Dicionário Priberam Online de Português Contemporâneo
Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub
pub

malsim

malsimmalsim | n. m.
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

mal·sim mal·sim


(espanhol malsín, do hebraico malxin, denunciador, delator)
nome masculino

1. Informante ou funcionário que denuncia contrabando ou outras violações de leis ou regulamentos.

2. Espião ou delator.

3. Funcionário de tribunal judicial encarregado de fazer cumprir ordens judiciais. = AGUAZIL, BELEGUIM, ESBIRRO, MEIRINHO, OFICIAL DE JUSTIÇA

pub

Parecidas

Esta palavra no dicionário

Ver mais

Esta palavra em blogues

Ver mais

no quentinho, papel e caneta, gargalhadas, enfiar os pés na água fria do mar... 7. Uma data importante. Porquê? Quando virei oficialmente tia 8. O que achas sobre o preconceito? Já sofreste desse mal? Acho mal...Sim 9. O que te irrita? Aquela cena do anti-spam...A sério, desliguem isso. 10. Qual foi

Em Desabafos Agridoces

, este nosso estilo já é ultrapassado. Por outro lado, sofremos pelo dever que temos de estarmos à frente e atentos. Porque novos conceitos e novos tempos de vida se avançam e nos atingem. E, às vezes, paramos para fazer uma reflexão. Não temos este direito. É o mal..Sim filho. A remontagem, agora, é

Em vitorcunhaof.blogs.sapo.pt

. Desejo que possas ir fazer a vida que queres, sem horas ou camisas, sem as minhas manias, o meu comodismo, as dores crónicas e as outras embirrações. Se te causei muito mal...sim , causei, desculpa. Morrer não é um consolo, será uma dor, já sei, apesar disso espero que possas brilhar nas horas estranhas a

Em Patrícia Reis

pelos cortes da UE aos programas de apoio alimentar às famílias carenciadas, Sarkozy pelo acréscimo do fundo de estabilidade financeira em discussão,Teixeira dos Santos (sim parece que ainda fala) pela crise financeira que causou tanto mal(sim , continua incrivelmente a reproduzir as justificações de

Em Ideias livres

basicamente novo ambiente. Mas faz bem mudar,pelo menis é o que eu acho,sinto-me um pouco mal,sim ainda é o inicio e se fosse agora talvez não tivesse mudado para aquela escola,mas agora está não posso voltar atrás. Agora estou doente em plena primeira semana de aulas, o que não ajuda :(

Em confissoes_da_joana.blogs.sapo.pt
Blogues do SAPO

Dúvidas linguísticas


No seguinte exemplo, o pronome do complemento directo deve vir antes ou depois do verbo?
- Já fizeste o trabalho?
- Sim, acabei de o fazer. / Sim, acabei de fazê-lo.
- Não, ainda tenho de o fazer. / Não, ainda tenho de fazê-lo.
Nas frases indicadas, as locuções verbais acabar de fazer e ter de fazer correspondem a construções em que os verbos acabar e fazer, seguidos da preposição de, são verbos auxiliares. Em geral, em locuções verbais com verbos auxiliares ou semiauxiliares (excepto com os que formam tempos verbais compostos: ex.: tem lido, foi lido), o clítico é colocado depois do verbo principal (ex.: O livro é interessante e posso lê-lo em dois dias; Ele veio visitar-me esta semana), podendo haver, menos consensualmente, colocação do clítico depois do verbo auxiliar ou semiauxiliar (ex.: O livro é interessante e posso-o ler em dois dias; Ele veio-me visitar esta semana). No entanto, quando a construção do verbo auxiliar ou semiauxiliar inclui uma preposição, especialmente de ou por, o pronome clítico pode ocorrer antes ou depois do verbo auxiliar (ex. Sim, acabei de o fazer. / Sim, acabei de fazê-lo), mas não depois do verbo auxiliar (ex. *Sim, acabei-o de fazer; o asterisco indica agramaticalidade).
Esta reflexão aplica-se também à outra frase apresentada (Não, ainda tenho de o fazer. / Não, ainda tenho de fazê-lo), mas nesse caso será ainda possível a opção Não, ainda o tenho de fazer, pois o advérbio ainda tem a propriedade de atracção do clítico (ver os casos referidos nas alíneas a) a j) da resposta posição dos clíticos).




A expressão "até ao arrebatamento" está correta?
Antes de mais, convém clarificar, ainda que resumidamente, o uso de até.

Como preposição, a palavra até é usada para indicar um limite temporal (ex.: Eu vou embora, até amanhã; Esperem pela resposta até meados de Janeiro; Dormi até tu chegares), um limite espacial (ex.: Viajou de comboio até Paris) ou um limite quantitativo (ex.: O desconto é válido em todos os enlatados até 800 g).

Segundo a Nova Gramática do Português Contemporâneo de Celso Cunha e Lindley Cintra (14.ª ed., Lisboa, Edições João Sá da Costa, 1998, p. 561), em Portugal usa-se geralmente a preposição até acompanhada da contracção da preposição a com o artigo definido o/a(s) (ex: Fui até ao parque; Fomos até à igreja) enquanto no Brasil se usa maioritariamente a preposição até sem a contracção (ex.: Fui até o parque; Fomos até a igreja). Em termos de correcção, como refere o Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa (edição brasileira da Editora Objetiva, 2001; edição portuguesa do Círculo de Leitores, 2002), é indiferente no Brasil associar a preposição até a outra preposição ou não. Por outras palavras, é tão correcto escrever fomos até à igreja como fomos até a igreja, sendo a última a forma mais usual no Brasil.

Como advérbio, a palavra até é usada para indicar inclusão ou ênfase, sendo sinónima de inclusivamente, também ou mesmo (ex.: Todos ajudaram na arrumação da cozinha, até o avô; O empresário fez várias alterações e admite até a contratação de mais funcionários). Dependendo da regência do verbo em causa, o advérbio até pode surgir associado a uma contracção (ex.: Eles foram a todo o lado: à Europa, à Ásia, até à Austrália!).

Considerando os usos acima descritos, a expressão até ao arrebatamento está correcta, tanto em Portugal como no Brasil, se a palavra até for usada como preposição (ex.: Foi uma festa intensa até ao arrebatamento final). Se, no entanto, a palavra até for usada como advérbio, a expressão até ao arrebatamento está incorrecta, como indica o asterisco (ex.: *Todas as emoções foram banidas, até ao arrebatamento religioso).

pub

Palavra do dia

pi·ca·ú pi·ca·ú


(origem duvidosa)
nome masculino

[Brasil]   [Brasil]   [Ornitologia]   [Ornitologia]  Designação dada a várias aves da família dos columbídeos. = POMBA

pub

Mais pesquisadas do dia



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2021, https://dicionario.priberam.org/malsim [consultado em 30-11-2022]