PT
BR
Pesquisar
Definições



abesbílico

Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!
abesbílicoabesbílico
( a·bes·bí·li·co

a·bes·bí·li·co

)


adjectivoadjetivo

[Informal] [Informal] Que se espantou ou surpreendeu (ex.: fiquei abesbílica com a atitude dele). = ATÓNITO, BOQUIABERTO, EMBASBACADO, ESPANTADO, PASMADO

etimologiaOrigem etimológica:origem obscura.


Dúvidas linguísticas



Qual das expressões é a correcta: de forma a ou por forma a? Caso ambas estejam correctas, qual a diferença entre elas e quando usar uma ou outra?
As duas expressões estão correctas e são locuções prepositivas sinónimas, significando ambas “para”, “a fim de” ou “de modo a” e indicando um fim ou objectivo (ex.: procedeu cautelosamente de forma a/por forma a evitar erros), sendo a locução por forma a menos usada que de forma a, como se pode verificar pela pesquisa em corpora e motores de busca na internet. Ambas se encontram registadas em dicionários de língua portuguesa.

Estas duas expressões, construídas com a preposição a, pertencem a um conjunto de locuções (do qual fazem parte de modo a ou de maneira a) cujo uso é desaconselhado por alguns puristas, com o argumento de que se trata de expressões de influência francesa, o que, neste caso, não parece constituir argumento suficiente para as considerar incorrectas. Acresce ainda que, em qualquer dos casos, locuções prepositivas como de/por forma a, de maneira a ou de modo a desempenham a mesma função da preposição para, que neste contexto introduz frases subordinadas infinitivas adverbiais de fim (ex.: procedeu cautelosamente para evitar erros), da mesma forma que, com alterações ao nível dos tempos verbais, as locuções conjuncionais de/por forma que, de maneira que ou de modo que desempenham a função da locução conjuncional para que, que neste contexto introduz frases subordinadas finitas adverbiais de fim (ex.: procedeu cautelosamente para que evitasse erros). Não parece assim haver motivo para deixar de usar umas ou outras.




Está correto dizer macérrimo para uma pessoa muito magra?

O superlativo absoluto sintético simples dos adjectivos (aquele que exprime, através de uma só palavra, um elevado grau de determinado atributo ou qualidade) forma-se, em português, através da adjunção do sufixo -íssimo ao adjectivo (ex.: vulgaríssimo, tristíssimo, cheiíssimo).

Alguns adjectivos, porém, apresentam um superlativo alternativo, derivado do superlativo latino. É o caso de magro, que forma, além do superlativo regular magríssimo, o superlativo irregular macérrimo (do latim macerrìmus, -a, -um, superlativo de màcer “magro, debilitado”), tal como célebre (celebérrimo ou celebríssimo), pobre (paupérrimo ou pobríssimo), próspero (prospérrimo ou prosperíssimo).

Outros casos de superlativos eruditos incluem formas terminadas em -imo, como fácil (facílimo ou facilíssimo), bem como formas que derivam do latim ou que recuperam parte do radical latino, como simples (simplicíssimo ou simplíssimo), respeitável (respeitabilíssimo), ineficaz (ineficacíssimo), chão (chaníssimo).

Não há muitos superlativos eruditos, sendo fácil encontrá-los elencados em compêndios gramaticais, como na Nova Gramática do Português Contemporâneo (Lisboa: Edições Sá da Costa, 1998, pp. 258-259).

Recentemente, o sufixo -érrimo, característico de superlativos eruditos, tem sido usado, seja por desconhecimento, seja por ironia, em formações novas, inexistentes no latim, como chatérrimo (em vez de chatíssimo) ou chiquérrimo (em vez de chiquíssimo). No caso do adjectivo magro, este sufixo gerou ainda a forma magérrimo, dispensável em registos de língua cuidados.