Dicionário Priberam Online de Português Contemporâneo
Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub
pub

xenhenhém

xenhenhémxenhenhém | n. f.
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

xe·nhe·nhém xe·nhe·nhém


(origem obscura)
nome feminino

[Brasil, Calão]   [Brasil, Tabuísmo]  Conjunto das partes genitais femininas. = VULVA

pub

Parecidas

Esta palavra no dicionário

Ver mais

Esta palavra em blogues

Ver mais

2015 O Psirico venceu pela 2ª vez consecutiva com "Tem Xenhenhém " em 2015. Psirico é uma banda de pagode com um estilo que mistura samba-pop-percussão e arrocha de Salvador, na Bahia. O grupo foi fundado em 1997, mas só obteve projeção no carnaval de 2004, com a música "Sambadinha". As músicas do

Em Música do Brasil

...baiano e ganhou força nos últimos três com músicas como 'Lepo Lepo' e ' Xenhenhem ' do Psirico e 'Gordinho Gostoso', de Neto LX'", explica Anselmo Costa, locutor, produtor...

Em Música do Brasil

e descanso, tenho um sono manso que me faz sonhar… Sonho que és ingá de doçura louca, que na mina boca vem se desmanchar, que na minha boca vem se desmanchar Xenhenhém Nº 2 Em meio às minhas muitas dores talvez maiores do que o mundo, surges, às vezes, um segundo, cheia de pérfidos langores. Chegas

Em marcosresende21.blogs.sapo.pt

Uma votação popular feita pela internet e através de entrevistas nas ruas de Salvador, o Troféu Bahia Folia elegeu a música "Tem Xenhénhém ", cantado por Psirico, como a música do Carnaval deste ano. "É Tudo Nosso, Nada deles", de Igor Kannário, ficou em segundo, e "Gordinho Gostoso", de Neto LX, em

Em Rede Brasil de Noticias - O Point da Informação

A Tarde Mortes nas rodovias federais caem 36% durante o Carnaval Correio da Bahia 'Tem Xenhénhém ' é eleita melhor música do Carnaval 2015 Tribuna da Bahia Preço do álcool cai na Bahia e Pernambuco O Globo Polícia venezuelana prende prefeito de Caracas, opositor ao Chavismo Folha de São Paulo

Em Rede Brasil de Noticias - O Point da Informação
Blogues do SAPO

Dúvidas linguísticas


Em expressões como não análise, não excedente, não conhecimento, não aceitação, não provimento, etc., quando deve ser utilizado, ou não, o hífen?
A utilização do hífen em casos semelhantes aos apresentados é possível e até muito usual.

A palavra não, por se tratar de um advérbio, é uma palavra invariável usada geralmente para modificar um verbo (ex.: não comi), um adjectivo (ex.: pessoa não competente), outro advérbio (ex.: agindo não eficazmente) ou uma frase (ex.: não podemos deixar-nos adormecer) mas em geral não modifica substantivos. Por este motivo, é comum ligar este advérbio por hífen a um substantivo que se lhe segue, mas tal procedimento não é obrigatório, nem é regulado por qualquer indicação nos textos legais em vigor para a língua portuguesa.

O que é dito sobre o hífen no Acordo Ortográfico de 1945 (válido para o português europeu, mas muito semelhante ao que é dito no Formulário Ortográfico de 1943, válido para o português do Brasil) é bastante vago e nada esclarecedor sobre este assunto: “Emprega-se o hífen nos compostos em que entram, foneticamente distintos (e, portanto, com acentos gráficos, se os têm à parte), dois ou mais substantivos, ligados ou não por preposição ou outro elemento, um substantivo e um adjectivo, um adjectivo e um substantivo, dois adjectivos ou um adjectivo e um substantivo com valor adjectivo, uma forma verbal e um substantivo, duas formas verbais, ou ainda outras combinações de palavras, e em que o conjunto dos elementos, mantida a noção da composição, forma um sentido único ou uma aderência de sentidos.” (Base XXVIII [sublinhado nosso]).

O Acordo Ortográfico de 1990 não altera nada a este respeito.

O uso do hífen coloca então muitas dúvidas aos utilizadores da língua, pois não obedece geralmente a critérios lógicos, mas antes a convenções e muitas vezes é justificado devido à tradição de registo em dicionários de língua que funcionam como referência. Neste âmbito, surgem em muitos dicionários entradas com o elemento não- seguido de adjectivos, substantivos e verbos, mas como, em teoria, qualquer palavra de uma destas classes poderia ser modificada pelo advérbio não, o registo de todas as formas possíveis seria impraticável e de muito pouca utilidade para o consulente.

Em conclusão, podemos afirmar que o uso do hífen é possível para ligar o advérbio não a um substantivo; o uso do hífen para ligar o advérbio não a classes que são habitualmente modificadas por advérbios (verbos, adjectivos, advérbios) parece ser desnecessário, dadas as características da classe adverbial, mas nada o impede.




O verbo intervir conjuga-se da mesma forma que o verbo vir? Sendo assim, qual é o seu particípio passado (caso tenha)?
O verbo intervir conjuga-se como o verbo vir, com a particularidade de se grafar com acento agudo na segunda e terceira pessoas do presente do indicativo (intervéns, intervém); esta particularidade é comum a todos os outros verbos derivados de vir ou do verbo latino venire (são os casos, por exemplo, de advir, avir, convir, desconvir, devir, provir, sobrevir). O particípio passado destes verbos também segue o paradigma de vir/vindo, sendo então intervindo o particípio passado de intervir (ex.: tinha intervindo brilhantemente no debate). Poderá esclarecer esta e outras dúvidas de conjugação seguindo a hiperligação para o verbo intervir no Dicionário Priberam da Língua Portuguesa e clicando em seguida na opção Conjugar que se encontra imediatamente acima da definição do verbo.
pub

Palavra do dia

za·gai·ar za·gai·ar

- ConjugarConjugar

(zagaia + -ar)
verbo transitivo

1. Arremessar zagaia, tipo de lança curta.

2. Ferir ou matar com esse tipo de lança.

verbo transitivo e intransitivo

3. [Pesca]   [Pesca]  Pescar com zagaia, tipo de engodo artificial.

pub

Mais pesquisadas do dia



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2021, https://dicionario.priberam.org/xenhenh%C3%A9m [consultado em 27-09-2021]