Dicionário Priberam Online de Português Contemporâneo
Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub
pub

desentupa

1ª pess. sing. pres. conj. de desentupirdesentupir
3ª pess. sing. imp. de desentupirdesentupir
3ª pess. sing. pres. conj. de desentupirdesentupir
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

de·sen·tu·pir de·sen·tu·pir

- ConjugarConjugar

(des- + entupir)
verbo transitivo

1. Desobstruir (o que está entupido).

verbo intransitivo

2. [Figurado]   [Figurado]  Dizer o que sabe.

3. Decidir-se a dizer.

pub

Auxiliares de tradução

Traduzir "desentupa" para: Espanhol | Francês | Inglês

Parecidas

Anagramas

Esta palavra em blogues

Ver mais

...mdeira, que fale de Deus, há sempre alguém que nos mate a carne, que desentupa a sanita, há sempre alguém para te enterrar, há sempre animais com olhos lindos,...

Em #poesia

- Decida de uma vez, desentupa os tribunais, deixe de andar às votas, Srª ministra..

Em A RODA

Busco uma Freira, que me desentupa A via, que o desuso às vezes tapa, Topo-a, topando-a todo o bolo rapa,...

Em EU LI...

Mas acabei de lhe dizer o seguinte: não há água que não te desentupa , aguenta;;

Em apombalivre.blogspot.com
Blogues do SAPO

Dúvidas linguísticas


Gostava de saber se a vossa ferramenta FLiP pode corrigir palavras com especificação de gênero, sugerindo palavras que não especificam gênero masculino ou feminino. Por exemplo, a correção de "menino" para "menine", para ser neutro.
O FLiP (Ferramentas para a Língua Portuguesa) oferece verificação e sugestões de correcção em casos de concordâncias de género, número e pessoa. No entanto, no caso especificado não se trata de um erro de concordância, mas de uma tomada de posição sociopolítica que, por opção individual, se reflecte linguisticamente, e que os correctores ortográficos, sintácticos e estilísticos não incorporam por não se tratar de prática generalizada pelos falantes e escreventes do português nem estar consignada pelos instrumentos legais que dispõem sobre a ortografia da língua portuguesa.
Adicionalmente, deve referir-se que, em português, o género gramatical não corresponde sempre ao sexo da entidade referente. Além disso, a língua portuguesa, tal como é usada pelos falantes e descrita pelas gramáticas, não tem género neutro, sendo o género em português uma categoria morfossintáctica dos nomes que admite apenas dois valores (feminino e masculino).

Em geral, quando associado a um nome animado, o género aplica-se a entidades de sexo masculino ou feminino, mas a oposição de género masculino/feminino não se limita a esta distinção, havendo, principalmente nos nomes inanimados, convenções linguísticas que não têm nenhum referente relacionado com o sexo (ex.: o frasco , a garrafa). Para além disso, os nomes epicenos (ex.: elefante [fêmea/macho]) e os nomes sobrecomuns (ex.: o cônjuge; a vítima), apesar de terem um valor único de género, podem designar entidades de sexo feminino ou masculino.
Os nomes de dois géneros (ou nomes comuns de dois), quando a mesma forma se pode aplicar ao género feminino e ao masculino, são ambíguos quanto ao género, mas o contexto sintáctico geralmente resolve essa ambiguidade (ex.: a/o estudante aplicada/o). A oposição de género reflecte-se ainda na referência ou substituição por um pronome, na concordância com modificadores (adjectivos, por exemplo) ou na presença de sufixos ou desinências.

A alteração de menino ou menina para *menine, *meninx, *menin@ ou outro tipo de soluções gráficas sem marcação de género não seria propriamente uma correcção, pois do ponto de vista ortográfico essas seriam consideradas formas erradas, uma vez que a ortografia é a parte da língua mais convencional e a única sujeita a textos legais. A alteração para desinências sem marcação explícita de género é uma opção individual do utilizador da língua, que o corrector automático não pode aplicar à generalidade dos usuários nas frases típicas alvo de correcção.




É correto dizer "sói acontece"? Ou seria "sói acontecer"?
O verbo soer, sinónimo de costumar ou ser frequente, é actualmente de uso raro na língua, conjugando-se principalmente nas terceiras pessoas do presente (sói, soem) e do pretérito imperfeito (soía, soíam) do indicativo.

Pesquisas em corpora e em motores de busca revelam uma frequência mais elevada deste verbo nos séculos XV e XVI, nomeadamente em obras de autores como Fernão Lopes, Garcia de Resende, Bernardim Ribeiro, João de Barros ou Luís de Camões, ocorrendo em construções transitivas, sobretudo com orações infinitivas (ex.: que reis e duques soíam temer), e intransitivas (ex.: e ali folgou o rei mais do que soía; que os navios fossem e voltassem como soíam).

Presentemente, o emprego do verbo soer é essencialmente erudito, recaindo maioritariamente em construções com orações infinitivas como complemento directo (ex.: um filme alternativo, como sói dizer-se; a figura do professor, que soía ser uma referência, tem vindo a esbater-se) ou como sujeito (ex.: soía fazer frio no Inverno, mas agora nem as aves migram).

pub

Palavra do dia

vi·trí·o·lo vi·trí·o·lo


(latim tardio vitriolum, do latim vitrum, -i, vidro)
nome masculino

[Antigo]   [Antigo]   [Química]   [Química]  Nome vulgar do ácido sulfúrico e de alguns sulfatos.

pub

Mais pesquisadas do dia



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2021, https://dicionario.priberam.org/desentupa [consultado em 26-09-2022]