PT
BR
Pesquisar
Definições



espalhadora

A forma espalhadorapode ser [feminino singular de espalhadorespalhador] ou [nome feminino].

Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!
espalhadoraespalhadora
|ô| |ô|
( es·pa·lha·do·ra

es·pa·lha·do·ra

)


nome feminino

Máquina para espalhar adubos, betume ou outros materiais. = ESPALHADOR

etimologiaOrigem etimológica:feminino de espalhador.
espalhadorespalhador
|ô| |ô|
( es·pa·lha·dor

es·pa·lha·dor

)
Imagem

Peça que num fogão a gás permite espalhar a chama de forma uniforme através de ranhuras ou orifícios.


adjectivo e nome masculinoadjetivo e nome masculino

1. Que ou aquele que espalha.


nome masculino

2. Peça que num fogão a gás permite espalhar a chama de forma uniforme através de ranhuras ou orifícios.Imagem

3. Máquina para espalhar adubos, betume ou outros materiais. = ESPALHADORA

etimologiaOrigem etimológica:espalhar + -dor.

Auxiliares de tradução

Traduzir "espalhadora" para: Espanhol Francês Inglês

Anagramas

Esta palavra no dicionário



Dúvidas linguísticas



Gostaria de saber o porque se usa tanto apartir de ou concerteza sendo que o correto é a partir de e com certeza ?
Este fenómeno acontece frequentemente com locuções muito usuais em que os utilizadores da língua têm dificuldades em identificar as fronteiras das palavras, o que tem como consequência erros ortográficos como apartir de (em vez de a partir de), concerteza (em vez de com certeza) ou derrepente (em vez de de repente).



Como se classifica gramaticalmente a forma levemo-lo?
Gramaticalmente, levemo-lo corresponde a uma forma do verbo levar na primeira pessoa do plural do imperativo (ex.: amigos, levemos isto daqui já), seguido do pronome átono o, que assume a forma -lo por estar a seguir a uma forma verbal terminada num -s (que desaparece: levemos + o = levemo-lo).

A forma levemos, isoladamente, poderá corresponder também ao presente do conjuntivo (ex.: é preciso que levemos isto daqui), mas, como tem o pronome átono em posição enclítica (depois do verbo), não corresponde a esse tempo, pois o presente do conjuntivo é normalmente antecedido da conjunção que, com propriedades de atracção do pronome átono (ex.: é preciso que o levemos daqui), não sendo considerada gramatical uma construção proclítica nesse caso (ex.: *é preciso que levemo-lo daqui).