Dicionário Priberam Online de Português Contemporâneo
Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub
pub

narração

narraçãonarração | n. f.
derivação fem. sing. de narrarnarrar
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

nar·ra·ção nar·ra·ção


(latim narratio, -onis)
nome feminino

1. Acto de narrar.

2. O que se narra.

3. Parte do discurso em que se expõem os factos que lhe servem de tema.


nar·rar nar·rar

- ConjugarConjugar

verbo transitivo

1. Contar (descrevendo).

2. Referir, relatar.

pub

Auxiliares de tradução

Traduzir "narração" para: Espanhol | Francês | Inglês

Parecidas

Anagramas

Esta palavra em blogues

Ver mais

Tudo aqui é teen aparvalhado, da narração teneborsa de Kunis às motivações absolutamente banais dos crimes, ao mini-mistério que se tenta...

Em Cinema Notebook

A narração passa então para a história da

Em Geopedrados

NARRAÇÃO INENARRÁVEL..

Em Coluna D'Águias Gloriosas

...] quando determinou que: «I - Não é exigida a perfeita coincidência entre a narração , mais ou menos imprecisa, da queixa e a descrição, concreta e circunstanciada, da...

Em Patologia Social

à narração de sua abordagem, e alguns movimentos fazem com que um personagem marque seu elemento,...

Em confrariadearton.blogspot.com
Blogues do SAPO

Dúvidas linguísticas


Venho por este meio para me tirarem uma dúvida que é a seguinte: Quando uma pessoa muda de uma região para a outra, mas dentro do próprio país, como se diz? Emigrar ou Imigrar? E quando uma pessoa vai para outro país para trabalhar e para viver?
Os verbos emigrar e imigrar têm em comum o significado de migrar, e apenas diferem no ponto de vista, isto é, emigrar é "sair, temporária ou definitivamente, do seu país ou região" e imigrar é "entrar e fixar-se, periódica ou definitivamente, num outro país ou região" (o mesmo se aplica aos respectivos derivados, como emigrante/imigrante, emigração/imigração). Esta diferença deve-se ao facto de o verbo emigrar conter, já em latim, um elemento e- ou ex-, que deriva da preposição latina ex e que indica "movimento para fora", da mesma forma que o verbo imigrar contém um elemento i- ou in-, que deriva da preposição latina in e que indica "movimento para dentro".

Assim, pode dizer-se, por exemplo, que um português que vai trabalhar para o estrangeiro emigra, relativamente a Portugal (ex.: o pai dele emigrou aos 17 anos; estava a pensar emigrar para a Austrália), e imigra, relativamente ao país de acolhimento (ex.: a família imigrou e já vive neste país há uma década); da mesma forma, um estrangeiro que veio trabalhar para Portugal é imigrante neste país (ex.: os imigrantes permitem rejuvenescer a população envelhecida) e emigrante no seu país de origem (ex.: todos os meses, o emigrante envia dinheiro à família).

Como foi dito acima, qualquer um destes verbos (e ainda o verbo migrar) pode ser usado tanto para uma acção de mudança de país como de região (ex.: abandonaram o cultivo dos campos e emigraram para a cidade; imigrara vinte anos antes, vindo dos Açores).




Gostaria de saber se a palavra automóvel é composta por aglutinação ou justaposição.
De acordo com a Gramática da Língua Portuguesa, da autoria de Maria Helena Mira Mateus, Ana Maria Brito, Inês Duarte e Isabel Hub Faria (pp. 971-983), existem dois tipos de composição: a morfológica e a morfossintáctica. A composição morfológica agrega dois ou mais radicais (ex.: autofagia = auto- + -fagia, geobiologia = geo- + biologia, hipermercado = hiper- + mercado); esta variedade de composição não deve ser confundida com a derivação por prefixação e/ou por sufixação, pois os radicais em causa têm autonomia semântica e podem juntar-se a outros radicais para formar uma palavra (ao contrário dos prefixos e sufixos, que não se podem juntar a outros prefixos ou sufixos para formar uma palavra). A composição morfossintáctica agrega duas ou mais palavras (ex.: abre-latas, aguardente, guarda-chuva, peixe-espada, viandante) e conjuga propriedades de estruturas sintácticas e propriedades de estruturas morfológicas.

Assim sendo, a palavra automóvel é formada segundo os processos da composição morfológica e não por aglutinação ou justaposição, processos que se englobam na composição morfossintáctica e que, segundo as mesmas autoras, não correspondem a duas classes diferentes de composição, mas a diferentes estádios de lexicalização dos compostos: um no qual se mantêm inalterados os constituintes do composto (ex.: abre-latas) e outro resultante de uma evolução do composto, que lhe confere alterações como a queda ou alteração de fonemas (ex.: aguardente < águ(a + a)rdente).

A distinção entre os compostos morfológicos e os compostos morfossintácticos pode também ser encontrada na nova terminologia linguística adoptada para o ensino básico e secundário e publicada em Diário da República em Dezembro de 2004. Sobre a diferença entre a composição por aglutinação ou justaposição, poderá consultar a resposta formação de pontapé.

pub

Palavra do dia

con·ge·ni·al con·ge·ni·al


(con- + genial)
adjectivo de dois géneros
adjetivo de dois géneros

1. Conforme ao génio ou à índole de alguém ou de alguma coisa (ex.: era a rebeldia congenial da adolescência). = INERENTE

2. Próprio por natureza; que vem desde o nascimento (ex.: sentimentos congeniais; virtude congenial). = CONATO, CONGÉNITO, INATO, INGÉNITO, NATO, NATURAL

pub

Mais pesquisadas do dia



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2021, https://dicionario.priberam.org/narra%C3%A7%C3%A3o [consultado em 02-12-2021]