Dicionário Priberam Online de Português Contemporâneo
Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub
pub

arrasei

1ª pess. sing. pret. perf. ind. de arrasararrasar
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

ar·ra·sar ar·ra·sar

- ConjugarConjugar

(a- + raso + -ar)
verbo transitivo

1. Fazer raso.

2. Passar a rasoura por.

3. Pôr ao nível de.

4. Demolir, destruir, deitar abaixo.

5. Encher completamente.

6. Descompor.

7. Fatigar, extenuar.

8. Deixar sem argumentos.

9. Deixar sem nada, arruinar.

10. Alinhar (com a vista).

verbo transitivo e intransitivo

11. Fazer algo muito bem ou com sucesso, ficando por isso em posição de destaque. = ABAFAR

verbo pronominal

12. Nivelar-se, aplanar-se.

13. Encher-se.

14. Gastarem-se e desunirem-se (os dentes incisivos de certos animais).

15. Humedecer-se.

pub

Auxiliares de tradução

Traduzir "arrasei" para: Espanhol | Francês | Inglês

Parecidas

Anagramas

Esta palavra em blogues

Ver mais

5 Eu os desbastei por meio dos profetas, arrasei -os com as palavras de minha boca, mas, como luz, expandem-se meus juízos;;

Em Blog da Sagrada Família

Optei pela democracia e, nas semanas que se seguiram, em muitas ocasiões, arrasei o Ministério Público e o juiz Carlos Alexandre aos écrans do Porto Canal, em...

Em portugal contempor

' 4,11 'Eu arrasei -vos, como arrasei Sodoma e Gomorra, e ficastes como um tição, retirado da fogueira;;

Em Blog da Sagrada Família

5 Eu os desbastei por meio dos profetas, arrasei -os com as palavras de minha boca, mas, como luz, expandem-se meus juízos;;

Em Blog da Sagrada Família

5 Eu os desbastei por meio dos profetas, arrasei -os com as palavras de minha boca, mas, como luz, expandem-se meus juízos;;

Em Blog da Sagrada Família
Blogues do SAPO

Dúvidas linguísticas


Gostaria de ser esclarecido, ou ver discutida a questão, quanto à forma correcta de escrever a palavra portuguesa que se refere aos órgãos de comunicação social como sector, ou seja, media. Ou será média? Ex: Educação para os Média ou Educação para os Media? Ou Os media portugueses ou Os média portugueses?
A questão colocada diz respeito à problemática do aportuguesamento de palavras estrangeiras, neste caso do inglês media, para designar os meios de comunicação social de massas, cujo alcance pode verificar-se na maneira como as obras lexicográficas para o português europeu tratam o assunto.

O Grande Vocabulário da Língua Portuguesa, de José Pedro Machado, regista as formas media e média como substantivo masculino plural. O Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea da Academia das Ciências de Lisboa (2001) registou o substantivo masculino plural media, não aportuguesando a ortografia, mas com a pronúncia aportuguesada em ['m3], como a vogal de pé, diferente da pronúncia ['mi], do inglês e do substantivo feminino mídia, consagrada nas obras lexicográficas para o português do Brasil. O Dicionário Houaiss, na sua edição portuguesa (2002), remete a forma media para média, como substantivo masculino de dois números (ex.: o semanário é um média de referência; os média trataram o assunto de forma heterogénea), observando que "apesar de o plural regular ser médias, em Portugal está consagrado o uso do plural latino na forma média (s.m.pl.)". O Grande Dicionário Língua Portuguesa (2004) admite apenas o substantivo média como plural, não registando sequer a forma media. O Dicionário Verbo Língua Portuguesa (Lisboa: Verbo, 2006) regista apenas media, à semelhança do Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea da Academia das Ciências de Lisboa, como de resto acontece em grande número de opções do dicionário.

O panorama acima parece indicar que há uma tendência para a estabilização da forma média como substantivo masculino plural, mas a pesquisa em corpora e motores de busca da internet indica que a ocorrência da forma media continua a ser muito superior à de média, no mesmo contexto. Não havendo consenso no registo lexicográfico, a decisão de utilização de uma ou outra forma caberá sempre ao utilizador da língua, devendo este manter a opção que tomar, pelo menos dentro do mesmo texto ou documento, por uma questão de coerência ortográfica. No caso de optar pela forma media, deverá utilizar o itálico ou as aspas como forma de assinalar que se trata de um estrangeirismo, o que neste caso é especialmente importante, uma vez que a forma media é ambígua com formas do imperfeito do verbo medir (eu/ele media). Como argumento adicional para a coerência ortográfica na escolha da forma a adoptar poderá estar também o facto de a palavra multimédia, cuja origem etimológica é análoga à de media > média, estar registada com esta forma em todos os dicionários acima referidos, sem que nenhum deles registe a forma inglesa multimedia.




A palavra secção nos novos dicionários de várias editoras sofre alteração e passa a ser seção depois de aplicado o Acordo Ortográfico e não tem as duas grafias. No vosso conversor, secção não é convertida para seção. De qualquer maneira não faz nenhum sentido retirar o c à palavra secção e confunde-se com a palavra sessão na expressão oral, só se conseguindo distinguir na escrita. Como é que se pode explicar isto? Este acordo ortográfico não faz sentido nenhum nem sequer consigo entender como ninguém faz mais nada.
Como previsto pelo texto do Acordo Ortográfico de 1990, as duplas grafias são aceites pelo corrector ortográfico em casos em que a chamada "norma culta" hesita entre a prolação e o emudecimento das consoantes c e p. A "norma culta", que o texto legal tantas vezes invoca como critério para aproximar a grafia da pronúncia, é difícil de aferir, pelo que, para as opções do corrector ortográfico, a Priberam levou em consideração a transcrição fonética ou as indicações de ortoépia registadas em dicionários e vocabulários.

A grafia da palavra secção não sofre alteração com a aplicação do Acordo Ortográfico de 1990, uma vez que, na norma europeia do português, o -c- é pronunciado, como poderá verificar pela consulta de dicionários ou vocabulários com transcrição fonética ou ortoépica, nomeadamente no Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea da Academia das Ciências de Lisboa ou no Dicionário Priberam da Língua Portuguesa. Este caso é semelhante a outros em que a consoante é pronunciada (ex.: adaptar, facto, intelectual, pacto) e que, consequentemente, não sofrem alteração no português europeu com a aplicação do Acordo Ortográfico de 1990.

A pronúncia se[s]ão não corresponde a uma articulação usual no português europeu, mas sim no português do Brasil, onde a grafia seção é a mais usual e coexiste com a grafia secção, correspondendo cada grafia a uma pronúncia diferente.

Estas diferenças de pronúncia entre a norma europeia do português e a norma brasileira originam que, mesmo com a aplicação do Acordo Ortográfico, sejam privilegiadas grafias diferentes em cada uma das normas (ex.: académico, facto e receção, na norma europeia; acadêmico, fato e recepção, na norma brasileira).

pub

Palavra do dia

ma·nau·a·ra ma·nau·a·ra


(Manaus, topónimo + -ara)
adjectivo de dois géneros e nome de dois géneros
adjetivo de dois géneros e nome de dois géneros

Relativo a Manaus, capital do estado brasileiro do Amazonas, ou o seu natural ou habitante. = MANAUENSE

pub

Mais pesquisadas do dia



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2021, https://dicionario.priberam.org/arrasei [consultado em 24-10-2021]