Dicionário Priberam Online de Português Contemporâneo
Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub
pub

Pesquisa por "carte" nas definições

abular | v. tr. | v. pron.
    Selar com bula....

alforriar | v. tr.
    Dar carta de alforria a....

arrumado | adj.
    Marcado (nas cartas de marear) conforme o rumo....

baldar | v. tr. | v. intr. | v. pron.
    Frustrar, inutilizar....

baldo | adj.
    Que tem falta de algo....

baralhar | v. tr. | v. intr. | v. pron.
    Misturar as cartas do baralho....

cartear | v. intr. | v. tr. | v. pron.
    Marcar no mapa a posição do navio....

cartografar | v. tr.
    Levantar, delinear, reproduzir cartas geográficas....

cerar | v. tr.
    Fechar (carta ou outro escrito) com cera....

comprar | v. tr.
    Adquirir por dinheiro....

corresponder | v. intr. | v. pron.
    Estar em correspondência; ter proporção; estabelecer simetria....

deitar | v. tr. | v. intr. | v. pron.
    Estender ao comprido....

descartar | v. tr. | v. pron.
    Desfazer-se de (certas cartas)....

desencartar | v. tr.
    Privar (alguém) de ofício ou emprego em que estava encartado....

desselar | v. tr.
    Tirar o selo a (ex.: desselar uma carta)....

encartado | adj.
    Que tem diploma para poder exercer determinada profissão ou actividade....

encartar | v. tr. e pron. | v. tr. | v. intr.
    Dar ou tirar carta ou diploma de determinada profissão ou actividade....

estuchar | v. tr.
    Introduzir à força uma peça aguçada em (um orifício)....

falho | adj.
    Que tem falha, fenda (ex.: terrina falha)....

Dúvidas linguísticas


Como dizer correctamente: ...a área que mais lhe fascina ou ... a área que mais a fascina?
O verbo fascinar é tradicionalmente registado nos dicionários como transitivo directo, isto é, como um verbo que selecciona um complemento nominal obrigatório que não é introduzido por uma preposição (ex.: esta área fascinou o aluno), não sendo consideradas aceitáveis construções com um complemento indirecto, isto é, um complemento nominal obrigatório introduzido por uma preposição (ex.: *esta área fascinou ao aluno; o asterisco indica agramaticalidade). Quando há pronominalização dos complementos de terceira pessoa, o complemento directo corresponde aos pronomes pessoais o, a os, as e o complemento indirecto aos pronomes pessoais lhe, lhes. Assim, relativamente aos exemplos acima referidos, a pronominalização do complemento directo da frase esta área fascinou o aluno deve ser feita com o pronome o (esta área fascinou-o), pois trata-se de um complemento directo, e não com o pronome lhe (*esta área fascinou-lhe).

Em relação às frases apontadas na dúvida colocada, o caso é o mesmo. Deverá ser usada a construção a área que mais a fascina (equivalente a a área que mais fascina alguém) e não a construção *a área que mais lhe fascina (equivalente a *a área que mais fascina a alguém).




Surgiu uma dúvida sobre a escrita correta: nenhuma - está correto - e nem uma - é correto também ou não se usa?

Ambas as grafias, nenhuma e nem uma, estão correctas; os seus usos e funções é que são distintos.

A palavra nenhuma pode funcionar como determinante (i.e., antes de um nome) ou como pronome (i.e., em vez de um nome) indefinido, indicando negação (1)-(2), ausência (3)-(4) ou reforço de negação (5)-(6). As frases dos números ímpares correspondem a exemplos de nenhuma como determinante, as dos números pares correspondem a exemplos de nenhuma como pronome:
(1) Nenhuma pedra será removida.
(2) Juntou várias pedras mas nenhuma foi removida.

(3) Nenhuma sócia compareceu à festa.
(4) Convidou várias pessoas mas nenhuma compareceu à festa.

(5) Não tenho nenhuma vontade de sair hoje à noite.
(6) Experimentou várias blusas, mas não gostou de nenhuma.

Ainda em posição pré-nominal, e ligada à partícula de negação não, nenhuma pode ser equivalente ao indefinido uma:
(7) Ela não é nenhuma especialista na matéria, mas sabe o que diz.

Note-se que nas frases (1) e (3) nenhuma pode ser substituída por nem uma sem perda de sentido, contrariamente ao que sucede com a frase (5), que gera uma frase agramatical (5a):
(1a) Nem uma pedra será removida.
(3a) Nem uma das sócias compareceu à festa.
(5a) *Não tenho nem uma vontade de sair.

A palavra nenhuma, em posição pós-nominal, tem ainda uma função adjectival, reforçando a negação (5b). Neste contexto, nenhuma nunca pode ser substituída por nem uma, uma vez que tal substituição produz frases agramaticais como (5c):
(5b) Não tenho vontade nenhuma de sair.
(5c) *Não tenho vontade nem uma de sair.

A expressão nem uma pode também significar “nem mesmo uma”:
(8) Nem uma escavadora conseguiria remover esta pedra!

A frase de (8) significa que nem sequer uma escavadora conseguiria remover a pedra. Se nenhuma fosse utilizada em (8), o sentido seria outro: escavadora alguma conseguiria remover a pedra.


Palavra do dia

o·ven·çal o·ven·çal


(ovença + -al)
nome masculino

1. [Antigo]   [Antigo]  Pessoa encarregada de uma despensa. = DESPENSEIRO, ECÓNOMO

2. [Antigo]   [Antigo]  Cobrador de rendas.

pub

Mais pesquisadas do dia



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2021, https://dicionario.priberam.org/Pesquisar/carte [consultado em 19-10-2021]