Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub

pub
mitomito | s. m.
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

mi·to mi·to
(latim mythos, -i, fábula, do grego mûthos, -ou, palavra, discurso, coisa dita, conto, história, narrativa, ficção)
substantivo masculino

1. Personagem, facto ou particularidade que, não tendo sido real, simboliza não obstante uma generalidade que se deve admitir.

2. Coisa ou pessoa que não existe, mas que se supõe real.

3. Coisa só possível por hipótese; quimera.


mito urbano
História, explicação ou fenómeno ficcional relatado e divulgado como verdadeiro, geralmente por alegadamente ter uma fonte ou origem vagamente relacionada com o relator ou divulgador. = LENDA URBANA

pub

Auxiliares de tradução

Traduzir "mito" para: Espanhol | Francês | Inglês

Parecidas

Palavras vizinhas

Esta palavra em blogues

Ver mais
Blogues do SAPO

Esta palavra no Twitter

Dúvidas linguísticas


Quando se estuda a nomenclatura das substâncias químicas orgânicas, usam-se os prefixos et-, met-, prop- e but- para definir ou restringir certas características de tais substâncias. De onde vieram esses prefixos? Seriam latinos? Quais seriam os significados originais ou literais deles?
Os elementos de composição prefixais que refere resultam de reduções de palavras, normalmente de origem grega, mas frequentemente com influência latina.

But- é redução de butírico, que por sua vez deriva do grego boúturon, "manteiga", através do latim butyrum, como outras palavras que contêm o elemento butir-. Et- é redução de éter, que tem origem no grego aithêr "céu", pelo latim aether. Met- é redução de metilo, que tem origem no grego méthu, “vinho” e em húle,”madeira”. Em relação a prop-, trata-se de uma redução de propiónico, derivado do grego pró, "diante de", "antes" e de píon "gordo".




De acordo com as regras de colocação pronominal, usa-se próclise após advérbios e ênclise após gerúndios, sem o EM. Sendo assim, como ficaria a frase: quase o arrastando ou quase arrastando-o?
No português de Portugal, se não houver algo que atraia o clítico para outra posição, a posição padrão é a ênclise, isto é, a colocação do clítico depois do verbo (ex.: Ele arrastou-o).

Para o português do Brasil, a posição padrão é a próclise, isto é, a colocação do clítico antes do verbo (ex.: Ele o arrastou).

Tanto na norma de Portugal, como na norma do Brasil, a maioria dos advérbios e das preposições têm a propriedade de atrair o clítico, motivo pelo qual, com a utilização do gerúndio antecedido da preposição em ou do advérbio quase, o clítico é habitualmente colocado antes da forma verbal (ex.: em o arrastando; quase o arrastando).

pub

Palavra do dia

xer·ga |ê| xer·ga |ê|
(latim serica, -orum, tecidos ou vestidos de seda)
substantivo feminino

1. [Antigo]   [Antigo]  Tecido grosseiro de lã. = BUREL, ESTAMENHA

2. [Regionalismo]   [Regionalismo]  Manta grosseira em que se transporta a palha trilhada das eiras.

3. [Regionalismo]   [Regionalismo]  Manta que se estende debaixo das oliveiras quando se vareja a azeitona.

4. [Portugal: Trás-os-Montes]   [Portugal: Trás-os-Montes]  Espécie de colchão de palha. = ENXERGA

5. [Brasil]   [Brasil]  Espécie de almofada que se põe por baixo da albarda das bestas.

pub

Mais pesquisadas do dia

Siga-nos



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, https://dicionario.priberam.org/mito [consultado em 17-08-2019]