Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub

pub
3ª pess. sing. fut. ind. de preocuparpreocupar
Será que queria dizer pré-ocupara?
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

pre·o·cu·par pre·o·cu·par - ConjugarConjugar
(latim praeoccupo, -are, ser o primeiro a ocupar, invadir, antecipar-se)
verbo transitivo

1. Causar preocupação a.

verbo pronominal

2. Inquietar-se, recear.

pub

Parecidas

Palavras vizinhas

Esta palavra em blogues

Ver mais
Blogues do SAPO

Esta palavra no Twitter

Dúvidas linguísticas


No Presente do Indicativo do verbo sair, qual a razão por que a 3ª pessoa do plural não acompanha a raiz do verbo? Porque é saem e não saiem?
O verbo sair é um verbo parcialmente irregular, devido ao hiato (encontro de vogais que não formam ditongo; no caso de sair, -ai-) no infinitivo, decorrente da evolução da palavra ao longo da história da língua (lat. salire > sa(l)ir(e) > port. sair). Como este verbo conjugam-se outros que apresentam o mesmo hiato, como cair (lat. cadere > ca(d)er(e) > port. cair) ou trair (lat. tradere > tra(d)er(e) > port. trair), e derivados.
Por comparação com um verbo regular da terceira conjugação, como partir, é possível verificar as pequenas irregularidades:
a) Normalmente o radical de um verbo corresponde à forma do infinitivo sem a terminação -ar, -er ou -ir que identifica o verbo como sendo, respectivamente, da primeira, segunda ou terceira conjugações; no caso do verbo partir será part-, no caso de sair o regular seria sa-, mas há formas em que é sai-, como se pode ver na alínea seguinte.
b) Um verbo regular conjuga-se adicionando ao radical as desinências de pessoa, número, modo e tempo verbal. Por exemplo, as desinências do futuro do indicativo (-irei, -irás, -irá, -iremos, -ireis, -irão) juntam-se aos radicais regulares para formar partirei, partirás, etc. ou sairei, sairás, etc. No caso do presente do indicativo, esta regularidade é alterada em verbos como sair, só sendo regulares as formas que têm o radical sa- seguido das desinências (saímos, saís, saem); as outras formas do presente do indicativo (saio, sais, sai) e todo o presente do conjuntivo (saia, saias, saiamos, saiais, saiam) formam-se a partir do radical sai-.
c) A estas irregularidades junta-se a adequação ortográfica necessária, através de acento gráfico agudo, para manter o hiato do infinitivo em outras formas verbais (ex.: saísse/partisse; saíra/partira).

Muitos verbos que apresentam hiatos nas suas terminações do infinitivo têm geralmente particularidades (principalmente no presente do indicativo) que os tornam parcialmente irregulares (vejam-se, por exemplo, as conjugações de construir ou moer).

Respondendo directamente à questão colocada, saem não tem i por ser uma forma que retoma o radical regular sa- e não o radical sai-, como em formas como saio, sais, saia ou saiamos.




Sou espanhola estudante de português e encontro muita dificuldade para saber quando uma palavra termina em -ção ou em -cção. Por exemplo: é ação ou acção? fração ou fracção? deteção ou detecção? Existe alguma regra para eu poder construir correctamente estas palavras? Tenho pesquisado muito mas todos os meus esforços foram vãos.
A dúvida apresentada parece dizer respeito à diferença ortográfica entre as normas do português europeu (seguida, em geral, em Portugal, Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, São Tomé e Príncipe, Timor-Leste e Região Administrativa Especial de Macau) e o português brasileiro.

Nos exemplos apontados, a diferença surge porque no português europeu as consoantes mudas etimológicas são mantidas na ortografia, enquanto no português do Brasil são eliminadas em alguns casos e facultativas noutros (especialmente se a pronúncia oscilar). No caso da aprendizagem do português como língua estrangeira, esta divergência ortográfica entre as duas normas pode criar sérios problemas na aprendizagem da ortografia. Nenhuma das normas deve ser desvalorizada, mas, neste aspecto, os alunos deverão ter claramente presente qual a norma que estão a estudar (normalmente corresponde à norma que o professor segue, como língua materna ou não) e procurar obras de referência (dicionários, prontuários, gramáticas ou outros) que respeitem essa norma, para evitar confusões desnecessárias. A este propósito, deve referir-se que o Dicionário Priberam da Língua Portuguesa e a sua Gramática seguem a norma europeia do português; as respostas às Dúvidas Linguísticas são escritas respeitando a ortografia da norma europeia, apesar de o conteúdo de muitas delas dizer respeito à norma brasileira; o FLiP contém ferramentas linguísticas quer para o português europeu quer para o português do Brasil.

Para a sistematização de algumas diferenças entre o português europeu e o português do Brasil, por favor consulte também outra dúvida relativa às variedades de português.

Além do que foi dito anteriormente, a diferença entre a terminação em -ção ou -cção não se deve apenas à diferença entre as normas ortográficas do português, mas a diferenças etimológicas que originaram diferenças de ortografia. Por exemplo, as palavras em -ção que correspondem a nominalizações de verbos (ex.: verbalizar/verbalização) são sempre formadas pelo sufixo -ção (ver também palavras terminadas em -ção e -são). Alguns exemplos podem mesmo ser colocados a par com as terminações -ción e -cción da língua espanhola. Por exemplo, para o português europeu e para o espanhol, as terminações -ção/-ción de inflação/inflación têm a sua explicação no étimo latino de que derivam (inflatio, -onis), do mesmo modo que as terminações -cção/-cción de infracção/infracción têm a sua explicação no étimo de que derivam (infractio, -onis). Estes exemplos apontam para uma clara ligação entre as formas latinas terminadas em -tio, -onis e as formas portuguesas terminadas em -ção e entre as formas latinas terminadas em -ctio, -onis e as formas portuguesas terminadas em -cção.

pub

Palavra do dia

guas·ca guas·ca
(quíchua uáskha)
nome feminino

1. [Brasil]   [Brasil]  Correia feita de couro cru.

nome de dois géneros

2. [Brasil]   [Brasil]  Habitante da roça. = CAIPIRA

adjectivo de dois géneros e nome de dois géneros
adjetivo de dois géneros e nome de dois géneros

3. Relativo ao estado brasileiro do Rio Grande do Sul ou o seu natural ou habitante. = GAÚCHO, RIO-GRANDENSE-DO-SUL

pub

Mais pesquisadas do dia

Siga-nos



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2020, https://dicionario.priberam.org/pr%C3%A9-ocupar%C3%A1 [consultado em 20-09-2020]