Dicionário Priberam Online de Português Contemporâneo
Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub
pub

lápis

lápislápis | n. m. 2 núm.
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

lá·pis lá·pis


(italiano lapis, do latim lapis, -idis, pedra)
nome masculino de dois números

1. Artefacto, geralmente de madeira, cilíndrico, comprido e fino, cujo interior contém uma barra de grafite para escrever ou desenhar (ex.: para a prova de desenho, é preciso levar papel, lápis e borracha).Ver imagem

2. Substância mineral negra que compõe o interior desse artefacto. = GRAFITE, PLUMBAGINA

3. Objecto cilíndrico, geralmente composto de uma substância medicamentosa ou cosmética (ex.: lápis de contorno para lábios).

4. Desenho ou obra artística feita com esse artefacto.

5. Pessoa que desenha ou cria obra de arte com esse artefacto.

6. Instrumento com cuja ponta, em forma desse artefacto, se faz alguma operação.


lápis de cera
[Portugal]   [Portugal]  Cilindro de cera ou parafina e pigmentos variados, fácil de manusear e que produz um traço colorido grosso. (Equivalente no português do Brasil: giz de cera).

lápis de cor
Aquele cuja mina contém pigmentos e que produz um traço colorido.

pub

Auxiliares de tradução

Traduzir "lápis" para: Espanhol | Francês | Inglês

Parecidas

Anagramas

Esta palavra em blogues

Ver mais

Para a atividade, é preciso ter em casa: 1 Régua, 1 Lápis , 1 Folha de papel Canson e Giz pastel oleoso..

Em Caderno B

...um homem que luta uma Besta, Dois Fragmentos Móveis por Thomas Sully ( A Lápis Contínuo Desenho Da Menina Forte Um Ilustração do Vetor - Ilustração de menina, lápis...

Em Luiz Martins

O cosmonauta Alexei Leonov era também artista, e levou consigo lápis de cor e um caderno de desenho para registar as suas impressões nos raros...

Em intergalacticrobot

...por causa do barulho da água, Catalán amarrou um pedaço de papel e um lápis a uma pedra e jogou-os para o outro lado do rio..

Em NOTÍCIAS SOBRE AVIAÇÃO AVIATION NEWS

Como Desenhar um Rosto Realista | Pintura de retrato, Retrato a lápis , Desenho de retrato

Em Luiz Martins
Blogues do SAPO

Dúvidas linguísticas


Na frase dei de caras com um leão, qual a função sintáctica das expressões de caras e com um leão?
A locução verbal dar de caras corresponde a uma expressão idiomática do português, que por esse motivo não é habitualmente decomposta, equivalendo a um verbo como deparar-se ou a outra locução verbal como encontrar subitamente. Na frase apontada, pode no entanto considerar-se a expressão de caras como um modificador adverbial (designado por complemento circunstancial na gramática tradicional), indicando o modo como se processa a acção expressa pelo verbo dar (equivalente, por exemplo a subitamente numa frase como deu subitamente com um leão).
A expressão com um leão pode ser considerada complemento indirecto seleccionado pelo verbo dar, pois com um leão é um complemento nominal introduzido indirectamente pela preposição com.




Em expressões como não análise, não excedente, não conhecimento, não aceitação, não provimento, etc., quando deve ser utilizado, ou não, o hífen?
A utilização do hífen em casos semelhantes aos apresentados é possível e até muito usual.

A palavra não, por se tratar de um advérbio, é uma palavra invariável usada geralmente para modificar um verbo (ex.: não comi), um adjectivo (ex.: pessoa não competente), outro advérbio (ex.: agindo não eficazmente) ou uma frase (ex.: não podemos deixar-nos adormecer) mas em geral não modifica substantivos. Por este motivo, é comum ligar este advérbio por hífen a um substantivo que se lhe segue, mas tal procedimento não é obrigatório, nem é regulado por qualquer indicação nos textos legais em vigor para a língua portuguesa.

O que é dito sobre o hífen no Acordo Ortográfico de 1945 (válido para o português europeu, mas muito semelhante ao que é dito no Formulário Ortográfico de 1943, válido para o português do Brasil) é bastante vago e nada esclarecedor sobre este assunto: “Emprega-se o hífen nos compostos em que entram, foneticamente distintos (e, portanto, com acentos gráficos, se os têm à parte), dois ou mais substantivos, ligados ou não por preposição ou outro elemento, um substantivo e um adjectivo, um adjectivo e um substantivo, dois adjectivos ou um adjectivo e um substantivo com valor adjectivo, uma forma verbal e um substantivo, duas formas verbais, ou ainda outras combinações de palavras, e em que o conjunto dos elementos, mantida a noção da composição, forma um sentido único ou uma aderência de sentidos.” (Base XXVIII [sublinhado nosso]).

O Acordo Ortográfico de 1990 não altera nada a este respeito.

O uso do hífen coloca então muitas dúvidas aos utilizadores da língua, pois não obedece geralmente a critérios lógicos, mas antes a convenções e muitas vezes é justificado devido à tradição de registo em dicionários de língua que funcionam como referência. Neste âmbito, surgem em muitos dicionários entradas com o elemento não- seguido de adjectivos, substantivos e verbos, mas como, em teoria, qualquer palavra de uma destas classes poderia ser modificada pelo advérbio não, o registo de todas as formas possíveis seria impraticável e de muito pouca utilidade para o consulente.

Em conclusão, podemos afirmar que o uso do hífen é possível para ligar o advérbio não a um substantivo; o uso do hífen para ligar o advérbio não a classes que são habitualmente modificadas por advérbios (verbos, adjectivos, advérbios) parece ser desnecessário, dadas as características da classe adverbial, mas nada o impede.

pub

Palavra do dia

sar·ra·bis·car sar·ra·bis·car


(sarrabisco + -ar)
verbo transitivo e intransitivo

Fazer sarrabiscos. = GARATUJAR, RABISCAR

pub

Mais pesquisadas do dia



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2021, https://dicionario.priberam.org/l%C3%A1pis [consultado em 28-10-2021]