PT
BR
Pesquisar
Definições



economato

Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!
economatoeconomato
( e·co·no·ma·to

e·co·no·ma·to

)


nome masculino

1. Cargo de ecónomo.

2. Repartição do ecónomo.

3. Secção onde se armazenam os materiais ou objectos destinados ao funcionamento de um estabelecimento público ou privado, nomeadamente material de escritório. = ECONOMATO

etimologiaOrigem etimológica:ecónomo + -ato.

Esta palavra no dicionário



Dúvidas linguísticas


Gostaria que me explicassem se a palavra secados (plural de secado) existe. Se a resposta for sim, porque não a encontro em nenhum dicionário?
O verbo secar tem duplo particípio passado: secado e seco. Nos verbos em que este fenómeno acontece, o particípio regular (ex.: secado) é geralmente usado com os auxiliares ter e haver para formar tempos compostos (ex.: a roupa já tinha secado; havia secado a loiça com um pano) e as formas do particípio irregular (ex.: seco, seca, secos, secas) são usadas maioritariamente com os auxiliares ser e estar para formar a voz passiva (ex.: a loiça foi seca com um pano; a roupa estava seca pelo vento) e assumem mais facilmente o papel adjectival (ex.: este bolo ficou demasiado seco). Por este motivo, é usual não haver flexão do particípio regular, pois este não é geralmente usado como adjectivo, não flexionando em género, número ou grau (ex.: *secada, *secados, *secadas; *muito secado; o asterisco indica agramaticalidade).

Estas considerações, tomadas da gramática tradicional, têm no entanto muitas excepções, o que evidencia a problemática da questão e a ausência de respostas peremptórias para certas questões linguísticas. A título de exemplo, podemos referir que há verbos cujo particípio abundante não é consensual (com resoluto e resolvido, por exemplo, não é claro se o primeiro é particípio irregular de resolver ou adjectivo cognato; relativamente ao verbo ganhar não é unânime a existência do particípio ganhado a par de ganho); há verbos cujo particípio regular, ao contrário de secado, também tem uso adjectival (ex.: confundido, empregado); há até indicações de alguns gramáticos para diferenças de utilização dos dois particípios baseadas em critérios semânticos e não sintácticos (por exemplo, Cunha e Cintra, na Nova Gramática do Português Contemporâneo [Lisboa: Ed. João Sá da Costa, 1998, p. 442], sugerem que o verbo imprimir só tem duplo particípio quando significa ‘estampar, gravar’, com o exemplo Este livro foi impresso em Portugal, e não quando significa ‘imprimir movimento’, com o exemplo Foi imprimida enorme velocidade ao carro).




Escreve-se pavilhão multiusos ou multiúsos? Vi que no Dicionário Priberam até há uma nota sobre isto. Com acento é estranhíssimo. Não mudou com o Acordo Ortográfico?
A ortografia da palavra multiúsos (e de outras no mesmo contexto ortográfico) não sofreu nenhuma alteração com o Acordo Ortográfico de 1990, nem corresponde a nenhuma diferença entre o português europeu e o português do Brasil. Este é o mesmo contexto ortográfico de palavras como balaústre, ciúme, miúdo ou viúvo. isto é, trata-se de uma vogal tónica u de uma palavra paroxítona (ou grave) que leva acento agudo quando antecedida de uma vogal com a qual não forma ditongo (desde que não constitua sílaba com a eventual consoante seguinte, diferente de s, caso em que não terá acento gráfico, como nos casos de diurno, demiurgo, oriundo ou triunfo).

Esta é uma indicação ortográfica preconizada pela Base X, 1.º, do Acordo Ortográfico de 1990, mas também pelos textos que regulavam a ortografia antes deste, isto é, pela Base XIV do Acordo Ortográfico de 1945, para o português europeu, e pelo ponto 43, 4.ª do Formulário Ortográfico de 1943, para o português do Brasil.

No entanto, é um facto que é possível encontrar muitos usos sem acento gráfico, daí a necessidade de o Dicionário Priberam acrescentar uma nota ao verbete para justificar que essa é a grafia correcta. A estranheza da forma acentuada multiúsos parece ainda maior por ser fácil para o falante identificar os elementos que a compõem: o constituinte multi- seguido do substantivo uso, que não é acentuado por, regra geral, as palavras graves não serem acentuadas em português.

A reflexão feita acima aplica-se igualmente ao mesmo contexto para a vogal tónica -i-, como em paraíso, ruína ou saída.