PT
BR
Pesquisar
Definições



mico-

A forma mico-pode ser[elemento de composição] ou [nome masculino].

Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!
mico1mico1
( mi·co

mi·co

)


nome masculino

1. [Brasil] [Brasil] [Zoologia] [Zoologia] Designação comum a vários macacos de pequeno porte e cauda comprida. = SAGUI

2. [Brasil, Depreciativo] [Brasil, Depreciativo] Indivíduo de cor negra.

3. [Figurado] [Figurado] Pessoa de aspecto grotesco.

4. [Portugal: Minho] [Portugal: Minho] Diabo.

5. [Brasil, Informal] [Brasil, Informal] Ladrão que ainda é menor de idade.


destripar o mico

[Brasil: São Paulo, Popular] [Brasil: São Paulo, Popular] Vomitar.

etimologiaOrigem etimológica:espanhol mico.
mico2mico2
( mi·co

mi·co

)


nome masculino

1. [Brasil] [Brasil] [Jogos] [Jogos] Jogo de cartas que tem por objectivo fazer pares de cartas de animais machos e fêmeas. = MICO-PRETO

2. [Brasil] [Brasil] [Jogos] [Jogos] Carta desse jogo que contém a representação de um macaco (mico) preto e que, por não ter par, faz o possuidor final perder o jogo. = MICO-PRETO

3. [Brasil, Informal] [Brasil, Informal] [Economia] [Economia] Título ou acção que desvalorizou e de que o seu proprietário se quer ver livre. = MICO-PRETO

4. [Brasil, Informal] [Brasil, Informal] Situação que causa embaraço, vergonha (ex.: qual foi o maior mico que você já passou?). = VEXAME


pagar mico

[Brasil, Informal] [Brasil, Informal] Passar vergonha por causa de uma situação vexante ou disparatada.

etimologiaOrigem etimológica:redução de mico-preto.
mico-mico-


elemento de composição

Exprime a noção de fungo (ex.: micografia).

etimologiaOrigem etimológica:grego múkes, -etos, fungo.


Dúvidas linguísticas


É correto dizer "sói acontece"? Ou seria "sói acontecer"?
O verbo soer, sinónimo de costumar ou ser frequente, é actualmente de uso raro na língua, conjugando-se principalmente nas terceiras pessoas do presente (sói, soem) e do pretérito imperfeito (soía, soíam) do indicativo.

Pesquisas em corpora e em motores de busca revelam uma frequência mais elevada deste verbo nos séculos XV e XVI, nomeadamente em obras de autores como Fernão Lopes, Garcia de Resende, Bernardim Ribeiro, João de Barros ou Luís de Camões, ocorrendo em construções transitivas, sobretudo com orações infinitivas (ex.: que reis e duques soíam temer), e intransitivas (ex.: e ali folgou o rei mais do que soía; que os navios fossem e voltassem como soíam).

Presentemente, o emprego do verbo soer é essencialmente erudito, recaindo maioritariamente em construções com orações infinitivas como complemento directo (ex.: um filme alternativo, como sói dizer-se; a figura do professor, que soía ser uma referência, tem vindo a esbater-se) ou como sujeito (ex.: soía fazer frio no Inverno, mas agora nem as aves migram).




Qual o feminino de rajá?
A esposa de um rajá designa-se rani.