Dicionário Priberam Online de Português Contemporâneo
Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub
pub

abstraído

abstraídoabstraído | adj.
masc. sing. part. pass. de abstrairabstrair
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

abs·tra·í·do abs·tra·í·do


(particípio de abstrair)
adjectivo
adjetivo

1. Que se abstraiu.

2. Que está imerso num pensamento ou alheio ao que o rodeia.


abs·tra·ir |a-í|abs·tra·ir |a-í|

- ConjugarConjugar

(latim abstraho, -ere, arrancar, separar, destacar, arrastar)
verbo transitivo

1. Separar mentalmente uma parte de um todo para a considerar independente das outras partes.

2. Separar, apartar.

verbo intransitivo

3. Fazer abstracção.

4. [Por extensão]   [Por extensão]  Omitir.

verbo pronominal

5. Distrair-se.

6. Focar a sua atenção em. = CONCENTRAR-SE

pub

Auxiliares de tradução

Traduzir "abstraído" para: Espanhol | Francês | Inglês

Parecidas

Esta palavra em blogues

Ver mais

administração federal, cujo chefe abstraído não se interessa em conduzir, para identificar os mesmos tipos, com frequência acumulando mais...

Em blog0news

...sua determinação e autorizou o olhar doce ir procurar a companhia cúmplice do olhar abstraído do misterioso homem..

Em A Luz do Farol

...Mulher de forte claridade surge em música na ideia que me visita estando eu abstraído ..

Em daniel abrunheiro

...fechadura do tempo para o filho pequenino, assim sentadinho na cama do seu quarto, abstraído das profecias que lhe reservava o mundo..

Em O Cheiro da Ilha

Mas, temo que pior: torna-se cada vez mais abstraído do real, do concreto, do que se faz com

Em o.insecto
Blogues do SAPO

Dúvidas linguísticas


Qual a escrita correcta para o planeta? Urano ou Úrano?
Os vocabulários tidos como as maiores referências para o português europeu (Vocabulário da Língua Portuguesa, de Rebelo Gonçalves e Grande Vocabulário da Língua Portuguesa, de José Pedro Machado) registam apenas a forma Úrano, referindo Rebelo Gonçalves que a forma Urano, apesar de corrente, “é inexacta”. Esta indicação deve-se à forma latina Uranus, em que o U da antepenúltima sílaba é uma vogal longa (sendo o -a- da penúltima sílaba uma vogal breve), o que corresponde geralmente a uma palavra esdrúxula em português.

No entanto, parece ter havido uma regularização da acentuação da palavra (em português, o padrão mais regular de acentuação é o das palavras graves, isto é, acentuadas na penúltima sílaba), e é de facto muito corrente a forma Urano, inclusivamente com registo em dicionários. Por este motivo, e apesar de a forma Úrano ser a preferida pelos autores mais puristas, pode hoje considerar-se aceitável também a forma Urano.




Se me permitem, vou transcrever-vos duas frases que me surgiram e alterei, por senti-las erradas. Agradeço antecipadamente a vossa ajuda. Frase 1: A estabilidade e a sincronização facultam-nos o grau de previsibilidade que precisamos para funcionarmos como indivíduos em grupos sociais e especialmente na economia. Para além de ter corrigido o que precisamos - parece-me que deve ser de que precisamos, lá vem a grande questão. Transformei o funcionarmos em funcionar. De que precisamos para funcionar. Puro instinto, e espero que acertado. Há uma regra geral? Frase 2: E das velhinhas enregeladas, nas escadarias dos edifícios públicos, a tentar vender uma esferográfica ou uma pega de cozinha – os seus únicos pertences. Aqui foi o contrário. Achei que o correcto seria a tentarem vender.
As dúvidas colocadas relativamente às frases 1 e 2 dizem essencialmente respeito ao uso do infinitivo pessoal (ou flexionado) e do infinitivo impessoal (ou não flexionado).

A alteração na frase 1 de “para funcionarmos” para “para funcionar” na oração final não é obrigatória, mas é possível por questões de eufonia e por se tratar do mesmo sujeito da oração relativa (que [nós] precisamos) de que depende; sobre este assunto, por favor consulte a resposta infinitivo em orações adverbiais finais (de notar que se o sujeito estivesse explícito na oração final, esta alteração não seria possível: *o grau de previsibilidade que precisamos para nós funcionar).

A alteração na frase 2 de “velhinhas [...] a tentar vender” para “velhinhas [...] a tentarem vender” também não é obrigatória, e terá igualmente causas eufónicas, uma vez que, neste contexto de infinitivo antecedido da preposição a e sem verbo auxiliar, pode ocorrer tanto o infinitivo pessoal como o infinitivo impessoal. Este tipo de estrutura pode ser substituído por um gerúndio (ex.: “velhinhas [...] tentando vender”), pelo que se designa por infinitivo gerundivo (cf. Maria Helena Mira MATEUS et al., Gramática da Língua Portuguesa, Lisboa: Editorial Caminho, 5.ª ed., 2003, pp. 643-645) e também por infinitivo de narração ou infinitivo histórico (cf. Celso CUNHA e Lindley CINTRA, Nova Gramática do Português Contemporâneo, Lisboa: Sá da Costa, p. 483 e Evanildo BECHARA, Moderna Gramática Portuguesa, Rio de Janeiro: Lucerna, 37.ª ed., 2002, p. 284 e p. 528).

Relativamente à alteração de “que precisamos” para “de que precisamos”, por favor consulte as respostas convencido de que e regência de precisar.

pub

Palavra do dia

mas·to·gra·fi·a mas·to·gra·fi·a


(masto- + -grafia)
nome feminino

[Medicina]   [Medicina]  Radiografia da glândula mamária. = MAMOGRAFIA

pub

Mais pesquisadas do dia



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2021, https://dicionario.priberam.org/abstra%C3%ADdo [consultado em 15-10-2021]