Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub

pub

assimilação

assimilaçãoassimilação | n. f.
derivação fem. sing. de assimilarassimilar
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

as·si·mi·la·ção as·si·mi·la·ção


(latim assimilatio, -onis ou assimulatio, -onis, simulação)
nome feminino

1. Acto ou efeito de assimilar.

2. [Bioquímica]   [Bioquímica]  Transformação dos alimentos, após a digestão, em substância incorporada nas células.

3. Alteração de uma letra por outra que lhe fica próxima.

4. Alteração de uma palavra por falsa etimologia.

5. Compenetração.

6. Apropriação de ideias ou sentimentos alheios.

7. [Sociologia]   [Sociologia]  Processo de interpretação e fusão de culturas (tradições, sentimentos, modos de vida) num tipo cultural comum.


as·si·mi·lar as·si·mi·lar

- ConjugarConjugar

(latim assimilo, -are ou assimulo, -are, simular, reproduzir, fingir, tornar semelhante, comparar)
verbo transitivo e pronominal

1. Tornar ou ficar semelhante ou similar (ex.: tentou assimilar os procedimentos; os dois casos assimilam-se muito). = ASSEMELHAR

2. Transformar ou transformar-se no próprio ou noutro organismo, na própria substância ou noutra substância (ex.: o organismo assimila os nutrientes contidos nos alimentos; os dois componentes não se assimilaram). = INCORPORAR

verbo transitivo

3. Absorver e integrar um hábito, um costume, uma técnica ou outra forma de conhecimento (ex.: depois de uns meses, já assimilara os usos da terra). = APREENDER

4. Alterar uma letra ou um som por influência de outro que está próximo (ex.: no português do Brasil, o -n- de amnistia assimilou o -m-).

pub

Auxiliares de tradução

Traduzir "assimilação" para: Espanhol | Francês | Inglês

Parecidas

Palavras vizinhas

Esta palavra no dicionário

Ver mais

Esta palavra em blogues

Ver mais
Blogues do SAPO

Esta palavra no Twitter

Dúvidas linguísticas


Gostaria de saber se consideram a frase seguinte gramaticalmente correcta: "Quando vierem novamente cá a casa, mostrar-vos-ei a minha estufa de plantas exóticas".
Na frase Quando vierem novamente cá a casa, mostrar-vos-ei a minha estufa de plantas exóticas, o pronome oblíquo vos corresponde à 2.ª pessoa do plural, desempenhando a função de complemento indirecto (= a vós), mas o sujeito da forma verbal vierem corresponde à 3.ª pessoa (vocês ou eles). .

Como é referido na resposta você, este pronome de tratamento designa a pessoa a quem se fala (tu/vós), mas, sendo um pronome de 3.ª pessoa, obriga o verbo à concordância com essa pessoa gramatical (daí dizer-se quando vocês vierem e não *quando vocês [= vós] vierdes). Como a ideia de forma de tratamento de 2.ª pessoa está muito presente nos falantes, a tendência é usar o pronome oblíquo vos correspondente à 2.ª pessoa (vós) e não o pronome lhes, correspondente à 3.ª pessoa (vocês/eles). Esta tendência gera construções condenadas por alguns gramáticos, como Paul Teyssier no Manual de Língua Portuguesa (Portugal-Brasil) [pp. 128-132].

Assim sendo, as hipóteses correctas seriam Quando [vocês] vierem novamente cá a casa, mostrar-lhes-ei a minha estufa de plantas exóticas ou Quando [vós] vierdes novamente cá a casa, mostrar-vos-ei a minha estufa de plantas exóticas. O Dicionário de Língua Portuguesa Contemporânea da Academia das Ciências de Lisboa, pelo contrário, considera que o pronome vos pode ser usado no tratamento por vocês. O Dicionário Priberam também regista este uso do pronome, mas indica que é muitas vezes desaconselhado. A este respeito, veja-se ainda a resposta vi-os / vi-vos.

O que foi dito acima refere-se à interpretação preferencial, que não invalida uma interpretação menos provável: Quando [eles] vierem novamente cá a casa, mostrar-vos-ei [a vós] a minha estufa de plantas exóticas. Ainda que residual ou dialectal, o uso do pronome vós é possível, como é referido na resposta vós e vocês.




Tenho ouvido e visto frequentemente pessoas utilizarem as palavras "câmara" e "câmera". A minha dúvida é se a segunda tem algum significado mais estrito do que a primeira ou se simplesmente não existe na Língua Portuguesa. Quais os contextos em que devemos adoptar uma e outra?
As grafias câmara e câmera coexistem na língua portuguesa e a alternância -a-/-e- remonta ao latim camera/camara, que está na origem de formas com -e- do francês (caméra), do inglês (camera) e do italiano (camera), por um lado, e com -a- do espanhol (cámara), por outro. No português, mantiveram-se os dois radicais, sendo que, segundo o Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea da Academia das Ciências de Lisboa, a grafia câmera é um brasileirismo, utilizada apenas num conjunto restrito de sentidos, sendo câmara a grafia do português europeu. Esta informação não é corroborada pelo Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa, que remete a grafia câmera para câmara, sem indicar que se trata de brasileirismo, referindo no entanto que a forma com -e- é de uso corrente, especialmente nas acepções de "dispositivo ou aparelho óptico". É de referir ainda que, apesar de a forma câmara ser estatisticamente mais usual em Portugal, encontram-se na oralidade muitas ocorrências de câmera. Além disso, há derivados de câmera, como bicameral, por exemplo, que não têm o equivalente com -a-.
pub

Palavra do dia

li·mí·co·la li·mí·co·la


(latim limicola, -ae)
adjectivo de dois géneros
adjetivo de dois géneros

[Zoologia]   [Zoologia]  Que vive na lama ou no lodo (ex.: aves limícolas).

pub

Mais pesquisadas do dia



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2021, https://dicionario.priberam.org/assimila%C3%A7%C3%A3o [consultado em 11-05-2021]