PT
BR
Pesquisar
Definições



dessolidarização

A forma dessolidarizaçãopode ser [derivação feminino singular de dessolidarizardessolidarizar] ou [nome feminino].

Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!
dessolidarizaçãodessolidarização
( des·so·li·da·ri·za·ção

des·so·li·da·ri·za·ção

)


nome feminino

Acto ou efeito de dessolidarizar.

etimologiaOrigem etimológica:dessolidarizar + -ção.
dessolidarizardessolidarizar
( des·so·li·da·ri·zar

des·so·li·da·ri·zar

)
Conjugação:regular.
Particípio:regular.


verbo transitivo e pronominal

Deixar de ser solidário ou deixar de mostrar solidariedade.SOLIDARIZAR

etimologiaOrigem etimológica:des- + solidarizar.

Esta palavra no dicionário



Dúvidas linguísticas



Como se classifica gramaticalmente a forma levemo-lo?
Gramaticalmente, levemo-lo corresponde a uma forma do verbo levar na primeira pessoa do plural do imperativo (ex.: amigos, levemos isto daqui já), seguido do pronome átono o, que assume a forma -lo por estar a seguir a uma forma verbal terminada num -s (que desaparece: levemos + o = levemo-lo).

A forma levemos, isoladamente, poderá corresponder também ao presente do conjuntivo (ex.: é preciso que levemos isto daqui), mas, como tem o pronome átono em posição enclítica (depois do verbo), não corresponde a esse tempo, pois o presente do conjuntivo é normalmente antecedido da conjunção que, com propriedades de atracção do pronome átono (ex.: é preciso que o levemos daqui), não sendo considerada gramatical uma construção proclítica nesse caso (ex.: *é preciso que levemo-lo daqui).




A palavra seje existe? Tenho um colega que diz que esta palavra pode ser usada na nossa língua.
Eu disse para ele que esta palavra não existe. Estou certo ou errado?
A palavra seje não existe. Ela é erradamente utilizada em vez de seja, a forma correcta do conjuntivo (subjuntivo, no Brasil) do verbo ser. Frases como “Seje bem-vindo!”, “Seje feita a sua vontade.” ou “Por favor, seje sincero.” são cada vez mais frequentes, apesar de erradas (o correcto é: “Seja bem-vindo!”, “Seja feita a sua vontade.” e “Por favor, seja sincero.”). A ocorrência regular de seje pode dever-se a influências de falares mais regionais ou populares, ou até mesmo a alguma desatenção por parte do falante, mas não deixa de ser um erro.