Dicionário Priberam Online de Português Contemporâneo
Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub
pub

par

parpar | adj. 2 g. | n. m. | n. m. pl.
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

par par


(latim par, paris, igual, semelhante, macho ou fêmea de um par, esposa, marido, par, casal)
adjectivo de dois géneros
adjetivo de dois géneros

1. Igual, semelhante, parceiro.

2. Que é representado por um número divisível por dois.

3. Disposto simetricamente dos dois lados de um eixo.

4. [Aritmética]   [Aritmética]  Que é divisível por 2 ou que se pode dividir igualmente sem quebrado.ÍMPAR

nome masculino

5. Conjunto de duas pessoas, particularmente, marido e mulher ou dois cônjuges.

6. Sociedade de dois. = DUPLA, PARELHA

7. [Dança]   [Dança]  Cada uma das pessoas que constituem uma dupla na dança.

8. Pessoa igual a outra em posição social ou académica (ex.: o artigo vai ser avaliado pelos pares).

9. O macho ou a fêmea de um casal de aves.

10. Conjunto de dois objectos da mesma espécie.

11. Peça de vestuário ou utensílio composto de duas partes iguais (ex.: comprou um par de calças).

12. Número indeterminado no sentido ponderativo.

13. [Desporto]   [Esporte]  Índice que indica o número de tacadas de golfe definidas como necessárias para chegar a um buraco ou para chegar a todos os buracos de um campo (ex.: buraco de par quatro; este campo tem par 71; um abaixo do par; dois acima do par).

14. [Tauromaquia]   [Tauromaquia]  Ferros.

15. [Antigo]   [Antigo]  Cada um dos mais poderosos vassalos do rei.


pares
nome masculino plural

16. [Desporto]   [Esporte]  Tipo de competição entre dois grupos de dois jogadores ou competidores, por oposição a singulares (ex.: partida de pares senhoras; pares mistos).


a par
Ao lado um do outro; junto ou juntamente (ex.: os dois clubes estão a par no topo da tabela).

A um tempo; igualmente, sem distinção ou separação.

Informado (ex.: mantenha-se a par das últimas notícias; não estou a par do que aconteceu). = INFORMADO

a par de
Ao lado de (ex.: os enchidos, a par do vinho, são uma das especialidades da casa).

ao par
A preço igual.

de par em par
De lado a lado; às escâncaras.

par de estalos
[Portugal]   [Portugal]  Dois tabefes no rosto, um a seguir ao outro.

par de França
Casal que se veste de maneira ridícula.

par de galhetas
[Portugal]   [Portugal]  O mesmo que par de estalos.

par do Reino
Membro da antiga Câmara Alta.

pub

Auxiliares de tradução

Traduzir "par" para: Espanhol | Francês | Inglês

Parecidas

Anagramas

Esta palavra em blogues

Ver mais

, onde foi informado das condições em cima da mesa e ficou a par do projeto leonino..

Em Fora-de-jogo

o clube, a par do Chelsea, com mais presenças no jogo derradeiro da competição;;

Em O INDEFECTÍVEL

harmonia com a natureza possa ocupar as vontades de pessoas que queiram povoar territórios desertificados, protegendo a natureza e criando uma...

Em <p>ECLIPSE ARTE<br \>associação cultural</p>artes performativas<br \>performing arts</p>

...abrir, mas a bola saiu muito ao lado e Darwin também rematou por um par de vezes, mas sempre sem nunca assustar Luiz Júnior na baliza dos visitantes..

Em A PAIXÃO O BENFICA E O A.VISEU

...Mika Hakkinen não acredita na Mercedes a lutar pelo título mundial em 2022, a par da Red Bull e da Ferrari..

Em Continental Circus
Blogues do SAPO

Dúvidas linguísticas


Gostaria de esclarecer uma dúvida: claridade é substantivo abstracto ou concreto?
Na acepção de “luz natural”, a palavra claridade é um substantivo concreto; nas restantes acepções é um substantivo abstracto.



