PT
BR
Pesquisar
Definições



iniciado

A forma iniciadopode ser [masculino singular particípio passado de iniciariniciar] ou [adjectivo e nome masculinoadjetivo e nome masculino].

Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!
iniciadoiniciado
( i·ni·ci·a·do

i·ni·ci·a·do

)


adjectivo e nome masculinoadjetivo e nome masculino

1. Que ou aquele que recebeu iniciação. = NEÓFITO

2. [Desporto] [Esporte] Diz-se de ou categoria de desportistas, de idade variável consoante o desporto, que geralmente se segue aos infantis e antecede os juvenis.

3. [Desporto] [Esporte] Diz-se de ou desportista dessa categoria.

etimologiaOrigem etimológica:latim initiatus, -a, -um.
iniciariniciar
( i·ni·ci·ar

i·ni·ci·ar

)
Conjugação:regular.
Particípio:regular.


verbo transitivo e pronominal

1. Admitir à ou receber a iniciação.

2. [Informática] [Informática] Proceder ao arranque de um sistema ou de um programa informático. = ARRANCAR, INICIALIZAR

3. Informar(-se).


verbo transitivo, intransitivo e pronominal

4. Fazer começar ou ter início. = PRINCIPIAR


verbo transitivo

5. Ensinar, instruir.


verbo pronominal

6. Adquirir os primeiros conhecimentos.

etimologiaOrigem etimológica:latim initio, -are.

Auxiliares de tradução

Traduzir "iniciado" para: Espanhol Francês Inglês


Dúvidas linguísticas



A palavra vigilidade, que tem origem na palavra vígil, tem suscitado alguma controvérsia na área em que estou envolvido. É um termo que é utilizado nalguns trabalhos de psicologia e por algumas instituições nacionais ligadas aos medicamentos (ex: INFARMED). No entanto, não encontrei a palavra nos dicionários que consultei, inclusivamente o da Priberam. Alternativamente a palavra utililizada é vigilância. Assim, gostaria de saber a vossa opinião sobre este assunto.
Também não encontrámos a palavra vigilidade registada em nenhum dos dicionários ou vocabulários consultados. No entanto, este neologismo respeita as regras de boa formação da língua portuguesa, pela adjunção do sufixo -idade ao adjectivo vígil, à semelhança de outros pares análogos (ex.: dúctil/ductilidade, eréctil/erectilidade, versátil/versatilidade). O sufixo -idade é muito produtivo na língua para formar substantivos abstractos, exprimindo frequentemente a qualidade do adjectivo de que derivam.

Neste caso, existem já os substantivos vigília e vigilância para designar a qualidade do que é vígil, o que poderá explicar a ausência de registo lexicográfico de vigilidade. Como se trata, em ambos os casos, de palavras polissémicas, o uso do neologismo parece explicar-se pela necessidade de especialização no campo da medicina, psicologia e ciências afins, mesmo se nesses campos os outros dois termos (mas principalmente vigília, que surge muitas vezes como sinónimo de estado vígil) têm ampla divulgação.




Avó, bisavó e trisavó (para só referir o feminino) constam dos dicionários e empregam-se com frequência. Mas eu já tive de referir antepassados mais recuados e utilizei, respectivamente, tetravó, pentavó, hexavó, heptavó, octavó, nonavó, decavó, undecavó e dodecavó. Estará correcto? E se quisesse continuar, como deveria chamar à 13ª, 14ª e 15ª avó?
Com efeito, na denominação de antepassados directos, nomeadamente dos avós, os dicionários de língua portuguesa consultados não vão além de bisavô, trisavô e tetravô/tataravô. Todavia, com o desenvolvimento dos estudos em genealogia surgiu a necessidade de nomear parentes mais afastados, o que pode levar a uma formação erudita análoga, por exemplo, à dos sólidos geométricos, cuja designação é obtida a partir de prefixos gregos ou latinos que designam os numerais cardinais (ex.: pentaedro, hexaedro, heptaedro, etc.). Assim, para além de avó, bisavó (2ª), trisavó (3ª), tetravó/tataravó (4ª), seria possível obter pentavó (5ª), hexavó (6ª), heptavó (7ª), octavó (8ª), nonavó [ou eneavó] (9ª), decavó (10ª), hendecavó [ou undecavó] (11ª), dodecavó (12), tridecavó (13ª), tetradecavó (14ª), pentadecavó (15ª), hexadecavó (16ª), heptadecavó (17ª), octadecavó (18ª), eneadecavó [ou nonadecavó] (19ª), icosavó (20ª). Hipoteticamente, seria possível formar designações ainda mais recuadas como triacontavó (30ª), pentacontavó (50ª) ou heptacontavó (70ª).