Dicionário Priberam Online de Português Contemporâneo
Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub
pub

beneficium accipere, libertatem est vendere

beneficium accipere, libertatem est venderebeneficium accipere, libertatem est vendere | loc.
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

beneficium accipere, libertatem est vendere


(locução latina que significa "aceitar um benefício é vender a liberdade")
locução

Alusão aos que fazem um favor a fim de sujeitar a liberdade daqueles a quem o prestam.

Fonte: Publílio Siro, 61.
pub

Parecidas

Palavras vizinhas

Dúvidas linguísticas


Gostaria de saber se é correto pronunciar o -x- da palavra sexta-feira, ou será se[s]ta-feira?
A palavra sexta-feira tem pronúncias diferentes no português europeu e no português do Brasil. Assim, no português europeu, o -x- de sexta é geralmente pronunciado como o -ch- de chá); no português do Brasil, a pronúncia mais usual desse -x- é como o s- de saco.



É correto iniciar uma frase de um parágrafo com a palavra portanto?
A palavra portanto é uma conjunção que se usa para ligar frases coordenadas, iniciando uma oração que exprime a consequência da outra expressa anteriormente (ex.: Não tinha nada em casa para comer, portanto teria de ir jantar fora.). De entre as conjunções ou locuções conjuncionais coordenativas, logo, por conseguinte e portanto podem variar de posição, “conforme o ritmo, a entoação ou a harmonia da frase”1, pelo que não tem de haver um uso exclusivo daquelas conjunções entre duas orações. Estas conjunções coordenativas, tal como algumas outras, podem iniciar frases, retomando assim o que foi expresso no enunciado anterior (ex.: Ela esperava. Mas as horas passavam e o seu pai nunca mais chegava. / Não estava ninguém na loja. Portanto teria de esperar mais umas horas ou voltar no dia seguinte.).

Há, no entanto, outras conjunções, como a coordenativa copulativa e (ex.: Tinha comido cerejas e pêssegos.) e a coordenativa disjuntiva ou (ex.: Queres ou não saber o que aconteceu?), cujo uso em início de frase, num registo escrito e mais cuidado, é geralmente desaconselhado, por possuírem uma função conectiva muito marcada. Porém, por necessidades expressivas ou por motivos literários, essas conjunções podem ocorrer no começo de frases (ex.: Havia tartes! E bolos! E gelados! E tantas outras sobremesas!).


1 Cunha, Celso, Lindley Cintra, Nova Gramática do Português, 14.ª ed., Lisboa: Edições Sá da Costa, 1998, p. 578

pub

Palavra do dia

ha·ma·drí·a·de ha·ma·drí·a·de


(latim hamadryas, -adis, do grego hamadruás, -ádos, ninfa dos bosques)
nome feminino

1. [Mitologia]   [Mitologia]  Ninfa dos bosques que nascia e morria com uma árvore que lhe estava votada e na qual estava encerrada.

nome masculino

2. [Zoologia]   [Zoologia]  Espécie de babuíno (Papio hamadryas), cujo macho adulto tem cerca de 70 centímetros de comprimento (sem incluir a cauda), encontrado na região do Corno de África e na Península Arábica. = BABUÍNO-SAGRADO


SinónimoSinônimo Geral: HAMADRÍADA

pub

Mais pesquisadas do dia



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2021, https://dicionario.priberam.org/beneficium%20accipere,%20libertatem%20est%20vendere [consultado em 09-08-2022]