Dicionário Priberam Online de Português Contemporâneo
Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub
pub

engole-vento

engole-ventoengole-vento | n. m.
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

en·go·le·-ven·to en·go·le·-ven·to


nome masculino

[Ornitologia]   [Ornitologia]  Noitibó.

pub

Parecidas

Esta palavra no dicionário

Ver mais

Esta palavra em blogues

Ver mais

, criação dos humanos. Somar anos é também subtraí-los; aniversários são mais uma heráclita harmonia dos contrários, uma soma nula de dá e tira, jogo de enganos entre vida e morte de manos gémeos adversários. Festejar e acumular anos feitos é como a alegria tola do drogado guloso quando engole dia a dia pó

Em APC GORJEIOS

silêncio engole a dor numa lágrima vertente do compositor Quem sabe o peso de um luar Refém de uma eterna solidão quem vê brigar constelação quem, Orion ou Escorpião? Quem faz da noite catedral quando o vento no quintal vem soprar um verso bom Quem?... Quem?... Quem sabe o gosto das maçãs inventor das

Em folha de cima

lugar entre os elementos. Nossas vozes ecoam, ampliando sua chegada. Nova estátua nova estátua em um museu frio, sua nudez sombras de nossa segurança. Permanecemos imóveis como paredes. Eu não sou mais sua mãe do que a nuvem que destila um espelho para refletir seu próprio eliminação pela mão do vento

Em Viva a Poesia

Diário de um mundo novo – dia 29 Tem jeito não, esse tempo amalucou de vez. O clima da Planície Padana, sempre úmido e sem vento , até que ajuda muito a piorar qualquer dia, mas tem coisas que não dependem dele. A culpa de tudo o que estamos vivendo é nossa. Os xapiri dos yanomami devem estar

Em Carta da It

extensão do movimento que faz o tempo Que sopra o seu cabelo, seu sorriso bonito Engole o gosto do meu beijo de vento . Eu que sinto a sua arte, sou sua criação Pulso no seu corpo e na sua alma eu amo O vasto reino, fantasiado de imaginação Semente na raiz, na flor, o fruto no ramo.

Em A PENA E A ESPADA
Blogues do SAPO

Dúvidas linguísticas


Posso utilizar a expressão e/ou em um texto formal? Se não, como escrevê-la? Posso escrever e ou ou e, ou?
As palavras e e ou são conjunções coordenativas, isto é, relacionam termos que podem ter a mesma função na frase (ex.: vou comprar umas calças azuis e brancas; vou comprar umas calças azuis ou brancas), sendo que a conjunção e indica adição (ex.: calças azuis e brancas) e a conjunção ou indica alternativa (ex.: calças azuis ou brancas).

A expressão e/ou é utilizada para exprimir de maneira económica e clara três hipóteses, duas delas contidas numa alternativa (uma coisa ou outra) e a outra contida numa adição (uma coisa e outra). Por exemplo, numa frase como todos os utilizadores têm o direito de rectificação e/ou eliminação dos seus dados pessoais, o texto destacado indica que é possível 1) a rectificação dos seus dados pessoais, 2) a eliminação dos seus dados pessoais, 3) a rectificação dos seus dados pessoais e a eliminação dos seus dados pessoais. Os pontos 1) e 2) estão contidos na alternativa com ou e o ponto 3) está contido na adição com e.

Não há qualquer motivo para a não utilização desta expressão num texto formal. A barra indica opcionalidade entre o e e o ou: rectificação e/ou eliminação dos seus dados pessoais = rectificação e eliminação dos seus dados pessoais / rectificação ou eliminação dos seus dados pessoais.




Qual destas frases está correcta: «Ele assegurou-me que viria» ou «Ele assegurou-me de que viria»? Li que o verbo "assegurar" é regido pela preposição "de" quando é conjugado pronominalmente; no entanto, só me soa bem dessa forma quando ele é conjugado reflexivamente, como em "Eles asseguraram-se de que não eram seguidos". Afinal, como é que é? Obrigada.
Os dicionários que registam as regências verbais, como o Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa ou o Dicionário sintáctico de verbos portugueses, estipulam que o verbo assegurar é regido pela preposição de apenas quando usado como pronominal (ex.: quando saiu de casa assegurou-se de que as janelas estavam fechadas). Para além do uso pronominal, o verbo assegurar pode ainda ser transitivo directo ou bitransitivo, isto é, seleccionar complementos não regidos por preposição (ex.: os testes assegurariam que o programa iria funcionar sem problemas; o filho assegurou-lhe que iria estudar muito).

Este uso preposicionado do verbo assegurar na acepção pronominal nem sempre é respeitado, havendo uma tendência generalizada para a omissão da preposição (ex.: quando saiu de casa assegurou-se que as janelas estavam fechadas). O fenómeno de elisão da preposição de como iniciadora de complementos com frases finitas não se cinge ao verbo assegurar, acontecendo também com outros verbos, como por exemplo aperceber (ex.: não se apercebeu [de] que estava a chover antes de sair de casa) ou esquecer (ex.: esquecera-se [de] que havia greve dos transportes públicos).

pub

Palavra do dia

zoi·si·te zoi·si·ta


([Sigismund] Zois [von Eldstein], antropónimo [mineralogista esloveno] + -ite)
nome feminino

[Mineralogia]   [Mineralogia]  Mineral ortorrômbico do grupo dos epídotos, usado como pedra preciosa.


• Grafia no Brasil: zoisita.

• Grafia no Brasil: zoisita.

• Grafia em Portugal: zoisite.

• Grafia em Portugal: zoisite.
pub

Mais pesquisadas do dia



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2021, https://dicionario.priberam.org/engole-vento [consultado em 26-01-2022]