Dicionário Priberam Online de Português Contemporâneo
Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub
pub

enrame

1ª pess. sing. pres. conj. de enramarenramar
3ª pess. sing. imp. de enramarenramar
3ª pess. sing. pres. conj. de enramarenramar
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

en·ra·mar en·ra·mar

- ConjugarConjugar

verbo transitivo

1. Cobrir com ramos; enramalhetar.

verbo intransitivo e pronominal

2. Criar ramos; cobrir-se de ramos.

pub

Parecidas

Anagramas

Dúvidas linguísticas


Já percebi que, com a entrada em vigor do acordo ortográfico de 1990, os nomes dos meses e das estações do ano passarão a ser escritos em minúsculas. O que eu não percebi é a razão dessa alteração. Alguém me pode esclarecer? Diga-se de passagem que também nunca percebi porque é que, desde o acordo ortográfico de 1945, os nomes dos dias da semana passaram a ser escritos com minúsculas... Será pela mesma razão?
O uso de maiúsculas está integrado num conjunto de regras ortográficas convencionadas. Neste caso, os nomes de meses e estações do ano passaram a ser considerados nomes comuns com o Acordo Ortográfico de 1990, atendendo ao seu paradigma morfológico e à aproximação ao paradigma dos dias da semana.

Relativamente aos nomes dos dias da semana e da sua grafia com minúscula já segundo o Acordo Ortográfico de 1945, Rebelo Gonçalves (Tratado de Ortografia da Língua Portuguesa, Coimbra: Atlântida Livraria Editora, 1947, p. 301) referia como único argumento que “ao contrário dos demais cronónimos, os nomes dos dias da semana escrevem-se, em obediência à tradição, com minúscula inicial”, o que não é minimamente esclarecedor, mas nos elucida sobre o tipo de lógica subjacente às convenções ortográficas.




No seguinte exemplo, o pronome do complemento directo deve vir antes ou depois do verbo?
- Já fizeste o trabalho?
- Sim, acabei de o fazer. / Sim, acabei de fazê-lo.
- Não, ainda tenho de o fazer. / Não, ainda tenho de fazê-lo.
Nas frases indicadas, as locuções verbais acabar de fazer e ter de fazer correspondem a construções em que os verbos acabar e fazer, seguidos da preposição de, são verbos auxiliares. Em geral, em locuções verbais com verbos auxiliares ou semiauxiliares (excepto com os que formam tempos verbais compostos: ex.: tem lido, foi lido), o clítico é colocado depois do verbo principal (ex.: O livro é interessante e posso lê-lo em dois dias; Ele veio visitar-me esta semana), podendo haver, menos consensualmente, colocação do clítico depois do verbo auxiliar ou semiauxiliar (ex.: O livro é interessante e posso-o ler em dois dias; Ele veio-me visitar esta semana). No entanto, quando a construção do verbo auxiliar ou semiauxiliar inclui uma preposição, especialmente de ou por, o pronome clítico pode ocorrer antes ou depois do verbo auxiliar (ex. Sim, acabei de o fazer. / Sim, acabei de fazê-lo), mas não depois do verbo auxiliar (ex. *Sim, acabei-o de fazer; o asterisco indica agramaticalidade).
Esta reflexão aplica-se também à outra frase apresentada (Não, ainda tenho de o fazer. / Não, ainda tenho de fazê-lo), mas nesse caso será ainda possível a opção Não, ainda o tenho de fazer, pois o advérbio ainda tem a propriedade de atracção do clítico (ver os casos referidos nas alíneas a) a j) da resposta posição dos clíticos).

pub

Palavra do dia

al·gi·be·be al·gi·be·be


(árabe al-jabbab)
nome masculino

Pessoa ou loja que vende roupa pronta a vestir, nova ou usada, mas geralmente de fraca qualidade. = ALJUBETA, ALJUBETEIRO, JUBETEIRO, ROUPA-VELHEIRO

Feminino: algibeba.Feminino: algibeba.
pub

Mais pesquisadas do dia



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2021, https://dicionario.priberam.org/enrame [consultado em 01-02-2023]