo a transcrever "Na frase Já passava das duas da manhã quando aquele grupo de jovens se encontraram perto do restaurante existe uma locução (aquele grupo de jovens) que corresponde a um sujeito da oração subordinada (quando aquele grupo de jovens se encontraram perto do restaurante) com uma estrutura complexa. Nesta locução, o núcleo do sintagma é grupo, e é com este substantivo que deve concordar o verbo encontrar. Desta forma, a frase correcta seria Já passava das duas da manhã quando aquele grupo de jovens se encontrou perto do restaurante."
Sendo que a frase em questão foi retirada do Campeonato Nacional de Língua Portuguesa, e a frase completa é "Já passava das duas quando aquele grupo de jovens se encontraram perto da discoteca, aonde o Diogo os aguardava". Segundo a vossa resposta, dever-se-ia ter escrito "(...) aquele grupo de jovens se encontrou (...)". Mas se assim for, também seria de considerar "aonde o Diogo os aguardava", pois se consideramos que o sujeito é singular, não faz sentido dizer "os aguardava", mas sim "o aguardava". No entanto, não podemos considerar que existe concordância atractiva em que "deixamos o verbo no singular quando queremos destacar o conjunto como uma unidade. Levamos o verbo ao plural para evidenciarmos os vários elementos que compõem o todo." (Gramática do Português Contemporâneo Cunha/Cintra)? Agradeço elucidação se mantêm a vossa opinião, tendo a frase completa. Já agora, na frase utiliza-se "aonde Diogo os esperava". Não deveria ser "onde"?
A Priberam Informática não pretende responder especificamente a perguntas do Campeonato Nacional da Língua Portuguesa, mas apenas a dúvidas linguísticas que lhe são colocadas e que são consideradas pertinentes, sendo as respostas redigidas tendo em conta a clareza e a concisão para os utilizadores.

As concordâncias são um caso problemático no português, como deixam claro Telmo Móia e João Peres no capítulo 7 de Áreas Críticas do Português (Caminho, 1995), e o caso em questão, aquele grupo de jovens, parece fazer parte de um conjunto de expressões formadas por um nome (como grupo ou conjunto) que, combinado com outro, “permitem referir colecções de objectos, sem as quantificarem” (Móia e Peres, p. 471). Esta reflexão parece mostrar que este grupo difere um pouco das expressões partitivas (como parte, porção ou maioria) que referem Celso Cunha e Lindley Cintra na Nova Gramática do Português Contemporâneo (Edições João Sá da Costa, 1998, p. 496). No entanto, tanto num caso como noutro, a construção mais neutra deveria corresponder a uma unidade, ao todo, isto é, pegando no texto de Cunha e Cintra ("Deixamos o verbo no singular quando queremos destacar o conjunto como uma unidade. Levamos o verbo ao plural para evidenciarmos os vários elementos que compõem o todo."), o plural parece ser uma maneira de modalizar o discurso, dando-lhe um matiz menos neutro, enfatizando, na unidade, os seus elementos constituintes. Vemos como estas construções são problemáticas quando comparadas, por exemplo, com um grupo nominal como carro das mercadorias, onde não hesitaríamos (ou hesitaríamos menos) em identificá-lo como uma unidade, com a correspondente flexão do verbo que se lhe seguisse (O carro das mercadorias entrou na rua). Por este motivo reiteramos as nossas observações da resposta concordâncias (I).

No que diz respeito à concordância do pronome pessoal os em Já passava das duas quando aquele grupo de jovens se encontrou perto da discoteca, onde o Diogo os aguardava, pode dizer-se que, sendo um pronome pessoal, deve concordar com o seu antecedente, mas este antecedente não tem necessariamente de ser o sujeito da frase. Retomando um exemplo acima (O carro das mercadorias entrou na rua) podemos adaptá-lo a uma construção afim em que a concordância é possível com qualquer dos antecedentes (O carro das mercadorias entrou na rua, onde o comerciante as/o aguardava). São estas concordâncias possíveis com mais de um antecedente que por vezes tornam as frases ambíguas.

Relativamente à sua questão sobre onde e aonde, por favor consulte a resposta onde / aonde.

Sem qualquer crítica ao referido campeonato, podemos no entanto observar que a maioria das questões problemáticas da língua não se adequa a respostas apenas com dois valores, como sim/não ou correcto/incorrecto, pois contém uma complexidade que as ultrapassa.




Num dicionário de francês-português encontro a palavra panóptico mas no vosso dicionário on-line ela não existe... A dúvida está em saber qual dois 2 dicionários tem razão.
O adjectivo panóptico parece ser uma má tradução do francês panoptique, pois não respeita a ortografia recomendada pelas obras de referência para o português (nomeadamente dicionários, vocabulários e prontuários), visto que o prefixo pan- deverá ser seguido de hífen quando a palavra a que este elemento se junta começa por vogal ou por h. A forma correcta deverá ser então pan-óptico.
pub

Palavra do dia

es·pa·di·ci·flo·ro |ó|es·pa·di·ci·flo·ro |ó|


(espadice + -floro)
adjectivo
adjetivo

[Botânica]   [Botânica]  Diz-se da planta cuja inflorescência é a espadice.

pub

Mais pesquisadas do dia



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2021, https://dicionario.priberam.org/papel [consultado em 07-12-2021]