Gostaria de saber quais as preposições que podem ser usadas no complemento directo e indirecto. Eu levanto esta dúvida porque o verbo "abusar" é regido pela preposição "de" e, segundo sei, não tem complemento directo, o que me leva a concluir que a referida preposição não pode ser usada no complemento directo. Gostava de ser esclarecido se é de facto assim. Outra questão que surge na sequência desta é a seguinte: eu li um artigo sobre gramática que dizia o seguinte: "O verbo abusar não tem, pois, complemento directo, pelo que não pode ser conjugado na voz passiva". Então é errado dizer "a Ana foi abusada"? (voz passiva)
Apesar de o verbo abusar ser transitivo indirecto, porque selecciona um complemento introduzido pela preposição de, algumas acepções deste verbo (ex.: o indivíduo abusou da Ana) são comummente usadas com passagem à voz passiva (ex.: a Ana foi abusada pelo indivíduo), sendo o sujeito da frase passiva não o complemento directo habitual da voz activa, mas o complemento preposicionado.

Apesar de ser muito usada, esta não é uma construção consensualmente aceite.

Uma vez que, em português, o complemento directo da frase activa (ex.: apanhou o gatuno) é o sujeito de uma frase passiva (ex.: o gatuno foi apanhado), este comportamento do verbo abusar é raro na língua, mas não é exclusivo deste verbo. Este fenómeno em que o complemento preposicionado da voz activa é o sujeito da voz passiva (ex.: o indivíduo abusou da Ana --> a Ana foi abusada pelo indivíduo), pode ser encontrado mais frequentemente em verbos como responder (ex.: respondeu logo à dúvida --> a dúvida foi logo respondida) ou (des)obedecer (ex.: obedeceu às ordens --> as ordens foram obedecidas) e ainda em alguns outros verbos (ex.: o aluno assistiu a poucas aulas --> poucas aulas foram assistidas pelo aluno; o patrão não pagou à funcionária --> a funcionária não foi paga pelo patrão; a defesa vai recorrer da sentença --> a sentença vai ser recorrida pela defesa).

Por este motivo, alguns autores, por vezes denominados puristas da língua, consideram erróneo o uso da passiva com verbos como estes, mas tendem a aceitar o uso passivo de alguns deles (normalmente o verbo responder), sem outras justificações sem ser a indicação de que o uso consagrou um ou outro.

Francisco Fernandes (Dicionário de Verbos e Regimes, São Paulo: Globo, 2001, 44.ª ed., p. 436), por outro lado, em relação ao verbo obedecer (mas não em relação a nenhum dos outros) afirma que a voz passiva deste verbo “é construção universalmente aceita”. O autor justifica-a apresentando o verbo obedecer construído com objecto directo, que “não obstante condenado por alguns autores de boa nota, é comum encontrar-se nos clássicos antigos”, como exemplifica com abonações de Padre António Vieira ("Nem a Deus se podem perguntar os porquês: obedecê-los sim, muda e cegamente.", Sermões, I, 257, "Não só ofendiam a António, mas o obedeciam e reverenciavam.", Sermões, IV, 30).

Como conclusão da reflexão feita acima, pode dizer-se que a construção passiva de verbos que não são transitivos directos é um fenómeno difícil de explicar a não ser por estudos diacrónicos da língua que não temos possibilidade de fazer facilmente. É então um fenómeno observável em raros verbos, mas com esses verbos é muito frequente. Por ser uma construção algo polémica, o falante deverá ter em conta que o seu uso pode ser contestado, pelo que, em contextos formais em que se pretenda um discurso irrepreensível, deverá ser uma construção evitada.

pub

Palavra do dia

ni·ó·bi·o ni·ó·bi·o


(latim científico niobium, do grego Nióbe, mitónimo [Níobe, personagem da mitologia grega, filha de Tântalo e Dione])
nome masculino

[Física, Química]   [Física, Química]  Elemento químico metálico (símbolo: Nb) bastante raro, cinzento, de número atómico 41, de massa atómica 92,90, associado ao tantálio nos seus minérios.

pub

Mais pesquisadas do dia



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2021, https://dicionario.priberam.org/par [consultado em 16-05-2022]