PT
BR
Pesquisar
Definições



tampa

A forma tampapode ser [segunda pessoa singular do imperativo de tampartampar], [terceira pessoa singular do presente do indicativo de tampartampar] ou [nome feminino].

Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!
tampatampa
( tam·pa

tam·pa

)
Imagem

Peça amovível que cobre utensílios de cozinha, baú, caixa, caixão, recipiente, etc.


nome feminino

1. Peça amovível que cobre utensílios de cozinha, baú, caixa, caixão, recipiente, etc.Imagem

2. Pedra que cobre uma sepultura. = LAJE

3. [Portugal, Informal] [Portugal, Informal] Resposta negativa (ex.: dar uma tampa; levar uma tampa). = NEGA

4. Espécie de prensa onde os penteeiros apertam os pentes para lhes aperfeiçoarem os bicos.


saltar a tampa

[Informal] [Informal] Perder a calma (ex.: saltou-lhe a tampa e deu um berro para se calarem).

etimologiaOrigem etimológica:talvez do gótico *tappa.
tampartampar
( tam·par

tam·par

)
Conjugação:regular.
Particípio:regular.


verbo transitivo

Pôr tampa ou tampo em. = TAPAR

Auxiliares de tradução

Traduzir "tampa" para: Espanhol Francês Inglês

Anagramas



Dúvidas linguísticas



Ministrar pode usar-se como leccionar no seguinte contexto: curso de formação profissional ministrado para a entidade X? Se não, qual a palavra mais adequada para a frase indicada?
O verbo ministrar pode ser sinónimo de leccionar e, tal como este, quando selecciona um complemento indirecto constrói-se usualmente com a preposição a, pelo que no contexto indicado deveria figurar Curso de formação profissional ministrado à (= crase da preposição a + artigo definido a) entidade X.



Escreve-se ei-la ou hei-la?
A forma correcta é ei-la.

A palavra eis é tradicionalmente classificada como um advérbio e parece ser o único caso, em português, de uma forma não verbal que se liga por hífen aos clíticos. Como termina em -s, quando se lhe segue o clítico o ou as flexões a, os e as, este apresenta a forma -lo, -la, -los, -las, com consequente supressão de -s (ei-lo, ei-la, ei-los, ei-las).

A forma hei-la poderia corresponder à flexão da segunda pessoa do plural do verbo haver no presente do indicativo (ex.: vós heis uma propriedade > vós hei-la), mas esta forma, a par da forma hemos, já é desusada no português contemporâneo, sendo usadas, respectivamente, as formas haveis e havemos. Vestígios destas formas estão presentes na formação do futuro do indicativo (ex.: nós ofereceremos, vós oferecereis, nós oferecê-la-emos, vós oferecê-la-eis; sobre este assunto, poderá consultar a resposta mesóclise).

Pelo que acima foi dito, e apesar de a forma heis poder estar na origem da forma eis (o que pode explicar o facto de o clítico se ligar por hífen a uma forma não verbal e de ter um comportamento que se aproxima do de uma forma verbal), a grafia hei-la não pode ser considerada regular no português contemporâneo, pelo que o seu uso é desaconselhado.