Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub

pub
ofuroofurô | s. m.
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

o·fu·ro o·fu·rô
(do japonês)
substantivo masculino

Banheira funda, geralmente circular, feita de madeira ou de outros materiais, que permite banhos quentes de imersão.


• Grafia no Brasil: ofurô.

• Grafia no Brasil: ofurô.

• Grafia em Portugal: ofuro.

• Grafia em Portugal: ofuro.
pub

Parecidas

Palavras vizinhas

Esta palavra em blogues

Ver mais
Blogues do SAPO

Esta palavra no Twitter

Dúvidas linguísticas


Desde sempre usei a expressão quando muito para exprimir uma dúvida razoável ou uma cedência como em: Quando muito, espero por ti até às 4 e 15. De há uns tempos para cá, tenho ouvido E LIDO quanto muito usado para exprimir o mesmo. Qual deles está certo?
No que diz respeito ao registo lexicográfico de quando muito ou de quanto muito, dos dicionários de língua que habitualmente registam locuções, todos eles registam apenas quando muito, com o significado de “no máximo” ou “se tanto”, nomeadamente o Grande Dicionário da Língua Portuguesa (coordenado por José Pedro Machado, Lisboa: Amigos do Livro Editores, 1981), o Dicionário Houaiss (Lisboa: Círculo de Leitores, 2002) e o Dicionário Aurélio (Curitiba: Positivo, 2004). A única excepção é o Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea da Academia das Ciências (Lisboa: Verbo, 2001), que regista como equivalentes as locuções adverbiais quando muito e quanto muito. Do ponto de vista lógico e semântico, e atendendo às definições e distribuições de quando e quanto, a locução quando muito é a que parece mais justificável, pois uma frase como quando muito, espero por ti até às 4 e 15 seria parafraseável por espero por ti até às 4 e 15, quando isso já for muito ou demasiado. Do ponto de vista estatístico, as pesquisas em corpora e em motores de busca evidenciam que, apesar de a locução quanto muito ser bastante usada, a sua frequência é muito inferior à da locução quando muito. Pelos motivos acima referidos, será aconselhável utilizar quando muito em detrimento de quanto muito.



Quando é que se justifica usar parêntesis rectangulares?
Os parênteses rectangulares ou rectos (também chamados de colchetes) podem ter diversas utilizações, que resultam normalmente de convenções ou do uso tradicional. Não é possível, por isso, estabelecer regras rígidas e normativas, nem fazer uma lista exaustiva dos usos, mas seguem-se alguns exemplos:

- delimitar uma sequência que já contém parênteses curvos (ex.: atleta júnior [até aos 17 anos (inclusive)]) ou abrir parênteses numa sequência já delimitada por parênteses curvos (ex.: atleta júnior (até aos 17 anos [inclusive])). Este uso é feito em várias áreas técnicas, nomeadamente naquelas em que se usam parênteses para definir o limite ou a prioridade de uma operação (ex.: 2 x [3+(6-4)]).

- indicar supressão de um texto numa citação (ex.: "[...] Sobre a nudez forte da fantasia o manto diáfano da verdade, [...] milagre é não endoidecerem os homens de cada vez que abrem a boca para falar.").

- acrescentar a uma citação algo que não está no original (ex.: "Sobre a nudez forte da verdade [está] o manto diáfano da fantasia").

- demarcar transcrições fonéticas, nomeadamente com o alfabeto fonético internacional (ex.: a palavra carro transcreve-se ['kaRu]).

- agrupar dois ou mais itens, operações, regras, fórmulas, pentagramas, etc., pois os parênteses rectos, tal como as chavetas, podem ser usados em representações em várias áreas técnicas.

O parêntese de abertura [ pode ser usado para indicar que determinado conjunto de palavras pertence à linha de cima, mas, por falta de espaço, teve de transitar para a linha de baixo. Este uso é frequente na transcrição ou edição de poemas que contêm versos longos e o texto que está a seguir ao parêntese costuma ser justificado à direita.

pub

Palavra do dia

bi·cho·-da·-ba·ta·ta·-do·ce bi·cho·-da·-ba·ta·ta·-do·ce
substantivo masculino

[Entomologia]   [Entomologia]  Insecto lepidóptero da família dos esfingídeos (Agrius convolvuli), cuja lagarta tem um apêndice semelhante a um corno na zona caudal e cujo adulto é uma mariposa de grandes dimensões. = BICHARVÃO

Plural: bichos-da-batata-doce.Plural: bichos-da-batata-doce.
pub

Mais pesquisadas do dia

Siga-nos



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, https://dicionario.priberam.org/OFUR%C3%94 [consultado em 20-08-2019]