PT
BR
Pesquisar
Definições



fungo

A forma fungopode ser [primeira pessoa singular do presente do indicativo de fungarfungar] ou [nome masculino].

Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!
fungo1fungo1
( fun·go

fun·go

)
Imagem

BiologiaBiologia

Organismo eucariota, geralmente saprófito ou parasita, sem clorofila, cujas paredes celulares contêm quitina.


nome masculino

1. [Biologia] [Biologia] Organismo eucariota, geralmente saprófito ou parasita, sem clorofila, cujas paredes celulares contêm quitina.Imagem

2. [Botânica] [Botânica] O mesmo que cravagem.

3. Excrescência esponjosa na pele ou nas mucosas. = FUNGÃO

etimologiaOrigem etimológica:latim fungus, -i, cogumelo.
fungo2fungo2
( fun·go

fun·go

)


nome masculino

Acto ou efeito de fungar. = FUNGAÇÃO

etimologiaOrigem etimológica:derivação regressiva de fungar.
fungo3fungo3
( fun·go

fun·go

)


nome masculino

1. Fruto de Angola, semelhante à ameixa.

2. O mesmo que induna.

etimologiaOrigem etimológica:origem obscura.
fungarfungar
( fun·gar

fun·gar

)
Conjugação:regular.
Particípio:regular.


verbo intransitivo

1. Sorver o ar pelo nariz com ruído.

2. Cheirar rapé.

3. [Informal, Figurado] [Informal, Figurado] Choramingar.

4. [Informal] [Informal] Resmungar.

5. [Informal] [Informal] Fazer ruído sibilante ao movimentar-se (ex.: a pedra arremessada fungou bem perto). = ZUNIR

6. [Informal] [Informal] Tocar mal um instrumento de sopro.

7. [Informal] [Informal] Cantarolar mal.


verbo transitivo

8. Absorver pelo nariz (ex.: fungar rapé). = CHEIRAR

etimologiaOrigem etimológica:origem duvidosa.

Auxiliares de tradução

Traduzir "fungo" para: Espanhol Francês Inglês


Dúvidas linguísticas



A palavra vigilidade, que tem origem na palavra vígil, tem suscitado alguma controvérsia na área em que estou envolvido. É um termo que é utilizado nalguns trabalhos de psicologia e por algumas instituições nacionais ligadas aos medicamentos (ex: INFARMED). No entanto, não encontrei a palavra nos dicionários que consultei, inclusivamente o da Priberam. Alternativamente a palavra utililizada é vigilância. Assim, gostaria de saber a vossa opinião sobre este assunto.
Também não encontrámos a palavra vigilidade registada em nenhum dos dicionários ou vocabulários consultados. No entanto, este neologismo respeita as regras de boa formação da língua portuguesa, pela adjunção do sufixo -idade ao adjectivo vígil, à semelhança de outros pares análogos (ex.: dúctil/ductilidade, eréctil/erectilidade, versátil/versatilidade). O sufixo -idade é muito produtivo na língua para formar substantivos abstractos, exprimindo frequentemente a qualidade do adjectivo de que derivam.

Neste caso, existem já os substantivos vigília e vigilância para designar a qualidade do que é vígil, o que poderá explicar a ausência de registo lexicográfico de vigilidade. Como se trata, em ambos os casos, de palavras polissémicas, o uso do neologismo parece explicar-se pela necessidade de especialização no campo da medicina, psicologia e ciências afins, mesmo se nesses campos os outros dois termos (mas principalmente vigília, que surge muitas vezes como sinónimo de estado vígil) têm ampla divulgação.




Na frase "Houve movimentos financeiros entre todos os operadores, nacionais e estrangeiros", qual é o propósito da vírgula ali colocada? Poder-se-á concluir que a frase significa que houve movimentos financeiros entre todos os operadores nacionais, entre todos os operadores estrangeiros e entre todos os operadores nacionais e estrangeiros?
A questão colocada diz respeito, por um lado, ao uso da pontuação, nomeadamente da vírgula, e, por outro, à diferença entre os grupos adjectivais apositivos e os grupos adjectivais restritivos. Relativamente ao uso da vírgula em geral, poderá consultar a resposta vírgula antes da conjunção e.

No caso da frase em análise, a vírgula é usada para separar o aposto "nacionais e estrangeiros", constituído por dois adjectivos coordenados, do nome que está a qualificar. Este aposto não constitui uma restrição ao nome operadores, mas fornece informação adicional sobre o mesmo (trata-se de "todos os operadores", que poderão ser "nacionais ou estrangeiros"). Se porventura se tratasse de um adjectivo restritivo, isto é, que limita o significado do antecedente, não poderia ser separado do seu antecedente por vírgula (ex.: houve movimentos financeiros entre todos os operadores nacionais e não *houve movimentos financeiros entre todos os operadores, nacionais).