Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub

pub
Palavra não encontrada. Sugerir a inclusão no dicionário da palavra pesquisada.
pub

Dúvidas linguísticas


Usa-se crase na frase "Atendimento a grupos"?
Na expressão atendimento a grupos não deverá usar a crase.

A crase é a contracção de duas vogais iguais, na maioria dos casos, contracção da preposição a com o artigo definido a quando este precede um substantivo feminino (ex.: devolveu o livro à colega) e com a locução relativa a qual (ex.: esta é a colega à qual ele devolveu o livro). Há também locuções fixas que contêm crase, onde se pode subentender o substantivo feminino moda ou maneira (ex.: cozido à portuguesa = cozido à [moda/maneira] portuguesa). Não poderá usar a crase numa expressão como atendimento a grupos, pois grupos é um substantivo masculino plural e não poderia ser antecedido do artigo definido feminino a.

Normalmente, não se usa a crase antes de nome masculino, como é o caso (ex.: atendimento a grupos), de artigo indefinido (ex.: atendimento a uma clientela), de forma verbal (ex.: esteve a atender) ou de topónimos que não precisam de artigo (ex.: chegou a Brasília). Há ainda locuções fixas que não contêm crase (ex.: estavam frente a frente).




O substantivo "primeiro-ministro" pode ser flexionado para "primeira-ministra" ? Li esta expressão em um site do Governo do Brasil, e achei um bocado estranha: "2012 – Visita ao Brasil da Primeira-Ministra Julia Gillard. Relações bilaterais elevadas ao nível de Parceria Estratégica"
Presentemente, a palavra primeiro-ministro designa um chefe de governo do sexo masculino (ex.: O primeiro-ministro falou à imprensa) e a palavra primeira-ministra designa um chefe de governo do sexo feminino (ex.: A primeira-ministra reuniu-se com o presidente da república).

A hesitação na utilização do termo masculino primeiro-ministro para designar um referente feminino (ex.: A primeiro-ministro da Noruega é da mesma opinião) resulta do facto de esse cargo ter sido, durante muitos anos, maioritariamente desempenhado por pessoas do sexo masculino, tal como muitas outras profissões (ex.: juiz, presidente, etc.). As palavras designativas destes cargos foram sendo registadas na tradição lexicográfica como substantivos masculinos, reflectindo esse facto.

Porém, à medida que a sociedade em que vivemos se vai alterando, torna-se necessário designar novas realidades, como seja o caso da feminização dos nomes de algumas profissões, decorrente do acesso da população feminina a tais cargos. Por exemplo, as palavras chefe, presidente, comandante passaram a ser usadas e registadas nos dicionários como substantivos comuns de dois, ou seja, com uma mesma forma para os dois géneros, sendo o feminino ou o masculino indicado nos determinantes com que coocorrem, que flexionam em género, consoante o sexo do referente: havia o chefe e passou a haver a chefe (veja-se, a este propósito, a dúvida relativa a capataz). De igual modo, surgiram primeiras-ministras, juízas, deputadas, vereadoras, governadoras, engenheiras, etc. No primeiro caso optou-se por formas invariáveis, no último, por formas flexionáveis.

Pode persistir alguma resistência na aceitação destes termos flexionados. No entanto, a estranheza inicial de uma forma flexionada como primeira-ministra tem-se esbatido à medida que estas palavras surgem regularmente na imprensa escrita e falada. Prova disto é o número de ocorrências da forma feminina em corpora e nos resultados dos motores de busca na Internet.

Palavra do dia

a·ma·du·rar a·ma·du·rar
(a- + maduro + -ar)
verbo transitivo, intransitivo e pronominal

1. Tornar ou ficar maduro (ex.: o calor amadurou a fruta; os frutos amaduraram; os pêssegos ainda não se amaduraram). = SAZONAR

2. Tornar ou ficar adulto.


SinónimoSinônimo Geral: AMADURECER

pub

Mais pesquisadas do dia

Siga-nos



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2020, https://dicionario.priberam.org/ellenreakci%C3%B3 [consultado em 23-10-2020]